Após entrega do pré-sal, direita agora quer privatizar a Petrobras

do Brasil 247 

Animada com a aprovação do projeto que determina o fim da participação obrigatória da Petrobras na exploração do pré-sal, de autoria do senador José Serra (PSDB-SP), a direita brasileira se excita com a possibilidade de privatização da estatal; em artigo publicado na Veja desta semana, o ex-ministro da Fazenda Maílson da Nóbrega apresenta a proposta, que para ele "beneficiaria os funcionários da empresa e o Brasil"; "Contesto a ideia de que o petróleo é estratégico, brandida pelos que consideram a empresa uma vaca sagrada, intocável", escreveu o economista, em um texto publicado no Facebook.

Animada com a aprovação do projeto que determina o fim da participação obrigatória da Petrobras na exploração do pré-sal, de autoria do senador José Serra (PSDB-SP), a direita brasileira se excita com a possibilidade de privatização da estatal; em artigo publicado na Veja desta semana, o ex-ministro da Fazenda Maílson da Nóbrega apresenta a proposta, que para ele “beneficiaria os funcionários da empresa e o Brasil”; “Contesto a ideia de que o petróleo é estratégico, brandida pelos que consideram a empresa uma vaca sagrada, intocável”, escreveu o economista, em um texto publicado no Facebook.

Poucos dias depois da aprovação, no Senado, do projeto do senador José Serra (PSDB-SP) que determina o fim da participação obrigatória da Petrobras na exploração do pré-sal, o que abre o negócio para empresas estrangeiras, a direita brasileira, empolgada, já quer privatizar a estatal.

Em um artigo publicado na Veja deste fim de semana, o economista e ex-ministro da Fazenda do governo Sarney Maílson da Nóbrega propõe o debate, argumentando que a mudança “beneficiaria os funcionários da empresa e o Brasil”.

“Contesto a ideia de que o petróleo é estratégico, brandida pelos que consideram a empresa uma vaca sagrada, intocável”, escreveu o economista em sua página no Facebook, na última sexta-feira, em um texto em que adiantava a ideia do artigo. “Na verdade, a Petrobras foi privatizada pelos que a assaltaram com objetivos de manter-se no poder, financiar projetos políticos e enriquecer”, disse ele.

Abaixo, a íntegra de seu texto publicado no Facebook:

Meu artigo na Veja que circula neste fim de semana sugere discutir a privatização da Petrobrás. Contesto a ideia de que o petróleo é estratégico, brandida pelos que consideram a empresa uma vaca sagrada, intocável. Essa ideia predominou no mundo na primeira metade do século XX, mas foi seguidamente abandonada diante da globalização, da paz mundial e de novas reflexões sobre o tema. Na verdade, a Petrobras foi privatizada pelos que a assaltaram com objetivos de manter-se no poder, financiar projetos políticos e enriquecer. A Petrobrás, vítma de objetivos megalomaníacos do PT, está superendividada, perdeu prestígio internacional e as condições de participar ativamente da exploração do petróleo. Sua privatização beneficiaria os funcionários da empresa e o Brasil. Não eliminaria as vantagens de determos o petróleo, nem seu uso para gerar royalties e apoiar programas sociais.

Comentários encerrados.