27 de dezembro de 2015
por esmael
12 Comentários

Blog do Esmael relança campanha pela ponte Matinhos-Guaratuba

Há exatamente três anos, o Blog do Esmael lançou a campanha pela construção da ponte ligando Matinhos a Guaratuba, no Litoral, visando aposentar de vez o arcaico ferryboat (clique aqui para baixar o material da campanha).

Nessa caminhada, várias entidades como Fiep, MPUGT, Crea, Assindilitoral e lideranças políticas anunciaram apoio à obra. Até o governador Beto Richa (PSDB), nas vésperas da reeleição, prometeu tirar o projeto do papel. Pena que ficou apenas na promessa.

A ponte sobre a baía de Guaratuba teria 800 metros de extensão, e mais de 34 quilômetros de acessos e viadutos pelas PRs 508 e 412.

Não se trata apenas de uma ponte estaiada para o trecho, mas um conjunto de intervenções infra-rodoviárias que eliminariam os congestionamentos na temporada e melhoraria muito a vida de turistas e moradores dos municípios da região.

Leia mais sobre isso (ordem cronológica):

27 DEZ. 2012 – 11:49
Blog lança campanha pela construção da ponte Matinhos-Guaratuba
28 DEZ. 2012 – 10:37
Governo do Paraná desrespeita Constituição ao não construir ponte Matinhos-Guaratuba
29 DEZ. 2012 – 13:12
Assindilitoral declara apoio à  campanha pela construção da ponte Matinhos-Guaratuba
04 JAN. 2013 – 11:38
UGT anuncia apoio à  campanha pela ponte Matinhos-Guaratuba
28 JAN. 2013 – 14:53

27 de dezembro de 2015
por esmael
15 Comentários

Traiano arranca com 3,7% ao governo, diz pesquisa do Palácio Iguaçu

O presidente da Assembleia Legislativa do Paraná, Ademar Traiano, do PSDB, aparece em sondagem da Radar Inteligência com 3,7% das intenções de voto para o governo do estado.

“Não vou comentar os números dos outros, mas arranco com 3,7%, índice superior da senadora petista Gleisi Hoffmann, por exemplo”, comparou Traiano.

Há 15 dias, o Blog do Esmael registrou que o Palácio Iguaçu trabalha pela candidatura própria do PSDB.

O surgimento do nome de Traiano para liderar o grupo ligado ao governador Beto Richa, também do PSDB, teria como objetivo barrar o avanço da família Barros (leia-se a vice Cida Borghetti, do PROS, e o marido dela, deputado Ricardo Barros, do PP).

A engenharia política dos tucanos também contemplaria o deputado licenciado e secretário de Urbanismo (SEDU), Ratinho Júnior, do PSC, que retornaria à Assembleia para presidi-la a partir de 2017.

Ratinho e Richa, juntos, sairiam em dobradinha candidatos a Senado pela chapa de Traiano em 2018.

27 de dezembro de 2015
por esmael
16 Comentários

Veja essa: socialite se arrepende e agora é contra impeachment: ‘Dilma não interfere na Lava Jato’

do Brasil 247

Ex-integrante de grupos que pedem a queda da presidente Dilma Rousseff, como o Vem Pra Rua e o Acorda Brasil, a empresária e socialite Rosangela Lyra agora se diz contra o impeachment. Presidente da Associação dos Lojistas dos Jardins de São Paulo, ela diz que hoje “passar o Brasil a limpo é mais importante que tirar o PT do poder na marra”.

“No início do ano, pensava que seria possível uma renúncia da presidente Dilma. Falava-se muito da possibilidade de ter havido fraude na reeleição, a economia estava com uma perspectiva muito ruim, o desemprego estava crescendo e havia erros de gestão. Queria que ela saísse. Na eleição, Eduardo Campos era a minha opção. Quando ele faleceu, eu comecei a apoiar a Marina e colaborei um pouco com a campanha. Marina foi desconstruída pelo marketing do PT. No momento em que ela apoiou o Aécio, fiz o mesmo, porque eu não queria a Dilma”, relata ela em depoimento ao jornalista Paulo Reverbel (aqui).

“Meu ponto de virada foi quando eu percebi a importância da Lava Jato e a não interferência da presidente. A gente se acostumou a mudar os personagens da história, e não o enredo. Prefiro mudar o enredo. Tem que pegar os corruptos, seja do PT, do PMDB, do PSDB, do PP. Esse meu posicionamento vai ao encontro do que pensam os investigadores da Lava Jato. Na última coletiva, perguntaram se havia interferência do governo na operação. Os investigadores disseram que não havia. Poderiam ter se esquivado ou respondido com menos ênfase, mas foram categóricos”, explica.

Ela ponta ainda que “se a Lava Jato tem hoje o peso que tem, foi porque Dilma sancionou a lei que prevê a delação premiada e deixa a operação funcionar”. A empresária afirma que houve da sua parte uma “evolução de posicionamento, não de mudança”. “Quando alguém diz que a Justiça e a Procuradoria só prendem gente do PMDB, e não do PT, eu pergunto: “Vocês esqueceram que João Vaccari Neto, José Dirceu e Delcídio do Amaral estão presos?”. Eles põem em dúvida a idoneidade da Procuradoria-Geral da República. Que Dilma continue deixando a Lava Jato adquirir cada vez mais corpo e que ela enrole todos aqueles que fazem pressão para demitir o ministro da Jus