Homem de Michel Temer nega conspiração contra Dilma

Rodrigo Rocha Loures, principal homem de confiança do vice-presidente da República, Michel Temer (PMDB), negou conspiração contra a presidente Dilma Rousseff (PT) e garantiu se tratar de factoide e intriga a existência de uma “equipe de transição” prevendo o impeachment. “Temos de esperar os desdobramentos na Câmara, quem serão os 65 membros da comissão especial. Há um rito e ainda não sabemos se o Congresso será chamado ao funcionamento durante o recesso”, explicou.

Rodrigo Rocha Loures, principal homem de confiança do vice-presidente da República, Michel Temer (PMDB), negou conspiração contra a presidente Dilma Rousseff (PT) e garantiu se tratar de factoide e intriga a existência de uma “equipe de transição” prevendo o impeachment. “Temos de esperar os desdobramentos na Câmara, quem serão os 65 membros da comissão especial. Há um rito e ainda não sabemos se o Congresso será chamado ao funcionamento durante o recesso”, explicou.

O ex-deputado federal paranaense Rodrigo Rocha Loures, um dos principais homens de confiança do vice-presidente da República Michel Temer, do PMDB, assegurou ao Blog do Esmael neste domingo (6) que não há equipe de transição visando o cenário de impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT).

“Não existe transição alguma. Há, sim, um açodamento muito grande da imprensa. Nós somos pela defesa da Constituição”, afirmou Rocha Loures, que no mercado de apostas aparece como virtual ministro-chefe da Casa Civil num eventual governo Temer.

“O ministro do governo Dilma chama-se Jaques Vagner. Estão intrigando o PT com o PMDB, nada mais do que isso”, disse o homem de confiança do vice-presidente da República.

Neste domingo, o jornal O Globo trouxe reportagem afirmando que os “aliados preparam ofensiva para levar PMDB ao comando do país”.

“Lamentavelmente, a intriga é filha da política. Muitos se alimentam disso para alimentar eventos negativos, que são contra o país”.

Para Rocha Loures, o pedido de impeachment é muito técnico e sofisticado e diz respeito às contas orçamentárias. Ele prevê que “isso demandará muito tempo” para serem checadas.

“Temos de esperar os desdobramentos na Câmara, quem serão os 65 membros da comissão especial. Há um rito e ainda não sabemos se o Congresso será chamado ao funcionamento durante o recesso”, explicou.

O Blog do Esmael perguntou a Rocha Loures se o vice-presidente da República estaria preparado caso do processo de impeachment avance na Câmara. “É muito ruim especular sobre o que ainda não aconteceu”, respondeu.

O homem de confiança de Michel Temer acredita que o pedido de impeachment também antecipa o debate nos municípios.

“As forças políticas municipais estão sendo chamadas a se posicionarem sobre de que lados estarão nessa contenda, se a favor ou contra o impedimento da presidente Dilma”, analisou.

Comentários encerrados.