18 de fevereiro de 2016
por Esmael Morais
25 Comentários

Lula pede investigação de mansão triplex de herdeiros da Globo

Lula_triplex_MarinhosO ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva durante almoço com a bancada de senadores do PT, em São Paulo, nesta quinta-feira (18), pediu para que o Ministério Público investigue a mansão dos irmãos Marinhos, donos da Globo, em Paraty, litoral carioca.

“Investiguem o que quiserem, não acharão nada que me incrimine. Gostaria que todos que estão denunciando e me criticando se colocassem a uma investigação semelhante, a começar pelos irmãos Marinhos e sua mansão no litoral carioca”, desafiou o ex-presidente.

A senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), presente ao encontro que avançou pela tarde, relatou ao Blog do Esmael que Lula estava sereno e confiante. Ele disse à bancada petista: “meu único patrimônio meu que cresceu durante meu mandato foi o patrimônio moral, e esse ninguém vai me tirar”.

“Almoçamos e passamos a tarde conversando com ele. Fomos levar nosso apoio, carinho e solidariedade”, contou Gleisi.

O ex-presidente Lula pediu aos senadores que ajam ofensivamente na política e na economia porque, segundo ele, os petistas têm moral política para discutir com quem quer que seja.

“Na economia, temos de defender emprego e renda e colocar dinheiro na mão dos pobres. O mercado não torce pelo Brasil. Torce pra ele mesmo”, filosofou Lula.

Acerca do triplex dos Marinhos Leia mais

18 de fevereiro de 2016
por Esmael Morais
7 Comentários

Vem aí a “OPERAÇÃO MÍDIA NEGRA”

midia_negra_gaecoO presidente da Assembleia Legislativa do Paraná (ALEP), Ademar Traiano (PSDB), recebeu em almoço nesta quinta-feira (18) os barões da mídia do estado que foram ouvir como seriam distribuídos R$ 25 milhões de propaganda para melhorar a imagem da Casa e da “Bancada do Camburão”.

O presidente da ALEP chegou a anunciar em dezembro do ano passado, na abertura do Congresso de Radiodifusores, em Foz do Iguaçu, o formato licitação e da distribuição da verba publicitária: 70% para as tevês, 20% para as rádios, e 10% para os jornais. Isto, antes de estourar o escândalo da Operação Quadro Negro.

Agora, segundo orelha seca do Blog do Esmael, a ideia da ALEP é devolver um “chequão” daqueles carimbado para a Secretaria de Estado da Comunicação Social, que seria a responsável pela partilha entre os donos de TVs, rádios e jornais. Leia mais

18 de fevereiro de 2016
por admin
6 Comentários

APP-Sindicato já faz campanha contra a “Bancada do Camburão” desde 2016

A APP-Sindicato iniciou uma campanha estadual de boicote aos deputados da “Bancada do Camburão” e seus aliados nas eleições municipais de 2016. Com o mote ‘Não vote em inimigos da educação’, a jornada mira os deputados aliados do governador Beto Richa (PSDB) e todos os candidatos a prefeito ou vereador apoiados por eles.

A entidade promete estender a campanha por todo o ano para enfraquecer os deputados governistas nas suas bases políticas. E, em 2018, quando for a vez de os parlamentares tentarem à reeleição, a cruzada contra a “Bancada do Camburão” voltará à tona com força total.

Para a empreitada dos educadores em 2016, foram confeccionados adesivos onde, além do mote ‘Não vote em inimigos da educação’, aparece um desenho com o camburão que levou os deputados governistas no fatídico 12 de fevereiro de 2015.

O adesivaço segue forte por todo o Paraná. Há locais, como Guarapuava, em que a campanha também ganhou o formato de outdoors.

Os parlamentares que apostaram na memória curta dos eleitores na hora de votar contra os professores e servidores estaduais, sobretudo no confisco da poupança previdenciária, não terão vida fácil nestas e nas eleições vindouras.

Mas, caso você não lembre, veja quais sãos os deputados que compõem a “bancada do camburão” na Assembleia:

– Ademar Traiano (PSDB)
– Alexandre Curi (PMDB)
– Alexandre Guimarães (PSC)
– André Bueno (PDT)
Leia mais

18 de fevereiro de 2016
por Esmael Morais
9 Comentários

Garganta Profunda de Londrina: Beto Richa, o novo caçador de marajás

O governador Beto Richa (PSDB) iniciou uma implacável cruzada contra os “marajás” no judiciário, conforme anotou o Blog do Esmael na última terça-feira (16) — clique aqui.

Até as capivaras do Parque Barigui sabem que as flechas disparadas contra as mordomias de juízes, promotores e procuradores de Justiça foram disparadas da vizinhança.

O expoente dessa caçada se utiliza de freelancers para atingir o “inimigo”.

Garganta Profunda de Londrina, principal informante desta página no Palácio Iguaçu, compara o tucano ao então governador das Alagoas “caçador de marajás” Fernando Collor de Mello — que chegou à Presidência graças ao conluio com a velha mídia. Depois foi cassado por corrupção. (A História se repete de forma invertida: o primeiro queria entrar, o segundo luta para ficar no cargo).

Não é somente o nosso Julian Assange das Araucárias que vê semelhança entre Collor e Richa. Outros tantos observadores da política paranaense e brasileira detectam em ambos “a síndrome do galã”.

O X-9 do Blog do Esmael instalado na antessala do governador tucano relata que, depois de iniciado o bombardeio contra o Poder Judiciário, a entourage de Beto Richa agora teme retaliações de promotores e juízes que podem ser implacáveis nas ações da Operação Publicano (corrupção na Receita Estadual) e da Operação Quadro Negro (escolas não construídas).

Ao atacar a magistratura, os “luas pretas” palacianos esperam tirar o chefe da linha de fogo.

Entretanto, para consumo externo, Beto Richa dissimula se dizendo “surpreso” com a folha de pagamento do judiciário.

Leia mais

18 de fevereiro de 2016
por admin
15 Comentários

STF rasga princípio da inocência e autoriza prisão já em 2ª instância

Por 7 votos a 4, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu nesta quarta-feira (17) que pessoas condenadas em segunda instância devem começar a cumprir pena antes do final do processo. A decisão fere o princípio constitucional da presunção da inocência.

Com a decisão, um condenado poderá iniciar o cumprimento da pena se o juízo de segunda instância rejeitar a apelação e mantiver a condenação definida pelo Juiz de primeiro grau.

Votaram a favor do cumprimento da pena antes do fim de todos os recursos os ministros Teori Zavascki, Edson Fachin, Luís Roberto Barroso, Cármen Lúcia, Dias Toffoli, Luiz Fux e Gilmar Mendes.

Para sustentar a decisão, os ministros justificam a demora do processo até que se esgotem todas as possibilidades de recursos, além do clamor da opinião pública. Em que pese os argumentos serem válidos, a decisão abre um precedente perigoso, pois o número de condenações que são alteradas na instância superior (STJ ou STF) é alto, e não há como reparar ou devolver o tempo em que uma pessoa permanece encarcerada.

Já os ministros Marco Aurélio, Rosa Weber, Celso de Mello e o presidente, Ricardo Lewandowski, divergiram da maioria, votando contra.

Para o ministro Marco Aurélio, a Constituição determina que ninguém pode cumprir pena antes do fim de todos os recursos possíveis. “Vindo um título condenatório provisório, que ainda está sujeito a modificação mediante recurso a ser modificado, a liberdade será devolvida ao cidadão?”, questionou o ministro.

Lewandowski divergiu da maioria por entender que a Constituição é clara ao definir que ninguém pode cumprir pena antecipada antes do trânsito em julgado. O presidente também disse que ficou perplexo com a mudança de posicionamento da Corte, que, segundo ele, vai implicar no aumento da população carcerária.

“Queria manifestar minha perplexidade desta guinada da Corte com relação à esta decisão paradigmática. Minha perplexidade diante do fato dela ser tomada logo depois de termos assentado que o sistema penitenciário b Leia mais

18 de fevereiro de 2016
por Esmael Morais
8 Comentários

‘Ou cai o preço da tarifa do ônibus ou cai o prefeito Fruet’, diz movimento contra R$ 3,70

protesto_fruetO Movimento Contra o Roubo na Tarifa do Ônibus de Curitiba promete novo protesto nesta quinta-feira (18), às 18 horas, na Boca Maldita, com o objetivo de baixar o preço da passagem no transporte coletivo.

“3,70 nem tente” é o bordão do protesto de hoje, cuja organização é da Frente de Luta pelo Transporte — que reúne várias entidades.

‘Ou cai o preço da tarifa do ônibus ou cai o prefeito Gustavo Fruet’, irão reivindicar logo mais os manifestantes, numa clara radicalização do movimento contra o pedetista. Leia mais

18 de fevereiro de 2016
por Esmael Morais
25 Comentários

FHC pagou ex-amante no exterior e bancou abortos com empresa laranja

do Brasil 247

Após quebrar o silêncio de 30 anos sobre sua relação extraconjulgal com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, a jornalista Mirian Dutra afirma que o tucano mandava dinheiro para ela e seu filho, Tomas Dutra, no exterior, através da empresa Brasif S.A. Exportação e Importação.

Em entrevista à colunista Mônica Bergamo, ela afirma que a transferência foi feita por meio da assinatura de um contrato fictício de trabalho, celebrado em dezembro de 2002 e com validade até dezembro de 2006.

“Eu não quero morrer amanhã e tudo isso ficar na tumba. Eu quero falar e fechar a página”, afirma.

No contrato com a Eurotrade Ltd., empresa da Brasif com sede nas Ilhas Cayman, a jornalista deveria prestar “serviços de acompanhamento e análise do mercado de vendas a varejo a viajantes”, fazendo pesquisas “tanto em lojas convencionais como em duty free shops e tax free shops” em países da Europa.

“Eu trabalhava na TV Globo e tive um corte de 40% no salário em 2002. Me pagavam US$ 4.000. Eu estava superendividada, vivia de cartões de crédito e fazendo empréstimo no banco. Me arrumaram esse contrato para pagar o restante”, afirma Mirian, que disse que “jamais pisou” em uma loja convencional ou em um duty free para trabalhar.

O acordo foi mediado pelo lobista Fernando Lemos, morto em 2012, que era casado com Margrit Dutra Schmidt, irmã de Mirian.

“Ele (FHC) me contou que depositou US$ 100 mil na conta da Brasif no exterior, para a empresa fazer o contrato e ir me pagando por mês, como um contrato normal. O dinheiro não saiu dos cofres da Brasif e sim do bolso do FHC”, diz. “Por que ninguém nunca investigou isso? Por que ninguém nunca investigou as contas que o Fernando Henrique tem aqui fora?”, questionada Miriam.

O empresário Jonas Barcellos, dono da Brasif, não nega o acerto. Mas diz não se lembrar de detalhes.

Em nota, FHC negou que tenha utilizado a empresa Brasif S.A. Exportação e Importação para enviar recursos para ajudar a jornalista. Ele admite, no entanto, manter contas no exterior, ter mandado dinheiro para Tomás e ter lhe presenteado recentemente com um apartamento de € 200 mil em Barcelona, na Espanha.

Em trechos de outra entrevista concedida à colunista Natuza Nery, Miriam relata detalhes do seu sofrimento na época: “Quando disse que estava grávida, ele disse “você pode ter este filho de quem você quiser, menos meu”. Eu falei: “não acredito que estou escutando isso de uma pessoa que está há seis anos comigo”. Ela revela ter feito outros a Leia mais

18 de fevereiro de 2016
por Esmael Morais
8 Comentários

Coluna do Reinaldo de Almeida César: Richa manda ‘beijinhos no ombro’ ao invés de cumprir palavra com policiais

Reinaldo de Almeida César*

Alertado por um bom amigo, do risco de ver o resultado de minha dedicação e esforços ser esfumaçado por uma descarada usurpação, perdi os freios inibitórios e resolvi assumir os feitos (e também os fracassos) de minha passagem pela Secretaria de Segurança Pública, entre os anos de 2011 e 2012, período em que se elaborou e se apresentou o programa “Paraná Seguro”, que depois foi reeditado e requentado, como compromisso de campanha, na eleição de 2014.

Decidido, pois, a refletir e a registrar tudo o que aconteceu, comecei a escrever e não parei mais.

Resultado, reuni pouco mais de duas centenas de páginas de memórias e documentos sobre os acontecimentos daquele período, divagando de maneira especial sobre a elaboração, o conteúdo e sobre o que já foi realizado no contexto do programa “Paraná Seguro”, tal como concebido.

Contudo, a cada vez que meus indômitos botões me perguntam se algum dia haverei de publicar estas reminiscências na íntegra, acabo me recordando da fina ironia e do humor cortante de Nelson Rodrigues, para quem “todo memorialista é um mentiroso”.

***
Assim que assumi a SESP, em janeiro de 2011, logo de imediato, não mais que de repente, um enorme problema tomou espaço em minha mesa de trabalho e em minhas preocupações.

Ocorre que, no apagar das luzes da legislatura anterior, em plena efervescência do período eleitoral de 2010, a Alep aprovou a PEC 64, ao apreciar a Emenda 29, estabelecendo um prazo fatal de 180 dias para o governo implantar o subsídio previsto constitucionalmente como forma de remuneração para policiais civis, militares e bombeiros.

Faço uma apertada síntese dos fatos para dizer que, ao final e ao cabo, depois de muita argumentação, exaustivas reuniões e de legítimas manifestações sindicais e classistas, conquistou-se para nossos dedicados policiais, em maio de 2012, a maior remuneração entre as forças de segurança do Brasil, tendo como pano de fundo a implantação do subsídio.

As tabelas de vencimentos das polícias do Paraná foram, então, ao topo da escala remuneratória nacional, servindo a partir daí de referências nas pretensões e reivindicações salariais das forças de polícia pelo Brasil afora, incluindo a Polícia Federal.

Lembro-me do telefonema que recebi do então presidente da Associação Nacional dos Delegados da PF, Marcos Leoncio, pedindo-me que lhe enviasse com urgência a nova tabela implantada, a fim de que na audiência que teria naquele dia com o Ministro da Justiça, pudesse ele mostrar a tabela do Paraná, onde delegados da Civil tinham ultrapassado o patamar de remuneração dos delegados federais.

O governador Alckmin, certa feita, disse ao governador Beto Richa que as novas tabelas das polícias do Paraná haviam lhe criado enormes dificuldades em São Paulo.

Os policiais do Paraná devem muito deste extraordinário resultado obtido na implantação do subsídio ao então secretário de Administração, Luis Eduardo Sebastiani, que soube compreender a fundamental importância de se remunerar com dignidade os trabalhadores da segurança pública.

Abro aqui um p Leia mais

18 de fevereiro de 2016
por admin
6 Comentários

Coluna do Requião Filho: Transparência X Beto Richa

Download áudio

Requião Filho*

Tem coisas que não se misturam, não se completam ou não se combinam, como água e óleo, Deus e o diabo e o grande exemplo paranaense “Beto Richa e a Transparência”.

Há quem acredite que transparência é só portal da transparência, mas é algo bem mais amplo e envolve, principalmente, as contas do Estado.

Vejam só o famigerado Caixa Único-CU, que mistura em uma mesma conta praticamente todas as verbas do Estado, fazendo uma verdadeira lambança com o dinheiro público. Até mesmo o próprio Governador, recentemente, se disse surpreso por ter o Tribunal de Contas conseguido desvendar a destinação para a empresa Valor, investigada pelo GAECO, do dinheiro excedente devolvido pela ALEP.

Estaria Beto Richa realmente surpreso com a capacidade do TCE-PR desvendar os obscuros caminhos do Caixa Único, ou por não ter dado certo o seu plano de construir um labirinto contábil??!!

Da eventual surpresa do Governador só se tem uma certeza: a de que o Caixa Único foi inventado para por fim à transparência, criando um regime sombrio sobre as contas do Estado.

No discurso de ontem, como novo Líder da Oposição, demonstrei que o Estado do Paraná se vale de todos os meios para dificultar, quiçá esconder seus atos, e não mede esforços para conseguir o seu intento, exemplos claros foram alguns dos diversos vetos encaminhados pelo Governo, que pisoteiam tanto na autonomia quanto no poder de fiscalização da ALEP.

Seja o que for, venha da forma que vier, com os empecilhos, armadilhas e obstáculos inimagináveis, não interessa! Vamos continuar, sem medo, questionando, fiscalizando e denunciando as contas e os atos do Governo Estadual!

*Requião Filho é advogado, deputado estadual pelo PMDB e líder da oposição na Assembleia Legislativa do Paraná, especialista em políticas públicas.

Leia mais