De olho em 2016, ‘Japa da Federal’ no PTN; Chistiane Yared parte para o PR

Assim como o Japa da Federal, Cristiane Yared sonha com a Prefeitura de Curitiba. A deputada é lembrada para a vice do deputado Requião Filho (PMDB).

Assim como o Japa da Federal, Cristiane Yared sonha com a Prefeitura de Curitiba. A deputada é lembrada para a vice do deputado Requião Filho (PMDB).

O troca-troca partidário promete ser intenso no Paraná até o próximo dia 19 de março, data fatal para a “janela da infidelidade”, quando os parlamentares podem mudar de sigla sem serem punidos com a perda dos respectivos mandatos. Também é o período de quem vai disputar as eleições de 2016 buscar um abrigo partidário.

Nesse balaio todo está o agente da Polícia Federal Newton Hidenori Ishii, o Japa da Federal, que deverá ingressar no PTN. Ele está de olho na Prefeitura de Curitiba. Antes, o Japa tentou o PSD, mas o partido apresentará o deputado estadual Ney Leprevost ao executivo da capital paranaense.

Quem também pulará a janela é a deputado federal Christiane Yared, a mais votada do Paraná, que deixará o PTN para filiar-se no Partido da República (PR). O convite foi formalizado pelo presidente estadual da legenda, o deputado federal Luiz Nishimori. A solenidade de filiação será no dia 7 de março.

Chistiane já havia se rebelado contra a direção do PTN e descumprido a orientação do partido de apoiar o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), envolvido em denúncias de corrupção. Ela também se queixava da falta da estrutura no PTN.

A mudança em si não representa uma grande guinada política para a deputada. Ela se elegeu na coligação da senadora Gleisi Hoffmann (PT) em 2014; e o PR compõe a base de sustentação do governo federal, inclusive ocupando o Ministério dos Transportes.

O único “porém” é que o PR esteve na coligação do governador Beto Richa (PSDB), mas não elegeu deputados estaduais.

Assim como o Japa da Federal, Cristiane Yared sonha com a Prefeitura de Curitiba. A deputada é lembrada para a vice do deputado Requião Filho (PMDB).

Comentários encerrados.