26 de fevereiro de 2016
por Esmael Morais
16 Comentários

Polícia Federal irá investigar FHC por pagamentos a Mirian Dutra

via Brasil 247.

A Polícia Federal decidiu investigar o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso por repasses feitos pelo tucano à sua ex-amante, Mirian Dutra, no exterior, entre 2002 e 2006.

Em entrevistas recentes à imprensa, a jornalista, que trabalhou 35 anos na TV Globo, revelou que FHC lhe pagava uma mesada por meio da empresa Brasif, que controlava free shops nos aeroportos brasileiros.

Segundo a jornalista, o tucano teria depositado US$ 100 mil na conta da Brasif, que repassava a ela mensalmente, em parcelas de US$ 3 mil, por meio de um contrato fictício de trabalho que nunca foi cumprido.

À época, Mirian vivia na Espanha com o filho Tomás. Pela Globo, ela também morou em Londres e em Lisboa, mas seu trabalho dificilmente era veiculado na emissora, como relatou em uma entrevista à revista Brazil com Z.

Em nota, a Brasif confirmou ter contratado a jornalista Mirian Dutra Schmidt, em 2002, mas negou participação do ex-presidente na contratação ou no depósito de dinheiro na conta da empresa para ser repassado a ela.

A empresa também disse que a contratação de Mirian foi uma indicação de Fernando Lemos, cunhado da jornalista. A nota informa que a Brasif Duty Free Shop e a Eurotrade Ltd foram vendidas em 2006.

A jornalista diz que Tomás é filho de FHC, mas dois exames de DNA deram resultado negativo. Nesta mesma entrevista, ela sugere que o ex-presidente possa ter comprado o exame e nega que o tucano tenha alguma vez reconhecido a paternidade, conforme já foi divulgado.

Nesta semana, deputados do PT e do PCdoB foram ao Ministério da Justiça apresentar formalmente um pedido de investigação sobre as denúncias de Mirian Dutra contra Fernando Henrique.

Leia mais

26 de fevereiro de 2016
por Esmael Morais
23 Comentários

Outra vez, Richa segura repasse do judiciário; servidores ficam sem salário

Os servidores e magistrados do judiciário paranaense ainda não receberam os salários e subsídios referentes ao mês de fevereiro. O dinheiro era para entrar na conta ontem (25).

Segundo o site do Tribunal de Justiça do Paraná (TJPR), os servidores não receberam até o momento em virtude do calote do governador Beto Richa (PSDB), que deixou de repassar o duodécimo orçamentário.

“Até a presente data (26/2), a Secretaria de Estado da Fazenda (Governo do Paraná) não repassou o valor do duodécimo orçamentário do mês de fevereiro/ 2016. Por este motivo, não foi possível até o momento pagar salários (subsídios) relativos ao mês de fevereiro aos servidores e magistrados do Poder Judiciário do Paraná.”, diz nota de esclarecimento na página oficial do TJPR.

“Na queda de braço pelo o acesso aos depósitos judiciais, quem paga o pato são os servidores do judiciário”, desabafou um servidor ao Blog do Esmael.

No mês passado, o secretário de Estado da Fazendo, Mauro Ricardo Costa, cortou os repasses alegando que o TJPR, Ministério Público e Tribunal de Contas do Estado (TCE) especulam no mercado financeiro com sobras orçamentárias e que seriam “ilhas de prosperidade” num estado em crise.

Além disso, o Palácio Iguaçu tabelou com órgãos da velha mídia para “massacrar” magistrados para desviar críticas ao governador Beto Richa (PSDB). Em virtude da reação do judiciário, houve pedido de desculpas e direito de resposta com base da Lei Requião (Lei 13.188/2015).

C Leia mais

26 de fevereiro de 2016
por Esmael Morais
13 Comentários

Governo Richa teve esquema de R$ 1 bi na Receita Estadual, diz MP

A Receita Estadual do Paraná teve prejuízo de R$ 1 bilhão devido esquemas de corrupção, segundo a Operação Publicano, que investiga propinas no órgão fazendário.

O dinheiro das propinas teria drenado a campanha de reeleição do governador Beto Richa (PSDB), de acordo com o Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado).

O Gaeco, braço policial do Ministério Público do Paraná, aponta existência de uma quadrilha dentro do governo do estado.

O levantamento do MP foi repassado na semana passada à Secretaria de Estado da Fazenda (SEFA).

O governador tucano foi indiciado pela Procuradoria Geral da República (PGR), que pediu abertura de investigação no Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Além de Richa, o lobista Luiz Abi Antoun, primo do governador, é apontado pelo MP como chefe da quadrilha.

As investigações apontam que o pagamento da propina ocorria de várias formas, como emissão artificial de créditos de ICMS (Impostos sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) e uso de empresas ‘laranjas’ para empréstimos de notas ficais frias. De acordo com o Ministério Público (MP-PR), havia, inclusive, uma “caixinha”, reserva a ser usada com o objetivo de pagar advogados caso o esquema fosse descoberto.

Promotores diz Leia mais

26 de fevereiro de 2016
por Esmael Morais
9 Comentários

Beto Richa foge de homenagem para não ser vaiado em Campo Mourão

A Comunidade dos Municípios da Região de Campo Mourão (Comcam) realizou ontem (25) uma solenidade para homenagear o governador Beto Richa (PSDB) e outras personalidades com o Troféu “Coração do Paraná”. Como “gato escaldado tem medo até de água fria”, o tucano preferiu não ir e também não indicou representante.

O governador do PSDB, por onde quer que vá, enfrenta uma forte onda de protestos de educadores da rede pública estadual e de cidadãos inconformados com sua desastrosa gestão.

Ainda ontem pela manhã, um grupo de professores fez bastante barulho em Bandeirantes, numa solenidade em que Richa foi inaugurar uma escola construída com recursos federais. Aliás, só mesmo pegando carona no governo federal é que Richa encontra o que inaugurar. Mesmo com forte aparato policial e com os servidores municipais escalados para fazer número no evento, o constrangimento foi geral.

Pois bem, na solenidade em Campo Mourão, quem pagou pela ausência do governador foram dois deputados da “Bancada do Camburão”, Marcio Nunes (PSC) e o secretário estadual de Esportes, deputado licenciado Douglas Fabrício (PPS). As vaias e o protesto que seriam para Richa, acabaram sobrando para ele Leia mais

26 de fevereiro de 2016
por Esmael Morais
20 Comentários

Estudantes querem “estatização”, congelamento das mensalidades e democratização na PUCPR

Um movimento chamado #DemocraciaPUCPR organizado pelo Diretório Central dos Estudantes (DCE), Centros Acadêmicos, organizações atléticas, coletivos e estudantes independentes está sacudindo a Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR) neste início de ano.

Eles reivindicam o congelamento das altíssimas mensalidades da instituição e mais uma série de questões que envolvem desde a cobrança abusiva pelo estacionamento até a democratização da gestão da universidade.

Os estudantes da PUCPR têm histórico de radicalidade nas reivindicações haja vista a célebre ocupação da Reitoria em 1992.

Como ironia, os estudantes falam em “formalizar” a estatização da PUCPR, pois ela recebe fábulas em investimento federal e cobra uma das mensalidades mais caras do país. Ou seja, o investimento de recursos é público, entretanto, a apropriação do lucro é privada. Isso sem falar nas isenções de impostos, pois a universidade é da Igreja Católica e tem caráter filantrópico.

O Movimento irá se reunir e retomar as negociações com a reitoria da instituição na próxima segunda-feira, dia 29 de fevereiro. O encontro poderá resultar num grupo de trabalho proposto para debater as pautas. A expectativa é de que esta rodada de negociação seja decisiva para os rumos do movimento.

O movimento #DemocraciaPUCPR defende 14 propostas para a universidade, que foram aprovadas em assembleia geral dos estudantes no início deste mês. Além das mensalidades e do estacionamento, constam da pauta a paridade dos conselhos deliberativos; a demissão do Vice-Reitor e do Pró-Reitor Administrativo; reintegração de trabalhadores demitidos, entre outras.

No campo da mobilização, o movimento está divulgando a reivindicação da comunidade acadêmica, mas tamb Leia mais

26 de fevereiro de 2016
por Esmael Morais
6 Comentários

PF cumpre mandados em seis estados em operação da Lava Jato

da Agência Brasil

Agentes da Polícia Federal (PF) estão cumprindo hoje (26) mandados judiciais em seis estados e no Distrito Federal. Segundo nota da PF, a Operação Recebedor investiga desdobramentos de fatos apurados na Operação Lava Jato, com base em informações colhidas em acordo de leniência e delação premiada de um dos investigados. Ele forneceu documentos e provas testemunhais contra empresas e pessoas que também teriam participado do esquema criminoso.

A PF executa sete mandados de condução coercitiva (quando a pessoa é levada para prestar depoimento e depois liberada) e 44 mandados de busca, que estão sendo cumpridos simultaneamente nos estados do Paraná, Maranhão, Rio de Janeiro, de Minas Gerais, São Paulo, Goiás e no Distrito Federal. Membros do Ministério Público Federal em Goiás participam dos trabalhos.

De acordo com o texto, as buscas visam a colher provas do pagamento de propina para a construção das ferrovias Norte-Sul e Integração Leste-Oeste, bem como da prática de cartel e lavagem de dinheiro ilícito obtido por meio do superfaturamento de obras públicas.

Somente no estado de Goiás, foi detectado desvio de mais de R$ 630 milhões, considerando-se somente os trechos executados na construção da Ferrovia Norte-Sul.

De acordo com as investigações, as empreiteiras faziam pagamentos regulares, por meio de contratos simulados a um escritório de advocacia e a mais duas empresas sediadas em Goiás, que eram utilizadas como fachada para maquiar a origem lícita do dinheiro, proveniente de fraudes em licitações públicas.

Todos os investigados responderão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

A operação será detalhada em entrevista, às 10h, na sede da Superintendência da Polícia Federal em Goiânia.

Leia mais
bruno_meirinho

26 de fevereiro de 2016
por Esmael Morais
3 Comentários

Coluna do Bruno Meirinho: A hipótese do socialismo americano

Download áudio

Bruno Meirinho*

Bernie Sanders, um político que reivindica ideias socialistas, tem recebido um apoio surpreendente na disputa das prévias do partido democrata para a eleição presidencial dos Estados Unidos. Em três estados, venceu em um e ameaçou a hegemonia de Hilary Clinton nos outros.

O crescimento da candidatura de Bernie Sanders é surpreendente por dois motivos: primeiro, embora o partido democrata tenha ideias mais à esquerda que o partido republicano, não costuma falar em socialismo; e segundo, não se espera que o socialismo possa vingar, justamente, nos Estados Unidos, o centro do capitalismo mundial.

Mas é engano pensar que a hipótese do socialismo americano é uma novidade. O fenômeno Bernie Sanders lembra a histórica participação eleitoral de Upton Sinclair, um político integrante do “Partido Socialista da América” (que existia no começo do século 20) que em 1934 disputou como candidato do partido democrata as eleições para governador da Califórnia e ficou em segundo lugar, com incríveis 38% dos votos. O maior resultado já alcançado por um socialista naquele país.

Em geral, socialistas não fazem parte do partido democrata, mas, quando Leia mais

Belinati

26 de fevereiro de 2016
por Esmael Morais
13 Comentários

Coluna do Marcelo Belinati: Contrassenso entre medidas contra a corrupção e a repatriação de dinheiro

Download áudio

Marcelo Belinati*

País do contrassenso? Talvez uma expressão exagerada, mas em diversos pontos uma verdade quase absoluta sobre os acontecimentos recentes da história do nosso país.

Por um lado, o Congresso aprova a repatriação de recursos depositados no exterior (ressalto que votei contra), por outro o MPF, com amplo apoio da sociedade civil organizada, conquista 1,5 milhão de assinaturas necessárias para projeto de inciativa popular anticorrupção da campanha “10 Medidas Contra a Corrupção”.

Entendo que a repatriação dos recursos do exterior, é um dos maiores absurdos da história recente do Brasil.

Pessoas com recursos não declarados no exterior poderão trazê-lo de volta e legalizá-lo, sem sequer ter que informar a origem do dinheiro. É isso mesmo! Você não leu errado não…

Significa dizer que dinheiro de qualquer origem, duvidosa ou não, possa voltar para o Brasil mediante apenas pagamento de 30% para o governo em impostos e multa.

Ao invés de pagar 225% de multa sobre o valor devido, e responder na Justiça e na esfera administrativa, o responsável pela evasão de dinheiro será anistiado de punições, devendo pagar, no máximo, 30% do valor repatriado, sendo 15% em Impo Leia mais

26 de fevereiro de 2016
por Esmael Morais
Comentários desativados em O que diz a velha mídia nesta sexta

O que diz a velha mídia nesta sexta

160575Jornais do Paraná ... 

Leia mais