Coluna do Reinaldo de Almeida César: “A verdade vos libertará”

verdade

Em sua coluna semanal, Reinaldo de Almeida César fala da necessidade de se fazer maciços investimentos em segurança pública para reverter a atual escalada de violência a qual o Paraná está submetido. Segundo ele, isso inclui a urgente valorização das carreiras tanto na Polícia Militar, como na Civil. Reinaldo comenta que o bilhão desviado da receita estadual, num esquema desvendado pelo Gaeco, estaria fazendo falta nos investimentos necessários ao programa Paraná Seguro. Ele opina ainda que as delações premiadas da Operação Lava Jato têm servido para desvelar “sacripantas achacadores” que já eram conhecidos em determinados círculos políticos. Leia, comente e compartilhe.

Reinaldo de Almeida César*

Divirto-me até não mais poder, gargalhando às escancaras, ao observar as manifestações daqueles que, além de se sujeitarem a carregar a liteira no Palácio, ainda acham tempo para me agredir, não aceitando as observações críticas que faço, em relação ao atual governo, na área da segurança pública.

Também acho muita graça quando portadores de inveja ou fomentadores da intriga não se conformam quando elogio, naquilo que me merece, a gestão do secretário Wagner Mesquita.

Considero o secretário Mesquita um bom profissional, jeitoso, de boa conversa, com preparo técnico para o exercício da função. Tem perfil baixo, sabe valorizar a equipe e — importante para ele — está consciente das inevitáveis traições e decepções a que estará sujeito, de onde e quando menos esperar.

Essa consideração pessoal que faço ao secretário Mesquita, sem qualquer favor, não me inibe em dizer que as atuais condições das polícias civil, militar e criminalística, estão muito, muito longe das necessidades destas instituições.

Nada me fará deixar de cobrar o governo, para que valorize as carreiras dos profissionais da segurança pública, convertendo o reconhecimento em salários dignos para oficiais e praças da PM, para delegados, escrivães, investigadores e papiloscopistas da Civil, para médicos-legistas e peritos, entre outros.

Nesta semana, o competente secretário Beltrame, do Rio de Janeiro, falou com muita  firmeza sobre recursos e investimentos. Agindo assim, ganha o respeito da sociedade e ainda ajuda o governo, pela sinceridade que transpira.

Por aqui, quando eu disse da necessidade do aporte de robustos investimentos no Programa PARANÁ SEGURO, lutando por recursos, isso em março de 2012, fui duramente censurado e segregado no governo. Alguns até arriscam dizer que ali foi o começo do fim da minha gestão. Tomara que seja verdade, quedarei orgulhoso disso.

Apontar graves falhas e notória ausência de investimentos na área da segurança pública não pode ser considerado crime de lesa-majestade, como se governador não exercesse um mero mandato, outorgado em caráter temporário, pela sociedade e em favor desta.

A não ser que os áulicos do poder estejam satisfeitos com o visível aumento da criminalidade violenta, com assaltos a bancos e restaurantes, a redes de farmácias e supermercados, e agora, num quadro surreal, assalto à salão de beleza no chique e caro Batel, onde foram roubados 200 mil reais em mechas de cabelo.

Estou convicto de que aquele um bilhão que escorreu pelo ralo nos malfeitos dos personagens — que, aliás, parecem não ser dignos de morar na pujante Londrina — revelados pela belíssima operação “Publicano”, do Gaeco, esteja mesmo fazendo muita falta para os investimentos preconizados pelo Programa PARANÁ SEGURO, assim como concebido em agosto de 2011.

A esses néscios, escondidos no armário do anonimato, que se incomodam com as críticas objetivas que faço, relembro que exigir que o governo faça bem feito sua parte na segurança pública é direito e responsabilidade de todos, nos termos do art. 144, da Constituição Federal, pra dizer o menos.

Continuarei a reclamar consistentes investimentos no setor, para o integral cumprimento do Programa PARANÁ SEGURO, relembrando que a segurança pública é o único serviço prestado pelo Estado em caráter verdadeiramente universal, dirigido a todos os cidadãos indistintamente.

Aos eunucos de pensamento, que não aceitam que, como cidadão, possa eu me manifestar sobre tais temas, sugiro que voltem a abanar os imperadores assirios e otomanos, enquanto sigo minha toada, “ridendo castigat mores”.

***

Uma palavra rápida de solidariedade.

Nem ela, nem o filho precisam disso.

Mas, sinto-me na obrigação de fazê-lo.

Pode-se discordar de decisões do juiz Sergio Moro e até, na livre manifestação de pensamento, criticá-las na mídia e nas redes sociais, nesta sociedade plural que vive a era da informação de imediata e rápida circulação.

Agora, um bando de aloprados invadir uma sessão de homenagem às mulheres, num 8 de março, na Câmara de Vereadores da pacata Maringá, para ofender e constranger a septuagenária senhora Odete Moro, mãe do magistrado, é requerer, preencher, assinar e conceder a si mesmo um atestado de supimpa boçalidade e burrice atroz.

Meus respeitos à Senhora Odete Moro, digna professora aposentada da rede estadual.

***

Falando em Sergio Moro, uma rápida palavra sobre delações premiadas.

É que além de identificar criminosos, descobriu-se nos últimos dias que as delações premiadas servem também para revelar, à luz da verdade, conhecidos sacripantas achacadores cujos comportamentos, embora largamente conhecidos, ficavam antes restritos aos confinados ambientes políticos.

Bendito seja, como confirmação da Palavra de João, “e conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará”, sagrada para nós, verdadeiros cristãos pela fé e não por interesses inconfessáveis.

*Reinaldo Almeida César é delegado da Polícia Federal. Foi secretário da Segurança Pública do Paraná. Chefiou a Divisão de Cooperação Policial Internacional (Interpol). Escreve nas quartas-feiras sobre “Segurança e Cidadania”.

14 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. I just want to tell you that I’m very new to blogs and seriously liked this web-site. Very likely I’m likely to bookmark your blog post . You amazingly come with beneficial posts. Kudos for sharing your web-site.

  2. Desculpe-me meu jovem, até agora não se consegue entender sua ira contra o desgovernador moleque que a cada dia quebra mais o estado do Paraná, desgovernador do qual o sr. foi secretário e amigo até ontem às 18:45. Inoportuno, desnecessário e pouco relevante ao seu elogio ao secretário atual que adora os holofotes da mídia e adora de aparecer as custas do trabalho dos policiais militares e civis. O sr. pouco fez pela SESP, poderia e deveria ter feito mais.

    • Faço das palavras do Delegado Pimenta as minhas. Só espero que sejam imparciais e publiquem meus comentários.

      • “puliça” nunca foi a solução para um pvo deseducado e sem escola.. tem que ser muito desonesto ou muito mal intencionado para pedir MAIS puliça na rua para melhorar a segurança.. quer melhorar a segurança? invista em escola.. claro que puliça para os pobres, pois os ricos e poderosos são intocáveis..

  3. Douto Delegado Reinaldo. Será que o Senhor poderia explicar para nós sobre a Síndrome de Secretario Estadual da qual padecem uma grande parcela dos Delegados Federais? Explico: qual o motivo que um Delegado Federal abandonar suas funções de âmbito nacional para servir de Capacho de Governador de Estados da Federação? Veja o exemplo de Beltrame do Rio Janeiro, no que virou esse homem, servindo gente como Sérgio Lalau e Pezão Probo. O que você pensa sobre um governador que possuí o nome de Pezão? E aqui no Paraná, o competente Delegado Mesquita obedecendo ordens do Beto Richa que está envolvido até o pescoço na Operação Publicanos. Além do mais o Mesquita baixa a cabeça para indicações de deputados como Mauro Morais, Romanelli, Curi, Francischini Filho e até de alguns prefeitos do interior. Me diga Dr. Reinaldo o que faz Delegados com o seu brio aceitar trabalhar com pessoas envolvidas com jogos ilegais e desmanches de carros, como aquelas deflagradas em sua gestão pelo GAECO: MANSÃO DO PAROLIN E VORTEX? Será que a Polícia Federal é tão ruim para vocês delegados federais aceitar a esse tipo de coisas? Será que não existe remédio que possa curar essa síndrome do secretariado estadual?

    • E o que acontece com o brio dos delegados paranaenses, que sabem quem é quem em cada uma dessas operações citadas (Mansão do Parolin, Vórtex) e pouco, ou quase nada, fizeram para agilizar o trabalho investigativo e levar os culpados à Justiça? Sabem, inclusive, o que acontece com as investigações do Caso Tainá, que a polícia e a mídia (golpista ou não) esqueceu nas areias do tempo. Será que o governo do Paraná é tão bom assim, que os delegados esquecem de sua função de promover segurança à população, doa a quem doer? Torço, com muita fé, que os 64 novos nomeados farão jus ao altíssimo salário que recebem e não se deixarão levar pela cultura que predomina nessa classe.

  4. Caro Reinaldo, parabéns!
    Once again, bullseye!!!!
    Ontem mesmo, tivemos um arrastão em rua movimentada do centro da capitalestranhamente ignorado por parte da imprensa, mais precisamente a imprensa “gazeteira do povinho bunda”…
    Sem recursos, a segurança, assim como a saúde e sobretudo a educação do Paraná agonizam.
    Agonizam até aparecer algum monstro parecido com o “KraKem” banqueiro Itaú, que levou embora enredado em seus tentáculos o musculoso porém corroído pelo roubo, Banestado.
    Este outro monstro (algum não – sei – o – que SEG) ficaria na sequência da venda da segurança outrora pública, responsável pela segurança da capital, como em Robocop…
    Governos do PSDB são assim mesmo, policial.
    Vencem a eleição num dia, e já no outro instalam uma imensa “crise” no município, estado ou país vítima, e começam à vender tudo, tirar direitos trabalhistas, tungar previdência de servidores, enfim ferrar com a vida do povo…

  5. Caro senhor,

    Muito apoiado em suas intenções. Só não se esquecer em sua carreira, que o crime é consequência.Por isso a distribuição de verbas do orçamento deve ser também onde se origina o crime.

    Na falsidade do capitalismo que nunca atende todos, embora sejam bons e competentes
    Na ma qualidade da educação
    Na ma qualidade dos programas de TV
    Na falta de confiança da população nos políticos
    Na falta de esperanca
    Na má distribuição de renda
    E
    Na falta de vagas principalmente.

  6. Pra começar a corrigir a segurança do PR, abram a “caixa preta” do DEPEN. Pior órgão da gestão de segurança no Estado, é mal administrado e nada funciona. E ai DOTOR REINALDO, quando falar sobre presídios???

  7. Vida longa ao Dr. Reinaldo que sempre nos brinda com seus textos, além de bem escritos, portadores de ideias instigantes. Sempre leio o que escreve e me alegra saber que há vozes incansáveis a propagar bons escritos. Esses, sim, permanecem.

  8. gozado delegado, agora xingar ministros em restaruante pode, profonar funerais de senadores petistas pode, agredir jornalistas nao alinhados ao psdb pode, xingar a presidente da republica com palavras de baixo calão pode, e o senhor nunca chamou essa gente de aloprados! noa vou usar o anonimato, meu nome tá em cima. E mais , agredir e até matar petistas nas ruas tá sendo valido, ora delegado o senhor tb está sendo seletivo,

    • Diretaço, Francisco. É absolutamente nonsense o comportamento dessa gente, que faz análises pretensamente sérias e profundas e, de repente escapa o ranço de preconceito e de conceitos seletivos.

  9. Juro que comecei a ler mas quando cheguei na parte “o competente secretário Beltrame, do Rio de Janeiro”, tive que sai correndo para o banheiro, a ânsia de vomito era enorme. Aos mais desavisados uma única observação: polícia é policia, politico é politico, não existe policial politico, o espírito policial já foi corroído pelo espírito politico.