Blog do Esmael

A política como ela é em tempo real.

Citado três vezes em corrupção, Beto Richa vai ganhar música no Fantástico?

Governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), integra o listão da propina da Odebrecht e é citado pela terceira vez em casos de corrupção; estaria o tucano, por isso, habilitado a ganhar música no programa global Fantástico; governador do PSDB teria amealhado junto a Odebrecht R$ 200 mil em 24 de setembro de 2010, sem prestação de contas ao TSE; Richa já é réu no Superior Tribunal de Justiça (STJ), que autorizou investigação de cobrança de propina na Receita Estadual do Paraná (dinheiro teria abastecido reeleição); tucano também tem governo envolvido no roubo de recursos que seriam destinados à construção de escolas (Operação Quadro Negro); governador Beto Richa é um dos entusiastas do golpe contra o mandato da presidente Dilma Rousseff.

Governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), integra o listão da propina da Odebrecht e é citado pela terceira vez em casos de corrupção; estaria o tucano, por isso, habilitado a ganhar música no programa global Fantástico; governador do PSDB teria amealhado junto a Odebrecht R$ 200 mil em 24 de setembro de 2010, sem prestação de contas ao TSE; Richa já é réu no Superior Tribunal de Justiça (STJ), que autorizou investigação de cobrança de propina na Receita Estadual do Paraná (dinheiro teria abastecido reeleição); tucano também tem governo envolvido no roubo de recursos que seriam destinados à construção de escolas (Operação Quadro Negro); governador Beto Richa é um dos entusiastas do golpe contra o mandato da presidente Dilma Rousseff.

O governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), integra o listão da propina da Odebrecht. É a terceira vez que o tucano é citado em casos de corrupção, por isso deverá ganhar música no programa global Fantástico.

Tal qual seu correligionário de ninho, Aécio Neves (PSDB-MG), lista que se preze sem ele “não vale” (ou “sem eles”, dependendo do ângulo).

De acordo com a Vaza Jato, Richa teria amealhado junto a Odebrecht R$ 200 mil em 24 de setembro de 2010. A bufunfa não consta na prestação de contas ao TSE.

Richa já é réu no Superior Tribunal de Justiça (STJ), que autorizou a Procuradoria Geral da República (PGR) investigar cobrança de propina na Receita Estadual do Paraná. O dinheiro arrecadado por fiscais abasteceu a campanha de reeleição do governador do PSDB, segundo denúncia da Operação Publicano do Ministério Público. Só aqui foi R$ 1 bilhão saqueado do tesouro estadual.

O terceiro esquema de corrupção envolvendo Beto Richa e seu governo tem a ver com roubo de recursos que seriam destinados à construção de escolas (Operação Quadro Negro). O dinheiro era repassado à empreiteira, mas a obra não saia do papel. Resultado disso: além do prejuízo ao erário, prédios carecem de reparos, faltam vagas aos alunos e as salas de aula estão superlotadas.

Em comum, além de denunciados e relacionados a malfeitos, Aécio e Richa, cada qual com seu respectivo papel, posam de vestais e “guardiões da moralidade”, contra o PT, e defendem o golpe contra a presidente Dilma Rousseff — mesmo não existindo nenhum ilícito cometido por ela.

Comentários desativados.