Beto Richa ameaça servidores estaduais: “Faria tudo de novo”

ameacaO governador Beto Richa (PSDB), em entrevista ao Jornal Folha de Londrina, edição desta segunda-feira (28), comentou o ‘ajuste fiscal’ implantado em seu governo com aumento de impostos, sonegação da data-base e o confisco do fundo de previdência dos servidores, resultando no massacre de 29 de abril.

O tucano não manifestou arrependimento com as desastrosas medidas que resultaram em duas greves dos professores da rede pública estadual de ensino e das universidades. Muito pelo contrário, ele ameaçou os servidores dizendo que “faria tudo de novo”.

Para o governador, o massacre do Centro Cívico, no qual helicópteros jogavam bombas e policiais militares abriam fogo contra dezenas de milhares de manifestantes, foi uma “manifestação orquestrada” pela APP-Sindicato.

Ele disse que é contra a violência, mas não explicou por que a Polícia Militar estava posicionada com um arsenal de guerra pronta para atacar os manifestantes.

Beto Richa afirma que o estado entra agora num novo ciclo de desenvolvimento, mas esqueceu de dizer que apesar do arrocho, os calotes nos fornecedores continuam e vários campi de universidades estaduais estão suspendendo as atividades por falta de condições mínimas de funcionamento.

Centenas de escolas do ensino básico ainda estão ameaçadas de fechamento. Há déficit de vagas para alunos e de professores nos estabelecimentos de ensino, o que poderá comprometer o início do ano letivo de 2016.

No quadro atual, a frase “faria tudo de novo” soa mais como uma ameaça, uma possível vingança, visto que ele é avaliado nas pesquisas de opinião como o pior governador do país.

Com informações da Folha de Londrina. 

Comentários encerrados.