Professores protestam contra Beto Richa em Paranaguá: “Chega de Zika: Mais educação, menos dengue”

"Mais educação, menos dengue"; essa era a palavra de ordem dos professores em Paranaguá, Litoral do Paraná, nesta sexta-feira (19), durante protesto contra o governador Beto Richa (PSDB) e o prefeito Edison Kersten (PMDB); cidade tem mais de 3 mil casos de dengue registrados; por outro lado, professores reclamavam de falta de aulas no leilão de distribuição aos profissionais do regime PSS.

“Mais educação, menos dengue”; essa era a palavra de ordem dos professores em Paranaguá, Litoral do Paraná, nesta sexta-feira (19), durante protesto contra o governador Beto Richa (PSDB) e o prefeito Edison Kersten (PMDB); cidade tem mais de 3 mil casos de dengue registrados; por outro lado, professores reclamavam de falta de aulas no leilão de distribuição aos profissionais do regime PSS.

O governador Beto Richa (PSDB) foi alvo de novos protestos em Paranaguá, Litoral do Paraná, na tarde desta sexta-feira (19).

Professores pediam ao tucano “mais educação” e ao prefeito Edison Kersten (PMDB) “menos dengue”. Chega de zika, portanto.

O município de Paranaguá registra desde o início deste ano uma epidemia de dengue. A cidade teve mais de 3 mil casos notificados, mais de mil confirmado, e quatro mortes até o início do mês de fevereiro.

Quanto à educação, é chover no molhado dizer que Beto Richa está sendo o pior governador para área.

Ocorreu(?) no dia de ontem leilão para a distribuição de aulas para os professores contratados em regime PSS. Deu quiproquó, de acordo com informações iniciais que chegaram até o Blog do Esmael.

Professores relatam que faltam vagas nas escolas porque turmas foram fechadas na “surdina”. Ontem, por exemplo, os mestres desse regime diferenciado ficaram chupando dedos esperando aulas que não vieram no leilão de distribuição.

“Onde estão as aulas do ano letivo 2016??? Sumiram…”, protestou uma professora PSS numa rede social.
Evidentemente, se professores não encontraram trabalhado é porque turmas foram extintas e haverá superlotação nas salas de aula no início do ano letivo de 2016.

O Blog do Esmael ainda está levantando mais dados a respeito desta questão nas 2,1 mil escolas da rede pública estadual. Se você tiver mais informações e dados, por favor, envie-os para o nosso e-mail.

Comentários encerrados.