“Richa envia para SP tropas da PM para ajudar Alckmin a lidar com escolas”

choqueA piada do Site Sensacionalista é muito boa. Isso prova que os brasileiros conseguem rir até das situações mais trágicas, pois o que os governos do PSDB estão fazendo com a educação pública é realmente uma tragédia. Os destaques no quesito crueldade são, com certeza, Geraldo Alckmin, em São Paulo, e Beto Richa, no Paraná.

A “notícia” segundo qual Beto Richa estaria mandando tropas da PM para ajudar Alckmin remete à maneira “carinhosa” com que o governador do Paraná tratou os professores e servidores na base da bala, bombas e cassetetes, no massacre de 29 de abril.

A matéria do Sensacionalista apresentou até uma declaração de Richa: “O Alckmin me ligou ontem, elogiou a forma como lidei com a manifestação de professores que ocorreu aqui no Paraná, e me pediu para enviar meus melhores policiais para conter os protestos em São Paulo. Fiquei lisonjeado com o pedido e enviei um batalhão de policias e dois canis de pitbulls para ele”.

Mas, tanto em São Paulo e no Paraná, a resistência dos estudantes e dos professores acaba emparedando os governadores tucanos, e expondo seu lado mais violento e fascista. Avessos à negociação, resta usar a força policial. O resultado só pode ser trágico.

Há outra coincidência nessa luta contra os ataques dos governadores tucanos à educação pública. A principal liderança nas ocupações e resistência ao fechamento das escolas em São Paulo é uma paranaense. A jovem Camila Lanes, recém-eleita presidente da União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES), foi presidente na União Paranaense dos Estudantes Secundaristas (UPES) e estava liderando o movimento estudantil junto com os professores na greve da educação e no massacre do Centro Cívico.

Pois a irreverência e a garra dos estudantes e dos professores são as “armas” de quem defende a educação pública de qualidade para a nossa sociedade evoluir e caminhar para uma realidade mais justa.

Infelizmente, as armas dos governadores tucanos machucam de verdade e podem matar, além de sacrificar o futuro.

Leia a “matéria” completa do Sensacionalista

Comentários encerrados.