Aliado do governo, Picciani é reeleito líder do PMDB na Câmara

picciani

A escolha de Leonardo Picciani para a liderança do PMDB na Câmara enfraquece a ala do PMDB que defende o rompimento com o governo. A decisão também pode selar o destino do presidente da casa, deputado Eduardo Cunha, que enfrenta um processo de cassação do seu mandato no Conselho de Ética e agora está em minoria em seu próprio partido.

Com 37 votos, o deputado Leonardo Picciani (RJ) foi reconduzido ao cargo de líder da bancada do PMDB na Câmara dos Deputados. Mais próximo ao Palácio do Planalto, Picciani venceu Hugo Motta, que obteve 30 votos. Motta era o candidato do presidente da Casa, o também peemedebista Eduardo Cunha (RJ).

A escolha da liderança da bancada do partido é uma das mais esperadas neste início de ano em função dos reflexos que o nome terá sobre as decisões na Câmara, entre elas a pauta de votações do governo e o processo de impeachment da presidenta Dilma Rousseff.

A eleição de Picciani é entendida como favorável ao Planalto e enfraquece uma parcela do PMDB que defende o rompimento com o governo. A escolha também pode ter impacto no destino de Cunha, que enfrenta um processo de cassação de mandato no Conselho de Ética. 

Maior bancada na Câmara, o PMDB tem força sobre a tramitação de projetos importantes para o governo. Além disso, também compete ao líder a indicação dos oito integrantes do partido na comissão especial que analisará o pedido de impedimento da presidenta.

Via Agência Brasil, editado. 

Comentários encerrados.