Dilma anuncia resistência ao golpe

Dilma Rousseff fez o mais duro discurso contra o golpe, na tarde desta terça-feira (22), no Palácio do Planalto, no ato de juristas pela legalidade e em defesa da democracia; "Não vai ter Golpe", garantiu a presidente ao denunciar de forma mais contundente que seu governo sofre ameaça; Dilma denunciou ao mundo que o que está em curso é um golpe contra a democracia; "Eu, jamais, renunciarei!", assegurou, sinalizando que resistirá à tentativa de sua derrubada. Hoje à noite, às 19 horas, a Faculdade de Direito da UFPR, em Curitiba, será palco de novo ato nacional contra a “República do Grampo” e os golpistas; Blog do Esmael, em parceria com a TV 15, vai transmitir ao vivo para o Brasil e o mundo.

Dilma Rousseff fez o mais duro discurso contra o golpe, na tarde desta terça-feira (22), no Palácio do Planalto, no ato de juristas pela legalidade e em defesa da democracia; “Não vai ter Golpe”, garantiu a presidente ao denunciar de forma mais contundente que seu governo sofre ameaça; Dilma denunciou ao mundo que o que está em curso é um golpe contra a democracia; “Eu, jamais, renunciarei!”, assegurou, sinalizando que resistirá à tentativa de sua derrubada. Hoje à noite, às 19 horas, a Faculdade de Direito da UFPR, em Curitiba, será palco de novo ato nacional contra a “República do Grampo” e os golpistas; Blog do Esmael, em parceria com a TV 15, vai transmitir ao vivo para o Brasil e o mundo; abaixo, ouça a íntegra do discurso:

A presidente Dilma Rousseff fez o mais duro discurso contra o golpe, nesta tarde, no Palácio do Planalto, no ato de juristas pela legalidade e em defesa da democracia. “Não vai ter Golpe”, garantiu ao denunciar de forma mais contundente que seu governo sofre ameaça.

“Estamos num regime presidencialista. E o impedimento só pode se dar em caso de crime de responsabilidade. Não cometi nenhum crime”, disse a presidente.

Dilma denunciou ao mundo que o que está em curso é um golpe contra a democracia. “Eu, jamais, renunciarei!”, assegurou, sinalizando que resistirá à tentativa de sua derrubada.

“A Justiça brasileira fica enfraquecida quando se ferem direitos constitucionais, mas confio que a Suprema Corte saberá garantir com imparcialidade e cidadania as condições do Estado Democrático de Direito”.

A presidente Dilma disse que quer tolerância, diálogo e paz, mas disse que será firme na defesa da legalidade e do Estado Democrático de Direito.

Comentários encerrados.