APP-Sindicato já faz campanha contra a “Bancada do Camburão” desde 2016

inimigos

Os parlamentares que apostaram na memória curta dos eleitores na hora de votar contra os professores e servidores estaduais, sobretudo no confisco da poupança previdenciária, não terão vida fácil nestas e nas eleições vindouras. A “Bancada do Camburão” também é identificada com o massacre de 29 de abril de 2015.

A APP-Sindicato iniciou uma campanha estadual de boicote aos deputados da “Bancada do Camburão” e seus aliados nas eleições municipais de 2016. Com o mote ‘Não vote em inimigos da educação’, a jornada mira os deputados aliados do governador Beto Richa (PSDB) e todos os candidatos a prefeito ou vereador apoiados por eles.

A entidade promete estender a campanha por todo o ano para enfraquecer os deputados governistas nas suas bases políticas. E, em 2018, quando for a vez de os parlamentares tentarem à reeleição, a cruzada contra a “Bancada do Camburão” voltará à tona com força total.

Para a empreitada dos educadores em 2016, foram confeccionados adesivos onde, além do mote ‘Não vote em inimigos da educação’, aparece um desenho com o camburão que levou os deputados governistas no fatídico 12 de fevereiro de 2015.

O adesivaço segue forte por todo o Paraná. Há locais, como Guarapuava, em que a campanha também ganhou o formato de outdoors.

Os parlamentares que apostaram na memória curta dos eleitores na hora de votar contra os professores e servidores estaduais, sobretudo no confisco da poupança previdenciária, não terão vida fácil nestas e nas eleições vindouras.

Mas, caso você não lembre, veja quais sãos os deputados que compõem a “bancada do camburão” na Assembleia:

– Ademar Traiano (PSDB)
– Alexandre Curi (PMDB)
– Alexandre Guimarães (PSC)
– André Bueno (PDT)
– Artagão Jr. (PMDB)
– Bernardo Ribas Carli (PSDB)
– Claudia Pereira (PSC)
– Cobra Repórter (PSC)
– Cristina Silvestri (PPS)
– Dr. Batista (PMN)
– Elio Rusch (DEM)
– Evandro Jr. (PSDB)
– Felipe Francischini (SD)
– Fernando Scanavaca (PDT)
– Francisco Bührer (PSDB)
– Guto Silva (PSC)
– Hussein Bakri (PSC)
– Jonas Guimarães (PMDB)
– Luiz Carlos Martins (PSD)
– Luiz Claudio Romanelli (PMDB)
– Marcio Nunes (PSC)
– Maria Victoria (PP)
– Mauro Moraes (PSDB)
– Missionário Ricardo Arruda (PSC)
– Nelson Justus (DEM)
– Paulo Litro (PSDB)
– Pedro Lupion (DEM)
– Plauto Miró (DEM)
– Schiavinato (PP)
– Tiago Amaral (PSB)
– Tião Medeiros (PTB)
– Wilmar Reichembach (PSC)
– Cantora Mara Lima (PSDB)

Comentários encerrados.