Para Veja, Richa é ‘tucano problema’

do Brasil 247

Reportagem da revista destaca que Beto Richa "é o governador mais mal-avaliado do Brasil, segundo levantamento do Instituto Paraná Pesquisas", e "agora entrou na mira do Ministério Público", "acossado por duas frentes de investigação"; para a publicação, auge da queda de popularidade do tucano foi o massacre da PM do Paraná contra professores em abril de 2015; "O episódio foi criticado até pela cúpula do PSDB", destaca o texto.

Reportagem da revista destaca que Beto Richa “é o governador mais mal-avaliado do Brasil, segundo levantamento do Instituto Paraná Pesquisas”, e “agora entrou na mira do Ministério Público”, “acossado por duas frentes de investigação”; para a publicação, auge da queda de popularidade do tucano foi o massacre da PM do Paraná contra professores em abril de 2015; “O episódio foi criticado até pela cúpula do PSDB”, destaca o texto.

Campeão de avaliação negativa e agora na mira do Ministério Público, o governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), é considerado o “tucano problema” pela revista Veja, da Editora Abril.

Em uma extensa reportagem sobre Richa, a publicação destaca que ele “é o governador mais mal-avaliado do Brasil, segundo levantamento do Instituto Paraná Pesquisas”, e “agora entrou na mira do Ministério Público”, “acossado por duas frentes de investigação”.

A revista cita as operações Publicano e Quadro Negro, investigadas no Estado e cujas suspeitas são de que houve dinheiro desviado dos cofres públicos para abastecer a campanha de Richa e de seus aliados. Um caso envolve fraudes na Receita, o outro, desvio de verba que seria investida em escolas no Paraná.

Para a Veja, no entanto, o “estopim” para a baixa popularidade do governador foi a batalha do Centro Cívico – violência da Polícia Militar contra professores que manifestavam no centro de Curitiba em abril do ano passado, e que deixou mais de 200 servidores públicos feridos.

“O episódio foi criticado até pela cúpula do PSDB”, lembra a reportagem. O texto traz ainda uma lista, em ordem cronológica, com “os tropeços de Richa”, sendo o último deles o pedido feito este mês pelo Ministério Público Federal de abertura de investigação contra o governador tucano.

Comentários encerrados.