Blog do Esmael

A política como ela é em tempo real.

Outra vez, Richa segura repasse do judiciário; servidores ficam sem salário

Novo calote de Beto Richa (PSDB) é mais um capítulo da guerra travada entre o governo do estado com o judiciário paranaense; "Na queda de braço pelo o acesso aos depósitos judiciais, quem paga o pato são os servidores do judiciário", desabafou um servidor ao Blog do Esmael.

Novo calote de Beto Richa (PSDB) é mais um capítulo da guerra travada entre o governo do estado com o judiciário paranaense; “Na queda de braço pelo o acesso aos depósitos judiciais, quem paga o pato são os servidores do judiciário”, desabafou um servidor ao Blog do Esmael.

Os servidores e magistrados do judiciário paranaense ainda não receberam os salários e subsídios referentes ao mês de fevereiro. O dinheiro era para entrar na conta ontem (25).

Segundo o site do Tribunal de Justiça do Paraná (TJPR), os servidores não receberam até o momento em virtude do calote do governador Beto Richa (PSDB), que deixou de repassar o duodécimo orçamentário.

“Até a presente data (26/2), a Secretaria de Estado da Fazenda (Governo do Paraná) não repassou o valor do duodécimo orçamentário do mês de fevereiro/ 2016. Por este motivo, não foi possível até o momento pagar salários (subsídios) relativos ao mês de fevereiro aos servidores e magistrados do Poder Judiciário do Paraná.”, diz nota de esclarecimento na página oficial do TJPR.

“Na queda de braço pelo o acesso aos depósitos judiciais, quem paga o pato são os servidores do judiciário”, desabafou um servidor ao Blog do Esmael.

No mês passado, o secretário de Estado da Fazendo, Mauro Ricardo Costa, cortou os repasses alegando que o TJPR, Ministério Público e Tribunal de Contas do Estado (TCE) especulam no mercado financeiro com sobras orçamentárias e que seriam “ilhas de prosperidade” num estado em crise.

Além disso, o Palácio Iguaçu tabelou com órgãos da velha mídia para “massacrar” magistrados para desviar críticas ao governador Beto Richa (PSDB). Em virtude da reação do judiciário, houve pedido de desculpas e direito de resposta com base da Lei Requião (Lei 13.188/2015).

Contra o calote, fica aqui a solidariedade do Blog do Esmael com os servidores do judiciário paranaense.

Comentários desativados.