Anibelinho x Arruda: Assédio de Gustavo Fruet gera bate-boca no PMDB

Deputado Anibelli Neto negou que esteja “vendendo” o PMDB para o prefeito Gustavo Fruet (PDT); “Como vice-presidente eleito pelo voto do diretório, e não nomeado por ser sobrinho do Requião, estou trabalhando para que o PDT esteja com o nosso PMDB, bem como outras legendas do mesmo campo ideológico”; Anibelinho rebateu críticas do correligionário João Arruda ao afirmar que o correligionário “continua lambendo as feridas da surra que tomou na convenção do PMDB”.

Deputado Anibelli Neto negou que esteja “vendendo” o PMDB para o prefeito Gustavo Fruet (PDT); “Como vice-presidente eleito pelo voto do diretório, e não nomeado por ser sobrinho do Requião, estou trabalhando para que o PDT esteja com o nosso PMDB, bem como outras legendas do mesmo campo ideológico”; Anibelinho rebateu críticas do correligionário João Arruda ao afirmar que o correligionário “continua lambendo as feridas da surra que tomou na convenção do PMDB”.

O deputado federal João Arruda e o deputado estadual Anibelli Neto, o Anibelinho, secretário-geral e vice-presidente do PMDB do Paraná, respectivamente, estão batendo boca em público acerca da disputa pela Prefeitura de Curitiba em 2016.

Arruda não gostou de saber que o correligionário participou da convenção estadual do PDT, no último sábado (28), que lançou o prefeito Gustavo Fruet à reeleição. Para o secretário-geral, a visita foi inoportuna porque o PMDB terá candidato próprio – o deputado estadual Requião Filho.

“Na eleição de Curitiba teremos que derrotar aqueles que querem entregar o PMDB para o prefeito, o nosso partido terá candidato próprio”, tuitou ontem (30) à noite Arruda, como se mandasse um recado a Anibelino.

Pois bem, na manhã desta terça-feira (1º), Anibelinho não deixou barato. Disse ao Blog do Esmael que roupa suja não se lava em público, mas também não recusaria a peleja. “Aprendi com meu pai e meu avô que só vou onde for convidado e neste caso fui por todos os deputados do PDT”, respondeu.

Deputado Anibelli Neto negou que esteja “vendendo” o partido para Fruet. “Como vice-presidente eleito pelo voto do diretório, e não nomeado por ser sobrinho do Requião, estou trabalhando para que o PDT esteja com o nosso PMDB, bem como outras legendas do mesmo campo ideológico”.

Na noite de ontem, Arruda ainda havia advertido pelo Twitter: “O PMDB não vai abrir mão de lançar candidato em Curitiba pra negociar meia dúzia de cargos com o prefeito”.

Em relação a isso, Anibelinho respondeu: “Se quisesse cargos teria apoiado a reeleição do governador Beto Richa, que é do PSDB, desde o começo e não teria sido o deputado que mais lutou pela candidatura própria. Eu era o único que estava com o Requião, em 2012, enquanto o deputado João Arruda não queria se queimar com as suas dobradas”.

Para Anibelinho, o secretário-geral “continua lambendo as feridas da surra que tomou na convenção do PMDB”. Ele se refere a sua eleição como vice-presidente da legenda a contragosto de Arruda, que apoiava o deputado Nereu Moura.

“Nunca fui financiado pelo pedágio nem por sogro empreiteiro [Joel Malucelli]. Me respeite para ser respeitado”, avisou Anibelinho.

Por sua vez, João Arruda informou ao Blog do Esmael que vai brigar diretamente com o “dono do cachorro” – no caso o prefeito Gustavo Fruet. O secretário-geral cumpriu a promessa dando mais uma patacada via Twitter: “Beto quer um pedaço e Gustavo também? Que isso? O partido é dos peemedebistas!”.

Resumo da ópera: a briga continua, companheiros!

Comentários encerrados.