PGR pede afastamento de Cunha no STF; se empurrar, agora cai…

Para complicar a situação, veio à tona hoje à tarde que Cunha pediu propina de R$ 52 milhões para liberar dinheiro do FI-FGTS -- um fundo constituído por recursos dos trabalhadores. O presidente da Câmara, segundo a Época, parcelou a propina em 36 vezes. Ou seja, criou a figura da propina no crediário.

Para complicar a situação, veio à tona hoje à tarde que Cunha pediu propina de R$ 52 milhões para liberar dinheiro do FI-FGTS — um fundo constituído por recursos dos trabalhadores. O presidente da Câmara, segundo a Época, parcelou a propina em 36 vezes. Ou seja, criou a figura da propina no crediário.

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, nesta quarta-feira (16), pediu o afastamento do deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) da presidência da Câmara. O pedido foi protocolado ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Teori Zavascki, relator da Operação Lava Jato na corte.

“O Eduardo Cunha tem adotado, há muito, posicionamentos absolutamente incompatíveis com o devido processo legal, valendo-se de sua prerrogativa de Presidente da Câmara dos Deputados unicamente com o propósito de autoproteção mediante ações espúrias para evitar a apuração de sua condutas, tanto na esfera penal como na esfera política”, fundamentou Janot.

Para complicar a situação, veio à tona hoje à tarde que Cunha pediu propina de R$ 52 milhões para liberar dinheiro do FI-FGTS — um fundo constituído por recursos dos trabalhadores. O presidente da Câmara, segundo a Época, parcelou a propina em 36 vezes. Ou seja, criou a figura da propina no crediário.

Comentários encerrados.