29 de dezembro de 2015
por Esmael Morais
17 Comentários

Beto Richa “arregou” para o Judiciário

Não durou muito tempo a valentia do governador Beto Richa (PSDB) e do secretário de Estado da Fazenda, Mauro Ricardo Costa, que fizeram semana passada grave denúncia contra o Tribunal de Justiça do Paraná (TJPR), que, segundo eles, estaria realizando “especulação financeira” com sobras do orçamento.

De acordo com fonte do Blog do Esmael no Palácio Iguaçu, houve esta semana acerto entre o governo e o judiciário, o que finalizou a “crise” gerada pelo corte de R$ 100 milhões. Ou seja, Richa “arregou” para o Poder Judiciário.

Fruto desse acordo, nesta terça-feira (29) funcionários do tribunal começaram a receber a segunda parcela da URV (Unidade Real de Valor) — uma correção salarial decorrente da conversão do Cruzeiro Real (CR$) para o Real (R$) no ano de 1994.

No último dia 23, o secretário importado Mauro Ricardo Costa, espécie de alter ego do governador tucano, denunciou  que o TJPR, o Tribunal Faz de Contas (TCE) e até o Ministério Público do Paraná (MP) “especulam no mercado financeiro” e, portanto, o judiciário estaria desviando dinheiro de impostos dos contribuintes.

Segundo levantamento do tesouro do governo do estado, o Tribunal de Justiça tem quase R$ 1 bilhão aplicados em especulação; o Ministério Público do Paraná (MP) tem R$ 191 milhões em capital vadio; e o Tribunal Faz de Contas (TCE) outros R$ 106 milhões.

“É uma poupança desviada porque esse recurso deveria estar beneficiando a população e não em aplicações de alguns poderes privilegiados no Paraná”, havia atacado o secretário de Beto Richa.

O Blog do Esmael ainda não teve acesso aos termos do acordo que cessou a curta “beligerância” entre Richa e o judiciário.

Leia mais

29 de dezembro de 2015
por Esmael Morais
3 Comentários

Veja essa: candidatos com apoio de Richa e Dilma lideram em Curitiba

O deputado estadual licenciado Ratinho Júnior (PSC), atual secretário de Desenvolvimento Urbano, unha e carne com o governador Beto Richa (PSDB), é quem lidera a disputa pela Prefeitura de Curitiba.

De acordo com a Paraná Pesquisas, o aliado do tucano tem 20,9% da preferência do eleitorado – embora ele venha despencando nas intenções de voto, pois, em janeiro, ele tinha 38%.

O segundo colocado na corrida pela capital paranaense é o próprio prefeito Gustavo Fruet (PDT), que somou 17,9% nessa rodada, praticamente ficou no mesmo lugar que estavam em janeiro quando tinha 17%.

Fruet é aliado de primeira hora da presidente Dilma Rousseff (PT). A relação umbilical foi traduzida, no começo deste mês, com a liderança de um manifesto de prefeitos de capitais contra o impeachment da presidente da República.

A tendência é que Dilma tenha palanque duplo em Curitiba, haja vista que o PT ensaia a candidatura própria do deputado Tadeu Veneri. Prova desse “approach” é que o parlamentar até agora nenhuma crítica fez ao prefeito que tentará “desbancar” em 2016.

Contraditoriamente, a mesma Paraná Pesquisas aponta Richa e Dilma como “piores” eleitores de um candidato à Prefeitura de Curitiba.

De acordo com o levantamento do instituto, 55% dos eleitores curitibanos não votariam de jeito nenhum em candidato apoio pelo governador Beto Richa. O índice é praticamente o mesmo em relação a presidente Dilma: 58%.

Agora, em qual eleitor acreditar, naquele que vota ou naquele que rejeita o candidato?

A seguir, leia a íntegra do relatório da sondagem da Paraná Pesquisas:

http://www.esmaelmorais.com.br/wp-content/uploads/2015/12/curitiba_avaliado_dez2015.pdf

Leia mais

29 de dezembro de 2015
por Esmael Morais
23 Comentários

Dilma vai mudar a economia em 2016

A presidente Dilma Rousseff (PT) promoverá mudanças radicais nos rumos da economia brasileira já no início de 2016. A informação é de uma fonte do Blog do Esmael no Palácio do Planalto.

Dentre as mudanças planejadas estão a utilização de parte das reservas — cerca de US$ 100 bilhões — para vitaminar a economia interna, enfrentar a crise, retomar o crescimento e a geração de empregos.

O país possui hoje quase US$ 400 bilhões em reservas cambiais.

Dilma também teria dado ouvido às ruas, que exigiram no último dia 16 de dezembro a redução dos juros e uma agenda desenvolvimentista. Além disso, o governo se comprometeria a enterrar a ideia de reforma previdenciária e trabalhista — como reivindicam as centrais sindicais.

“Surge a esperança de alterações positivas na política econômica do Brasil”, comemorou esta terça-feira (29), via Twitter, o senador Roberto Requião (PMDB-PR), um dos principais críticos da atual política econômica do governo federal.

Leia mais

29 de dezembro de 2015
por Esmael Morais
16 Comentários

Educadores temem novo calote na reposição de 9%. Vem aí nova greve?

Dezenas de educadores entraram em contato com o Blog do Esmael, nesta terça-feira, dia 29 de dezembro, temendo possível novo calote do governador Beto Richa (PSDB) na reposição da inflação de 9%, prevista para janeiro de 2016, conforme acordo entre as partes no mês de junho passado.

Tem razão os educadores de temerem novo calote do tucano, pois quem já foi mordido por cobra é bom que tenha medo até de linguiça.

Foram vários tombos que os profissionais do magistério levaram do governador do PSDB ao longo dos últimos 5 anos.

Agora, a pergunta que não quer calar: é possível a educação do Paraná iniciar o ano letivo de 2016 com greve caso haja novo calote de Beto Richa?

A mudança da data-base para o mês de janeiro foi costurada pela APP-Sindicato e o líder do governo na Assembleia, deputado Luiz Claudio Romanelli (PMDB), cujo termo pôs fim à greve do primeiro semestre deste ano.

O reajuste de 9% é relativo à reposição da inflação medida pelo IPCA durante todo o ano de 2015. Ou seja, não se trata de aumento salarial como costuma difundir mentirosamente o Palácio Iguaçu.

Para nunca esquecer, hoje completa sete meses do covarde massacre patrocinado pelo “Carniceiro do Centro Cívico”.

Leia mais

29 de dezembro de 2015
por Esmael Morais
16 Comentários

Garganta Profunda de Londrina: Francischini, o Batman, vai amarelar?

por Garganta Profunda de Londrina

As declarações do deputado Fernando Francischini, o Batman, ameaçando contar a verdade sobre as ordens que recebeu no Massacre de 29 de abril causaram azia e má digestão da ceia de Natal na família Richa.

Ao tomar conhecimento das ameaças feitas e também das duras críticas feitas por Francischini ao todo-poderoso Mauro Ricardo, o governador teria sentenciado que “são de dar ânsia em porco”.

O Palácio então telefonou para um empreiteiro amigo que faz a ponte com Francischini para dizer que, desse jeito, o atual secretario Wagner Mesquita, indicado para a função por Francischini entra na marca do pênalti.

Para substituir Mesquita, o governador mandou levantar do banco e ir para o aquecimento o chefe da Casa Militar, Adilson Casitas, ligadissimo ao megaempresario da educação privada Wilson Matos, dono do complexo CESUMAR, de Maringá.

Com essa jogada, Beto Richa “trava” a SESP, mantendo-a sob seu comando, pois imagina que Cida Borghetti não terá coragem de demitir Casitas, em 2018.

Se o coronel da reserva Casitas não topar a SESP, o Palácio já tem um plano B, o atual diretor-geral da secretaria, o delegado Francisco Batista Costa.

Richa também gosta desta solução, pois tem amizade com o irmão do delegado Costa, o médico homeopata Luis Antônio Batista Costa.

Porém, alguns próximos do governador tentam contemporizar a situação, achando que Francischini, o Batman, vai “amarelar” em fevereiro e não vai dizer nada que comprometa o carniceiro do Centro Cívico no processo judicial do Massacre de 29 de abril.

Será que o Batman vai afinar, trocando a capa negra-morcego por uma amarelinha-ovo?

Leia mais

29 de dezembro de 2015
por Esmael Morais
8 Comentários

“O povo não quer Ratinho nem Fruet, quer mudança”, diz Requião Filho

O deputado estadual Requião Filho, pré-candidato do PMDB à Prefeitura de Curitiba, em entrevista ao Blog do Esmael, nesta terça-feira (29), afirmou que o povo não quer nem Ratinho Júnior, do PSC, nem reeleger o prefeito Gustavo Fruet, do PDT, nas eleições de 2016.

“Um, Ratinho, que é ligado ao governador Beto Richa (PSDB), acabou com a integração do transporte na região metropolitana para satisfazer o chefe. Outro, Fruet, nada fez e ainda protege a máfia do transporte coletivo”, analisou Requião Filho.

O comentário do peemedebista tem como base a sondagem da Paraná Pesquisas divulgada ontem (28). Segundo o instituto, Ratinho tinha 38% das intenções de voto em janeiro deste ano, caiu para 20,9%, mas ainda lidera. Ou seja, o pré-candidato do PSC despencou 17% em menos de um ano.

“Ninguém crê que Ratinho Júnior sairá candidato a prefeito, como diz a pesquisa, não tem fôlego para chegar ao segundo turno”, continuou Requião Filho.

Quanto a Fruet, o pré-candidato do PMDB declarou que, ao proteger a máfia do transporte coletivo, ele repete a velha política. O pedetista manteve os 17% de intenções de voto, índice insuficiente para garantir vaga na segunda etapa eleitoral.

“Fruet vai acabar trabalhando no escritório do Garrone e Sacha Reck, de consultor de transporte coletivo para todo o país”, ironizou Requião Filho, ao recordar que o velho José Richa, pai de Beto, ao perder a eleição para governador em 1990 “virou consultou de jogos de azar e de cassinos”.

Requião Filho, por sua vez, também comentou os 11% obtido pelo ex-prefeito Rafael Greca (PMN) na corrida. “É um eleitorado cativo, não passa disso. Se eleito prefeito, eu vou convidá-lo para presidir o IPPUC – o instituto de planejamento de Curitiba”, prometeu o peemedebista.

“Serei candidato contra a velha política, aquela que bate em professor e protege máfia do transporte. Quero ser na eleição do ano que vem a esperança para o povo mudar este estado de coisas”, finalizou Requião Filho.

De acordo com a Paraná Pesquisas, o deputado do PMDB tem 10,8% das intenções de voto na disputa pela Prefeitura de Curitiba. Sem Ratinho no páreo, entretanto, ele empata com Fruet dentro da margem de erro. Nesse cenário, ambos embarcariam para o 2º turno.

Leia mais

29 de dezembro de 2015
por admin
4 Comentários

Coluna do João Arruda: Em defesa dos interesses do Paraná

Download áudio

João Arruda*

A atividade política exige posições claras e firmes, mas as diferenças não podem jamais ficar acima do interesse público. É o que busco como coordenador da bancada paranaense no Congresso Nacional. Ser adversário do atual governador não significa fazer oposição ao Estado. Pelo contrário.

Em 2015, a bancada levou o governo federal ao Paraná. O Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) montou escritório em Dois Vizinhos, no Sudoeste. O ministro dos Transportes, Antônio Carlos Rodrigues, foi à Fiep falar sobre a ferrovia Norte-Sul. O então ministro dos Portos, Edinho Araújo, foi ao litoral tratar da Poligonal de Paranaguá. Já Hélder Barbalho, então ministro da Pesca, incentivou a criação de tilápias no Lago de Itaipu.

Nossa atuação no Ministério da Saúde ajudou a liberar R$ 13,5 milhões para procedimentos de média e alta complexidade que estavam com pagamentos atrasados. Na condição de relator da saúde na Lei de Orçamento Anual (LOA) de 2016, consegui garantir ao Paraná 50% a mais em recursos que outros estados. Isso vai possibilitar a manutenção de unidades de saúde, aquisição de equipamentos hospitalares, além de reforma e ampliação de hospitais.

Ainda trabalhamos para reforçar a parceria entre a Sanepar e a Fundação Nacional de Saúde, com pagamento de convênios, novos acordos e mais obras de saneamento básico, principalmente nos municípios com menos de 50 mil habitantes. Por falar em parceria, as emendas da bancada paranaense na LOA foram definidas em consenso e direcionadas para grandes obras estruturantes, como a duplicação da BR 163, no sentido Cascavel–Marmelândia, além da restauração do Contorno Sul de Curitiba.

Também indicamos recursos para o Hospital Cajuru, na Capital, e o Hospital Metropolitano de Sarandi, no Noroeste, e ainda para aquisição de equipamentos destinados a universidades estaduais e federais. Nós também analisamos a questão do pedágio. Ouvimos representantes de concessionárias, do DER, do TCU e do Ministério dos Transportes, além de deputados estaduais que investigaram o pedágio no Paraná.

A bancada se encontrou com o vice-presidente da República, Michel Temer, para tratar da Estrada do Colono. Outra reunião importante foi com o então ministro da Aviação Civil, Eliseu Padilha, sobre o programa de aeroportos regionais. Na presidência da Câmara dos Deputados, pedimos a criação de novas turmas recursais do Tribunal Regional Federal em Curitiba. Ainda fomos ao presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, para discutir formas de evitar demissões na venda do HSBC ao Bradesco.

Em Curitiba, na Assembleia Legislativa, realizamos o seminário “Políticas Públicas para a Cultura e Turismo Religioso no Paraná”, um segmento em franca expansão. Para defender ainda mais os interesses da nossa região, partici Leia mais

29 de dezembro de 2015
por Esmael Morais
23 Comentários

PT quer alíquota de 40% de impostos para os “coxinhas” muito ricos

do Brasil 247

O Partido dos Trabalhadores vai pressionar a presidente Dilma Rousseff a mudar sua política econômica. Em uma nota divulgada nesta segunda-feira 28, o presidente nacional da legenda, Rui Falcão, defendeu que o governo deve se concentrar em uma nova pauta nos próximos meses e pediu “ousadia” para devolver à população “a confiança perdida após a frustração dos primeiros atos de governo”.

Entre as medidas já definidas pelo partido que serão cobradas do governo Dilma, conforme noticia nesta terça a colunista Natuza Nery, do Painel, está a mudança da tabela no Imposto de Renda. A ideia é que haja uma faixa nova, com alíquota de 40%, para os que ganham mais de R$ 100 mil por mês, e isenção para quem ganha até R$ 3.800. De acordo com cálculos do PT, o ganho para os cofres públicos seria de R$ 80 bilhões.

O PT também defende outra medida que atinge os mais ricos: a criação de um imposto semelhante ao IPVA cobrado sobre o uso de jatinhos e helicópteros. E cobra um plano nacional de defesa do emprego. Os dirigentes petistas alertam o Planalto que militantes saíram às ruas no último dia 16 para defender o projeto de partido, não o governo Dilma. Uma forma de avisar que a base de apoio do governo está ameaçada.

O partido é contra o ajuste fiscal implementado pelo ex-ministro da Fazenda, Joaquim Levy, substituído por Nelson Barbosa. Apesar de Barbosa ter feito um discurso em defesa da continuidade das medidas do ajuste, o PT afirmou na nota de ontem ter confiança no novo ministro, assim como em Valdir Simão, que passou a comandar o ministério do Planejamento.

Leia mais

29 de dezembro de 2015
por Esmael Morais
8 Comentários

Prefeito Gustavo Fruet também “afrouxou a tanga” para a máfia do ICI

O prefeito de Curitiba, Gustavo Fruet (PDT), esperou o início das festas de fim de ano para renovar o milionário – e não menos polêmico – contrato com o Instituto Curitiba de Informática (ICI), organização social responsável pela manutenção de diversos serviços de tecnologia de informação e comunicação da administração municipal.

Na campanha de 2012, quando ainda era candidato, Fruet propunha abrir a caixa preta do ICI. Agora, no entanto, mudou de ideia ao renovar o contrato com órgão privado pela bagatela de R$ 8,5 milhões.

Portanto, a Prefeitura de Curitiba continua refém da “máfia da informática”, ou seja, os curitibanos dependem e confiam seus dados pessoais a um grupo que sistematicamente faz chantagens ao poder público municipal.

Não foi só do ICI que a gestão Gustavo Fruet renovou laços de amizade.

A máfia do transporte coletivo também vai bem, obrigado. Segundo a Paraná Pesquisas, é a área pior avaliada com 65% de reprovação.

Nos últimos dois meses, a Prefeitura de Curitiba realizou dois aportes financeiros via Urbs – órgão que gerencia o sistema de transporte na capital – para as empresas concessionárias pagarem férias e 13º salário de motoristas e cobradores sob pena delas realizarem “locaute”.

O primeiro adiantamento da Urbs para a máfia dos ônibus foi de R$ 5 milhões e, na surdinha, houve outra transferência de R$ 8 milhões triangulada pela Câmara Municipal de Curitiba, que devolveu orçamento “carimbado” para “socorrer” essas  concessionárias.

O diabo é que esse dinheiro da Urbs, portanto público, que irrigou o caixa das empresas do transporte coletivo fez falta para os 1,5 mil trabalhadores na própria Urbs. Na véspera de Natal, em ato de desespero, eles chegaram a bloquear o tráfego de ônibus que saiam de Curitiba para o interior.

E o pior de tudo isso: vem aí, no período do Carnaval, mais um reajuste na tarifa do ônibus.

Essas relações promíscuas entre a administração Gustavo Fruet, ICI e máfia do transporte, fatalmente, serão o recheio nos debates eleitorais de 2016.

Leia mais

29 de dezembro de 2015
por admin
2 Comentários

Porão de navio graneleiro explode na Baía de Paranaguá

Um dos porões do navio Akaki, de bandeira do Chipre, que estava fundeado na Baía de Paranaguá, explodiu na tarde desta segunda-feira (28). A explosão do navio graneleiro teria ocorrido após a fumegação contra pragas.

Após a notícia da explosão, a Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa) acionou o Plano de Emergência deslocando equipes para o local, assim como a Capitania dos Portos do Estado do Paraná.

A Appa informou que instaurou procedimento de averiguação para identificar os motivos e efeitos da explosão.

A Capitania dos Portos do Paraná informou que abrirá Inquérito Administrativo Sobre Acidentes e Fatos da Navegação (IAFN) para apurar as causas da explosão. Não houve feridos. O navio não teve danos no casco e não há derramamento de óleo no mar.

Acidentes como esse causam medo à população local, em especial aos pescadores, pela memória da explosão do navio chileno Vicuña, no Porto de Paranaguá em 2004.

O acidente ocorrido há 11 anos provocou morte de quatro tripul Leia mais

29 de dezembro de 2015
por admin
7 Comentários

Coluna do Marcelo Araújo: Decreto sobre a indústria da multa de Curitiba foi revogado?

Download áudio

Marcelo Araújo*

Em 30/01/2013 o prefeito Gustavo Fruet (PDT) decretava, por seu então Secretário de Trânsito Joel Krüger, o fim da ‘Indústria da Multa’.

Era notória a relação de bigamia daquele secretário entre a Setran e o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (Crea), e com o tempo o amor falou mais alto que a paixão de verão. Em seu lugar assume sua Superintendente, naquele tipo de sucessão no estilo já que só tem tu, fica tu mesmo, explicando assim como em Curitiba os elefantes sobem em árvores… alguém os coloca lá!

Quanto ao tal decreto de extinção da ‘Indústria de Multas’, teria sido ele revogado pela capivara ou por quem a colocou lá?

Vejamos: Segundo ofício (abaixo) encaminhado ao Vereador Prof. Galdino (PSDB) e também ao Presidente da Câmara, no qual o Prefeito corrobora na acusação contra mim por Difamação (e que merece responder por Denunciação Caluniosa), as autuações feitas por equipamentos eletrônicos em toda a cidade entre os meses de janeiro a julho de 2015 tiveram variação mensal entre 21 mil e 28 mil.

Segundo notícia no site oficial da prefeitura, somente na área calma na segunda quinzena de novembro foram 4.083 autuações, ou seja, 1/3 do total mensal de toda a cidade. Essa informação é completada por outra que dá conta que isso significa que dos 310mil veículos que passam pelos cruzamentos da área calma apenas 0,09% foram autuados.

Essa informação me parece manipulada, no pressuposto lógico de que a maioria das pessoas não vai parar para raciocinar sobre tal informação, o blog Gazetona revende do jeito que compra, sem avaliar esses critérios, e o povo engole com pão. O objetivo dessa manipulação é fazer crer que o número de autuações foi ínfimo, mas está havendo a contagem de quantos cruzamentos um mesmo carro passou dentro da área calma, o que pode significar dezenas de passagens, porém de um único veículo, o qual pode ter recebido apena Leia mais