Taradão do Palácio Iguaçu depõe hoje na Operação Publicano 1

taradao

O fotógrafo Marcelo Tchello Caramori, ex-assessor do governador Beto Richa (PSDB), que esteve preso ano passado sob a acusação de pedofilia, depõe hoje (17) como testemunha na Operação Publicano 1, que apura casos de corrupção na Receita Estadual.

Caramori fez acordo de delação premiada com o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), e está ajudando a desbaratar os esquemas de corrupção criados no governo do Estado.

Conhecido nos bastidores policiais e políticos como “Taradão do Palácio Iguaçu”, em virtude do cargo comissionado que tinha até janeiro de 2015 e pela sua prisão pela exploração de menores; Marcelo entregou as relações promíscuas do primo do governador, o lobista Luiz Abi Antoun, com a Receita Estadual, bem como as fraudes no governo do estado. 

Ele chegou a tatuar no braço “100% Beto Richa” para atestar sua lealdade ao governador. Mas pelo jeito, a lealdade não resistiu à prisão.

Além do fotógrafo, são mais de 200 testemunhas entre acusação e defesa que estão sendo ouvidas nessa fase da Operação. São cinquenta e dois réus residentes em londrina, num total de 19 audiências que tiveram início na segunda-feira, dia 15 no Tribunal do Juri, em Londrina.

Com informações do Portal Bonde e do Blog de Cícero Cattani.

Comentários encerrados.