Coluna do Marcelo Belinati: “Prefeito, não deixe fechar o Centro Odontológico para pessoas com deficiência”

odonto

Em sua coluna desta sexta-feira, o deputado federal Marcelo Belinati (PP) faz um apelo ao prefeito de Londrina para que mantenha funcionando o Centro de Saúde Especial Bárbara Daher do Grupo de Estudos para o Desenvolvimento do Paciente Excepcional de Londrina, que faz o tratamento e prevenção odontológicos das pessoas com deficiência da cidade. Segundo o deputado, o Centro funciona há 27 anos e tem quase seis mil pacientes cadastrados, prestando um serviço diferenciado aos portadores de necessidades especias, mas padece com dívidas e, se nada for foito vai encerrar as atividades dia 31 de março. Belinati chegou a aprovar uma emenda no orçamento da União no valor de R$ 100 mil, mas esse valor só pode ser usado para construção ou reforma, e não para quitar dívidas. Leia, ouça, comente e compartilhe.

Download áudio

Marcelo Belinati*

Com muita tristeza no coração vi o anúncio de que o Centro de Saúde Especial Bárbara Daher, o Getexcel (Grupo de Estudos para o Desenvolvimento do paciente Excepcional de Londrina), que faz o tratamento – prevenção e cuidados odontológicos das pessoas com deficiência vai fechar.

Após quase 27 anos de excelentes serviços prestados à sociedade de Londrina e região, anunciou o encerramento das atividades no dia 31 de março em razão de dívidas geradas pela falta de maior apoio financeiro por parte da prefeitura de Londrina.

Infelizmente os portadores de deficiência vão ficar sem o humanitário tratamento, o que, certamente, além de dor e sofrimentos, vai trazer sérias complicações de saúde para milhares de pacientes, vítimas do descaso do poder público.

A entidade tem atualmente 5.800 pacientes cadastrados, oferecendo em média 200 atendimentos/mês, a grande maioria de famílias de baixa renda e que não têm outras opções para realizar esse importante atendimento social. O Getexcel tem o seu inestimado valor justamente pelo atendimento diferenciado que faz às pessoas com deficiência.

Atendimento especializado (muitos pacientes necessitam inclusive serem anestesiados para fazerem o tratamento odontológico), muito amor, carinho, atenção, compreensão e comprometimento, são o diferencial dessa instituição que tem proporcionado a milhares de pessoas com deficiência boas condições de saúde bucal.

Estou solidário com os profissionais, com as famílias e também com os pacientes que estão na iminência de perder esse serviço de extrema importância.

Mas solidariedade só não basta, consegui colocar no Orçamento da União uma emenda parlamentar no valor de R$ 100 mil para ajudar a instituição. No entanto, esses recursos podem ser utilizados apenas para reforma – ampliação e também na aquisição de novos equipamentos. E o maior problema no momento é o custeio das despesas mensais da instituição como salários, materiais, manutenção e etc.

Ainda no dia de ontem (24/03/2016) participamos de uma reunião junto a representantes do Cismepar, da 17° Regional de Saúde, da Câmara e da própria entidade buscando caminhos e soluções para que o serviço tenha continuidade.

Só quem tem um filho, um amigo ou um parente com deficiência sabe o quão importante é ter um atendimento especializado na área de saúde.

As pessoas com deficiência merecem todo nosso respeito, amor, carinho, atenção e dedicação. Nós homens públicos precisamos antes de qualquer coisa termos a sensibilidade de entender quais políticas públicas têm verdadeiro alcance social e redundam em efetivos benefícios para nossa sociedade.

Essa tão necessária atenção às pessoas com deficiência é bíblica. Para Jesus, os deficientes eram oportunidades através dos quais o poder de Deus podia ser revelado. A Bíblia diz em João 9,2-3: “Perguntaram-lhe os seus discípulos: Rabi, quem pecou, este ou seus pais, para que nascesse cego? Respondeu Jesus: Nem ele pecou nem seus pais; mas foi para que nele se manifestem as obras de Deus.”

Por isso, prefeito, reflita e por favor reanalise suas prioridades, não deixando essa instituição, que faz um trabalho abençoado, um trabalho abnegado de amor ao próximo e que tantos benefícios trouxe à sociedade londrinense, fechar suas portas.

*Marcelo Belinati, médico e advogado londrinense, é deputado federal pelo PP do Paraná. Escreve nas sextas-feiras sobre “Política Sem Corrupção”.

Comentários encerrados.