Coluna da Maria Victória: A importância do investimento na primeira infância

infancia

Em sua coluna nesta segunda-feira, a deputada estadual Maria Victória (PP) aborda a importância da atenção e dos investimentos no atendimento à primeira infância. Segundo ela, esses investimentos têm grandes resultados a longo prazo e por isso são um grande desafio para o Brasil. Para a colunista, o cuidado com as crianças de zero a 6 anos é essencial, pois é nesta fase que se define a personalidade essencial do pequeno cidadão. Leia, ouça, comente e compartilhe.

Download

Maria Victoria Borghetti Barros*

Recentemente concluí um curso na Universidade de Harvard em parceria com a Fundação Maria Cecília Vidigal, Núcleo de Ciência pela Primeira Infância (NCPI) e o Instituto de Ensino e Pesquisa (Insper) sobre o desenvolvimento na primeira infância.

Gostaria de compartilhar meu aprendizado e espero poder conquistar seu apoio para esta causa tão nobre e importante para as futuras gerações.

Um estudo de Hofstade sobre Diferenças Culturais, modelo usado para facilitar a compreensão e adaptação de administradores estrangeiros no Brasil, permite comparar países baseados em seis dimensões, sendo elas: power distance, individualism, masculinity, high uncertainty avoidance, long-term orientation e indulgence.

De acordo com o gráfico (abaixo), conclui-se que o Brasil é imediatista e pensa a curto prazo, enquanto países como Alemanha e China, obtiveram um crescimento econômico significativo através de investimentos severos em educação e cultura, o que refletiu positivamente em diversas áreas como saúde e segurança. Estudo do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime classificou a Alemanha com uma taxa de homicídio de 0,8 e a China de 1,0 para cada 100 mil habitantes, enquanto que no Brasil esse índice é de 21.

grafico

O investimento na primeira infância tem grandes resultados a longo prazo e por isso é um grande desafio neste país. O cuidado às crianças de 0-6 anos é essencial, pois é justamente nesta fase que se define a personalidade essencial do pequeno cidadão.

Também teremos profissionais mais bem remunerados. Segundo o economista americano James Hackman, ganhador do prêmio Nobel de Economia em 2000, o investimento na primeira infância pode resultar em um aumento de renda de até 60% em adultos que tiveram esse estímulo logo cedo, se comparado a pessoas que não receberam tal investimento.

De acordo com o Professor da UFPR, Fernando Louzada, 7% das crianças diagnosticadas na primeira infância com desvio de conduta vão para a criminalidade, uso de entorpecentes e marginalidade. Este trabalho só pode ser realizado na união de educação, saúde, assistência social, nutrição, esporte, música e cultura.

É claro que parte significante da educação da criança é na escola, mas a educação em casa é essencial. Portanto, precisamos educar os pais para educarem seus filhos através de participação escolar em troca da garantia da vaga em instituições focadas na primeira infância que deverão ser dignas de um retorno justo de impostos pagos por nós aos poderes públicos.

Vamos juntos realizar este sonho?

*Maria Victoria Borghetti Barros é deputada estadual, pré-candidata a prefeita de Curitiba pelo PP, vice-presidente da Comissão de Educação na Assembleia Legislativa do Paraná. Ela escreve às segundas-feiras no Blog do Esmael sobre “Educação e Cultura”.

Comentários encerrados.