“Richa achou que estava recebendo voz de prisão em solenidade do TRE”, relata deputado do PMDB

Deputado Nereu Moura: “O governador Beto Richa tinha certeza que a conversa era com ele, que foi solenemente ignorado. O único que o citou foi o ministro Dias Toffoli, momento em que o tucano achou que estava recebendo voz de prisão”; parlamentar relatou com exclusividade ao Blog do Esmael os momentos de constrangimento na posse do novo presidente do TRE-PR, Luiz Fernando Keppen, ontem à noite, em Curitiba; evento, que condenou caixa 2, corrupção, falsas promessas, foi prestigiado também pelo ministro Edson Fachin, do STF.

Deputado Nereu Moura: “O governador Beto Richa tinha certeza que a conversa era com ele, que foi solenemente ignorado. O único que o citou foi o ministro Dias Toffoli, momento em que o tucano achou que estava recebendo voz de prisão”; parlamentar relatou com exclusividade ao Blog do Esmael os momentos de constrangimento na posse do novo presidente do TRE-PR, Luiz Fernando Keppen, ontem à noite, em Curitiba; evento, que condenou caixa 2, corrupção, falsas promessas, foi prestigiado também pelo ministro Edson Fachin, do STF.

Conta do deputado estadual Nereu Moura, do PMDB, conta que o clima foi de total constrangimento na posse do novo presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR), Luiz Fernando Keppen, realizado na noite de ontem (12) em Curitiba.

Segundo o parlamentar, toda vez que alguém falava em caixa dois, corrupção, quadrilha e promessas falsas, o tucano parecia que iria entrar debaixo da cadeira.

“Também, maldosos, os magistrados discorriam sobre as propriedades da corda em casa de enforcado!”, ironiza Moura.

A solenidade de posse de Kepen, além do governador do Paraná, reuniu à mesa o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Dias Toffoli, o ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF).

“O governador Beto Richa tinha certeza que a conversa era com ele, que foi solenemente ignorado. O único que o citou foi o ministro Dias Toffoli, momento em que o tucano achou que estava recebendo voz de prisão”, relatou o deputado Nereu Moura.

Comentários encerrados.