Beto Richa aplica tarifaço de 29% na conta de luz dos produtores rurais

Depois de quebrar o comércio com aumento de ICMS e substituição tributária, agora Beto Richa (PSDB) parte para cima dos produtores rurais -- chacareiros, avicultores, hortifrutigranjeiros, etc. -- com o fim do desconto na conta de luz; agronegócio teve tarifaço de 29% na conta de fevereiro; nenhuma palavra da Ocepar, Faep e da Assembleia Legislativa?; o melhor [ainda] está por vir?

Depois de quebrar o comércio com aumento de ICMS e substituição tributária, agora Beto Richa (PSDB) parte para cima dos produtores rurais — chacareiros, avicultores, hortifrutigranjeiros, etc. — com o fim do desconto na conta de luz; agronegócio teve tarifaço de 29% na conta de fevereiro; nenhuma palavra da Ocepar, Faep e da Assembleia Legislativa?; o melhor [ainda] está por vir?

O governador Beto Richa (PSDB) acabou com diferimento na tarifa da energia elétrica para os agricultores paranaenses. Com isso, a produção agropecuária teve aumento de 29% na conta deste mês de fevereiro. Uma pancada.

O governador tucano alterou o regulamento da cobrança do ICMS da energia para o produtor rural por meio do decreto 1600/2015, de junho do ano passado. (Note o caro leitor que não foi Dilma ou Gleisi que fizeram mais essa maldade).

Richa limitou o desconto de 29% do ICMS à faixa de consumo de mil quilowatts/horas, equivalente ao de uma casa de tamanho médio. Ou seja, na prática, o tucano revogou a isenção do imposto que era concedida desde o governo de Roberto Requião (PMDB).

O fim do desconto foi adiado de junho de 2015 para este mês de fevereiro de 2016 em virtude de pressões políticas, mas, ao final, o secretário da Fazenda, Mauro Ricardo Costa, venceu a queda de braço.

A medida do governo do estado pode inaugurar uma era de quebradeiras no campo, como pequenas granjas e empreendimentos agropecuários, a exemplo do que já ocorre no comércio urbano com o aumento do ICMS e a substituição tributária.

Diversos prefeitos do interior paranaense avaliam que o novo tarifaço inviabiliza a permanência do homem no campo, levando muitas famílias a abandonar a vida em chácaras no entorno dos municípios.

O dinheiro do novo tarifaço da Copel vai direto para o Caixa Único (CU) do governo Beto Richa, que é um buraco sem fim.

O agronegócio entrou na linha de tiro do tucanato em virtude de o setor responder pela geração de riquezas (35% do PIB) e ajudar elevar o Paraná à condição de quarta economia do país. Além disso, a agroindústria ou agropecuária respondem por 15% dos empregos formais no estado.

Mas a pergunta que não quer calar é: cadê Ágide Meneguette, o presidente da Federação da Agricultura do Paraná (FAEP)? Onde está o presidente da Ocepar, João Paulo Koslovski?

Enquanto isso, no Palácio Iguaçu, Richa e Mauro Ricardo são vistos com frequência cantarolando: “♪♪  O melhor está por vir ♫♫”.

18 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. beto playboy e Moro ator da globo .um acaba com o estado o outro municia o golpe

    • Que mané golpe o que, cara… Os petistas roubam mundos e fundos e agora vêm com essa de golpe? Se a casa cair e a maracutaia vir à tona, tem mais é que se lascar mesmo… ficar defendendo essa laia aí é só muita inocência

  2. O Papa Tudo e sua equipe vão limpar os bolsos dos paranaenses enquanto estiverem no governo…

  3. É o Macri na Argentina e o tucano Beto Richa no Paraná. A moeda com duas caras. Um dia o povo ainda vai entender a quem essa cambada serve.

  4. Normal do carlos alberto richa. Isto se chama ajuste fiscal no rabo do povo. Só ele goza. Os demais pagam a conta da zona do estado.

  5. O problema maior são para os que dependem da energia rural para produzir, como: suinocultores, avicultores, criadores de gado leiteiro, irrigação noturna… O governo atacou direta e profundamente no setor produtivo.

  6. Imagina só… O pequeno produtor que vive da sua produção não terá como bancar essa tarifa. Esses produtores já sofreram tanto no governo do Jaime Lerner agora que estavam sobrevivendo com dignidade tem que perder um benefício tão significativo.
    Muito triste.

  7. Uma casa de porte médio consumir mil quilowatts/horas, isso sim é ostentação. Uma casa com 4 pessoas adultas consome em média 150 quilowatts/hora.

    A Dilma fornece desconto a casas que utilizam apenas 100 (cem) quilowatts/horas.

    Acredito que muitos serão atingidos por esse aumento, mas não é isso que está tirando gente do campo.

    E além do mais o que torna o povo do campo mais especial aos que moram nas cidades? Toda a população brasileira está sofrendo com os aumentos abusivos em todos os setores devido as políticas econômicas irresponsáveis do nosso governo federal.
    (Quero que me responda aqui quem não está com o poder de compra diminuído)

    Falta sim é políticas públicas responsáveis e de qualidade em todos os níveis do governo.

    Estimulem a população a querer pescar, não a querer o peixe frito.

  8. Nunca mais voto nesse Richa , a Luz subiu 75 %. Água 60 % IPVA 40 % ICMS subiu tudo !! Quando Requião era governador era tudo mais barato essa é a verdade .

  9. Caro Esmael. Verifique sua fonte de informação. O Decreto a que o post se refere (1600/2015)traz algumas alterações na condição de dispensa de ICMS no consumo de energia elétrica na atividade rural mas não traz nenhuma limitação à quantidade de kw/h consumida. limitação

    • Você está equivocado:

      Introduz alteração no Regulamento do Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação – RICMS.
      O Governador do Estado do Paraná, no uso das atribuições que lhe confere o art. 87, inciso V, da Constituição Estadual e tendo em vista o contido no protocolo nº 13.639.352-9,

      Decreta:

      Art. 1º Fica introduzida no Regulamento do ICMS, aprovado pelo Decreto nº 6.080 , de 28 de setembro de 2012, a seguinte alteração:

      Alteração 641ª O § 3º do art. 113 passa a vigorar com a seguinte redação:

      “§ 3º Para efeitos do inciso VIII do “caput”, a fruição do diferimento fica condicionada:

      I – a que a energia elétrica seja consumida exclusivamente na atividade agropecuária;

      II – a que a unidade de consumo de energia elétrica:

      a) esteja localizada fora da zona urbana do município;

      b) esteja vinculada a estabelecimento do produtor rural inscrito no Cadastro de Produtores Rurais – CAD/PRO, nos termos que dispõe o art. 140;

      III – à adoção de medidores de energia distintos, na hipótese de consumo de energia elétrica em atividade diversa da agropecuária.”.

      Art. 2º Este Decreto entra em vigor na data da sua publicação, produzindo efeitos a partir de 1º de julho de 2015.

      Curitiba, 03 de junho de 2015, 194º da Independência e 127º da República.

      CARLOS ALBERTO RICHA

      Governador do Estado

      ALEXANDRE TEIXEIRA

      Chefe da Casa Civil em exercício

      MAURO RICARDO MACHADO COSTA

      Secretário de Estado da Fazenda

  10. Mesmo após todas as medidas tomadas contra o povo a fim de aumentar a arrecadação, ainda está faltando dinheiro para sustentar o caixa dois dos políticos. A principal razão foi o fechamento da torneira dos “corruptos fiscais do Estado” e da “construção de novas escolas”.

  11. os professores foram apenas os primeiros, depois vem o resto do povo do Parana, Tamo fud…

  12. este e outros são os projetos de beto lixo,escondidos não divulgado na campanha e não registrado na justiça eleitoral. JUSTIÇA vergonha.

  13. Segundo informações em uma grande empresa o Diretor aposentou e os gerentes abaixo estão sem chão. O que se vê são gerentes andando e reunindo o tempo todo meio sem rumo.

    Sabe aquela história do passarinho que fica com a boquinha aberta esperando a mãe que não chega, pois é morro e não vejo tudo.

    • Richa fez o Paraná ter a maior inflação em 2015, em segundo lugar ficou Goiás de Perillo e em quarto São Paulo de Alckmin. Aumentar a inflação, através do aumento de impostos e tarifas públicas parece ser a meta do PSDB. Depois eles vão à TV dizer que a culpa é de Dilma.