Coluna do Alvaro Dias: Congresso precisa avançar para o Brasil ser passado a limpo

alvaroc

Em sua coluna semanal, o senador Alvaro Dias (PSDB) comenta a prisão do colega senador Delcídio Amaral (PT), em pleno exercício do mandato. Alvaro avalia o fato como trágico para a instituição, impondo uma forte responsabilidade aos parlamentares. Mas segundo ele, há um lado positivo: combatendo com rigor a corrupção, as instituições podem voltar a se fortalecer e o País será passado a limpo. Leia, ouça, comente e compartilhe.

Alvaro Dias*

Neste triste momento que vivemos, no Congresso Nacional e no País, há missões que são espinhosas, mas inevitáveis. O Senado Federal, na esteira do que decidiu o Supremo Tribunal Federal, viveu um desses momentos que podemos considerar trágicos, mas no cumprimento de uma responsabilidade que não se transfere.

Esse levantar de tapete pela Operação Lava Jato sinaliza para um novo tempo neste País. O Supremo Tribunal Federal certamente ressuscitou esperanças ao decidir à luz da Constituição e da legislação vigente no País de forma implacável, determinando a prisão inclusive de um colega senador.

São episódios negativos que enlutam a alma brasileira, mas certamente deles temos que retirar também o que há de positivo: a valorização do Supremo Tribunal Federal e a reconquista da confiabilidade e da credibilidade, ao adotar uma postura implacável diante dos escândalos de corrupção que envolvem os que têm foro privilegiado.

O STF sinaliza para essa postura nova, quando afirma que a impunidade não derrotará a justiça. E cabe também ao Congresso Nacional refletir sobre a sua responsabilidade. Não podemos ficar distanciados desses avanços promovidos pela Operação Lava Jato na esteira do trabalho da Polícia Federal e do Ministério Público.

Há projetos de lei que não podem dormitar nas gavetas do Congresso. É importante o aprimoramento da legislação. Não podemos fazer prevalecer a tese de que a Operação Lava Jato é uma voz solitária, que ecoa no deserto. É preciso que Congresso Nacional responda às expectativas da sociedade brasileira aprovando propostas de lei que signifiquem o endurecimento à corrupção.

O Ministério Público apresenta dez medidas de combate à corrupção, mas há medidas já em tramitação no Congresso Nacional, como, por exemplo, a proposta de emenda constitucional que torna automática a perda de mandato do parlamentar condenado; o projeto que transforma a corrupção em crime hediondo e a proposta que acaba com manobras protelatórias nos julgamentos, entre outros.

Temos que assumir a nossa responsabilidade, votando a favor ou contra. Somos eleitos para decidir e não para cultivar a indefinição, sobretudo em matérias dessa importância. Precisamos avançar nesse momento tão importante para que o País possa ser passado a limpo.

*Alvaro Dias é senador pelo PSDB e líder da Oposição no Senado Federal. Ele escreve nas quartas-feiras para o Blog do Esmael sobre “Ética na Política”.

6 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. OH agressor de professor ???
    Que moral vc tem pra falar em Ética ?
    Um dos maiores corruptos de que se tem notícia abrindo a boca para falar em limpeza na política ?
    Cuidado… Vc pode parar na lata de lixo e sujar ela toda.

  2. Fariseu! Fa-ri-seu! FARISEU!

  3. cuidado , alvarinho, se for pra valer até vc vai pra lata do lixo.

  4. É “Arvos Dia” falando o óbvio ululante, dizendo alguma
    coisa, mas falando o mínimo possível.
    Reciclou o que todo o noticiário publicado, mas não
    agregou nada de novo.
    Só perdi o meu tempo lendo a sua coluna hoje.

  5. Ah, por favor, qual a moral que este senhor tem para falar? Quem lembra do nefasto governo dele aqui no Paraná? Sr. Álvaro Dias, nós, professores destruímos seu futuro político, como agora destruímos o do Beto Lixo! Fique em Brasília destilando discurso pseudomoralista que aqui você é persona non grata!

  6. O FAMOSO TELHADO DE VIDRO.

    Cuidado Alvaro Dias! não provoque! que os caras avança e leva a sério o seu chamado, ai a vaca vai pro brejo.