Por Esmael Morais

Traiano arranca com 3,7% ao governo, diz pesquisa do Palácio Iguaçu

Publicado em 27/12/2015

O surgimento do nome de Traiano para liderar o grupo ligado ao governador Beto Richa, também do PSDB, teria como objetivo barrar o avanço da família Barros (leia-se a vice Cida Borghetti, do PROS, e o marido dela, deputado Ricardo Barros, do PP).

A engenharia política dos tucanos também contemplaria o deputado licenciado e secretário de Urbanismo (SEDU), Ratinho Júnior, do PSC, que retornaria à Assembleia para presidi-la a partir de 2017.

Ratinho e Richa, juntos, sairiam em dobradinha candidatos a Senado pela chapa de Traiano em 2018.