Richa enfrenta manifestação de empresários neste domingo 13

Governador Beto Richa (PSDB), o pior avaliado do país, ao longo do ano de 2015, aumentou impostos como o ICMS, reajustou tarifas de água e luz, e garantiu mais um aumentão no pedágio; tucano, que é conhecido no Paraná como o "Rei do Pedágio", tem como única proposta de governo a prorrogação do pedágio mais caro do mundo; manifestação de empresários liderados pela Fiep, neste domingo 13, às 10h30, na boca Maldita, em Curitiba, além de críticas a Richa, também será contra a volta da CPMF; “Não vou pagar o pato” é o mote da campanha a ser lançada amanhã pelo empresário Edson Campagnolo, presidente da poderosa Fiep.

Governador Beto Richa (PSDB), o pior avaliado do país, ao longo do ano de 2015, aumentou impostos como o ICMS, reajustou tarifas de água e luz, e garantiu mais um aumentão no pedágio; tucano, que é conhecido no Paraná como o “Rei do Pedágio”, tem como única proposta de governo a prorrogação do pedágio mais caro do mundo; manifestação de empresários liderados pela Fiep, neste domingo 13, às 10h30, na boca Maldita, em Curitiba, além de críticas a Richa, também será contra a volta da CPMF; “Não vou pagar o pato” é o mote da campanha a ser lançada amanhã pelo empresário Edson Campagnolo, presidente da poderosa Fiep.

O governador Beto Richa (PSDB) será alvo de protesto neste domingo 13, em Curitiba, durante lançamento da campanha  “Não Vou Pagar o Pato” contra aumento de impostos. O evento às 10h30, na Boca Maldita, será coordenado pela Federação das Indústrias do Paraná (Fiep).

“Novamente os governantes recorrem ao aumento de impostos para cobrir rombos nos cofres públicos. Mas não vemos nenhum esforço efetivo da parte deles para cortar gastos desnecessários e aplicar o dinheiro público com mais eficiência e transparência”, disse Edson Campagnolo, presidente da Fiep.

Além do tucano, a presidente Dilma Rousseff (PT) também está no radar das críticas do empresariado paranaense. Eles são contra a criação e aumento de impostos e a volta da CPMF, que tramita no Congresso Nacional.

A Fiep levará um pato inflável de 12 metros de altura à manifestação de amanhã, onde serão distribuídos folhetos, adesivos, “patecos”, e também será feita a coleta de assinaturas.

9 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. Sempre tem puxa saco babando nos ovos do Richa…..Esse Malandro Agulha….Enfiou a mão no dinheiro poupado a muito tem dos FUNCIONÁRIOS, da Paraná Previdência…..É fácil fazer cortesia com o CHAPÉU alheio……Fora,desgoverno Richa…….

  2. Retiro algumas afirmações no meu comentário acima.

    Há que se observar que o assunto foi distorcido pelo blogueiro.

    O movimento liderado pela Fiep, presidida pelo s.r Campanhollo pede o apoio da população contra a iminência do retorno da cobrança da antiga CPMF e contra o aumento da carga tributária prevista pelo ajuste fiscal ameaçado pelo Governo Federal e que força estados e municípios a exercitarem o mesmo recurso.

  3. Os empresários, que ajudaram a eleger o Richa, farão uma manifestação. Porém, só se manifestarão realmente contra a Dilma… O Richa mal será citado…

  4. Te cuide Beto Relincha, vc está somente com seus chaleiras comissionados e mais uma minoria de párias! Grande Edson Campanholo, Presidente da FIEP do PR! E o presidente da FAEP, onde anda? Vendeu-se por um prato de lentilhas, traidor da categoria que finge dirigir!

  5. O recado do presidente da Fiep deveria ser encaminhado primeiramente para Brasília,e a sua federação iniciado movimento para reforma tributária no Brasil. Oportunista, Edson aproveita o momento para auto-promoção. O atual sistema tributário, velho por sinal, obsoleto, ultrapassado, concentra em Brasília, toda a sanha arrecadatória do país, e o erário, como se sabe é mal gasto, além dos milhares de desvios que existem no caminho antes do destino final, os estados e os municípios. O Rio de Janeiro – e os demais estados, além dos governados por aliados de Dilma, não fez reajuste fiscal e a situação lá é o espelho da posição de Brasília. Aqui, os funcionários estaduais já receberam o 13º, lá, nem outubro.

  6. É a coisa está ficando cada dia pior.
    os servidores, os professores, a população os empresários…
    quem ainda acredita e apoia esse desgoverno?

  7. Quem financiou a campanha do Betinho, Esmael?

  8. Coloque as barbas de molho Relincha. Collor caiu por não agradar o empresariado.