7 de dezembro de 2015
por Esmael Morais
22 Comentários

Beto Richa só pensa naquilo: ‘prorrogar o pedágio mais caro do mundo’

richa_pedagio_assaltoO governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), jocosamente conhecido em Brasília como o “Rei do Pedágio”, esteve mais uma vez hoje no Distrito Federal pedindo pela prorrogação do pedágio mais caro do mundo.

No último dia 1º de dezembro, o tucano autorizou novo aumento nas 27 praças de pedágio instaladas nas rodovias do estado. O reajuste anual médio para 10,28%, portanto, acima da inflação acumulada de 9,93% nos últimos doze meses (índice IPCA).

O mundo produtivo é contra a prorrogação do pedágio mais caro do mundo porque sabota a economia do Paraná. Cinco das 7 entidades do setor produtivo — o G7, liderado pela Federação das Indústrias do Paraná (Fiep) — se opõem à perpetuação do pedágio mais caro do mundo. Leia mais

7 de dezembro de 2015
por Esmael Morais
7 Comentários

Deu quiproquó na comissão que analisaria o impeachment

O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), adiou para amanhã à tarde (terça, 8) o prazo fatal para os partidos indicarem os integrantes da comissão especial que analisará o pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT).

Desde de sexta-feira (4), o leitor do Blog do Esmael já sabia que haveria o “golpe do golpe” dentro da bancada do PMDB.

O quiproquó se deu porque o PMDB, o maior partido da Casa, não se entende acerca da indicação dos 8 membros da comissão que tem direito. A comissão precisa de 65 titulares e 65 suplentes.

A ala que defende o impeachment, portanto ligada a Cunha, acusa o líder da bancada Leonardo Picciani (RJ) de indicar a maioria dos deputados contrários ao golpe.

O grupo no PMDB que defende o impeachment de Dilma anunciou que lançará chapa avulsa, com 33 integrantes, em contraposição às indicações de Picciani.

Nesta segunda-feira (7), Dilma pediu para que o Congresso Nacional não entre em recesso para acelerar a questão do impeachment. Segundo ela,  “não é correto o país ficar esperando”.

Leia mais

7 de dezembro de 2015
por Esmael Morais
11 Comentários

Lula lidera corrida presidencial em Pernambuco, diz Paraná Pesquisas

pernambuco_pesquisaO ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) assumiu a dianteira no estado de Pernambuco na disputa pela Presidência da República em 2018.

Segundo o instituto Paraná Pesquisa, o petista lidera a corrida com 26% das intenções de voto. Em segundo lugar aparece o senador Aécio Neves (PSDB-MG) com 24,8%.

A ex-senadora Marina Silva (Rede) surge na terceira colocação com 21,6%. O ex-ministro Ciro Gomes (PDT), em quarto, tem 4,6%, seguido do deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ), que obteve 4,2%. Leia mais

7 de dezembro de 2015
por admin
9 Comentários

Trabalhadores e estudantes organizam resistência ao golpe

naovaitergolpeO movimento de resistência ao golpe na forma de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff começa a se organizar hoje no Paraná. As centrais sindicais, diversos sindicatos, entidades estudantis e movimentos populares vão se reunir para definir uma agenda de mobilizações em defesa da democracia.

A reunião será às 18h30, desta segunda-feira (7), na sede da APP-Sindicato (Av. Iguaçu, 880, em Curitiba).

O Blog do Esmael conversou com o presidente da União Paranaense dos Estudantes Secundaristas (UPES), Matheus dos Santos. Segundo ele, a democracia no Brasil foi construída com muita luta e muitas vidas, por isso não se pode descuidar e permitir o golpe. “Não se trata somente de defender o mandato da presidente Dilma Rousseff. Vamos para a rua defender antes de tudo a democracia”. Leia mais

7 de dezembro de 2015
por Esmael Morais
17 Comentários

Para Lula, ‘oposição quer tirar o pobre para botar o rico no poder’

do Brasil 247

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta segunda-feira, 7, em São Paulo, que o País não pode permitir que “haja um golpe de Estado via impeachment” no Congresso Nacional.

“Para recolocar o trem de volta nos trilhos [o país] a gente não pode permitir que haja um golpe de Estado via impeachment no Congresso Nacional”, ressaltou o ex-presidente.

Lula destacou que para haver impeachment, é necessário ter uma razão e uma motivação clara. O que está por trás da tentativa de impeachment da presidente da República, segundo Lula, é o “desejo da oposição de tirar o pobre do poder”.

“Obviamente que o impeachment faz parte do processo democrático. Todos nós aqui participamos do impeachment do Collor [Fernando]. Mas o impeachment tem que ter uma razão, tem que ter uma motivação. E, no caso da Dilma, não tem nenhuma motivação a não ser ódio, a não ser preconceito, a não ser tentar desmontar um projeto que, com ajuda de milhões de pessoas que vivem no anonimato, que produzem a riqueza deste país, ajudaram a gente a construir”, enfatizou.

Leia mais

7 de dezembro de 2015
por Esmael Morais
6 Comentários

Dilma defende que Congresso fique sem recesso para resolver questão do impeachment

da Agência Brasil

congresso_dilmaA presidenta Dilma Rousseff disse hoje que defende a convocação do Congresso Nacional com o objetivo de não haver recesso parlamentar para que a situação criada com a abertura de processo de impeachment contra ela seja resolvida o mais rápido possível.

Ela disse que ainda não está definida de que forma se dará a convocação, mas disse que vai conversar com o presidente do Congresso Nacional, senador Renan Calheiros (PMDB-AL), sobre o assunto. Na opinião de Dilma, “não é correto o país ficar esperando”. Leia mais

7 de dezembro de 2015
por Esmael Morais
7 Comentários

Richa tende descer do muro para apoiar impeachment de Dilma

O governador Beto Richa (PSDB), do Paraná, é o único entre os 27 do país a ficar em cima do muro acerca do impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT).

No entanto, caso o processo avance na Câmara, o tucano tende apoiar o afastamento da petista. O governador paranaense deverá seguir a orientação do senador Aécio Neves (PSDB-MG), um dos dos líderes do golpe em marcha.

Beto Richa não assume abertamente sua posição pró-impeachment porque a situação dele, do ponto de vista legal, é infinitamente pior que a de Dilma.

A senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), em sua coluna no Blog do Esmael, nesta segunda-feira (7), denunciou o governador Beto Richa: “efetivamente atentou contra a Lei de Responsabilidade Fiscal, alterando a meta fiscal do Orçamento de 2014 depois de encerrado o ano, em abril de 2015. Isso sim foi uma pedalada, isso sim é crime”.

A senadora recordou ainda que, além de alta desaprovação popular, tem denúncia de corrupção no governo de Beto Richa, que teve mais de 80 servidores presos, inclusive seu primo.

Leia mais

7 de dezembro de 2015
por Esmael Morais
16 Comentários

Sobrinho de Requião na comissão que analisará impeachment de Dilma

jjO deputado federal João Arruda (PMDB-PR), coordenador da bancada paranaense no Congresso, é um dos indicados para a comissão especial que analisará o pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff na Câmara.

Arruda é sobrinho do senador Roberto Requião (PMDB-PR), um “bolivariano” favorável à legalidade democrática e contra o impeachment de Dilma. Leia mais

7 de dezembro de 2015
por admin
18 Comentários

Coluna da Maria Victória: A importância do investimento na primeira infância

Download

Maria Victoria Borghetti Barros*

Recentemente concluí um curso na Universidade de Harvard em parceria com a Fundação Maria Cecília Vidigal, Núcleo de Ciência pela Primeira Infância (NCPI) e o Instituto de Ensino e Pesquisa (Insper) sobre o desenvolvimento na primeira infância.

Gostaria de compartilhar meu aprendizado e espero poder conquistar seu apoio para esta causa tão nobre e importante para as futuras gerações.

Um estudo de Hofstade sobre Diferenças Culturais, modelo usado para facilitar a compreensão e adaptação de administradores estrangeiros no Brasil, permite comparar países baseados em seis dimensões, sendo elas: power distance, individualism, masculinity, high uncertainty avoidance, long-term orientation e indulgence.

De acordo com o gráfico (abaixo), conclui-se que o Brasil é imediatista e pensa a curto prazo, enquanto países como Alemanha e China, obtiveram um crescimento econô Leia mais

7 de dezembro de 2015
por Esmael Morais
7 Comentários

Humilhante goleada por 5 a 1 dificulta reeleição de Petraglia no Atlético

O sacode que o Atlético levou ontem (6) na Vila Belmiro, diante do Santos, pode ter enterrado de vez o sonho de reeleição de Mario Celso Petraglia. O time sofreu uma humilhante derrota, de 5 a 1, na última rodada do campeonato brasileiro. Os santistas registraram seu triunfo como uma “chuva de gols na Vila” contra o adversário rubro-negro.

O clube realiza eleição no próximo sábado, dia 12. Duas chapas concorrem ao comando do Furacão. A situação é representada pelo “CapGigante”, de Petraglia, e a oposição se uniu na “Atlético de Novo”, liderada pelo empresário João Alfredo Costa Filho.

No sábado (5), em sua coluna no Blog do Esmael, o oposicionista afirmou que “o Furação precisa de bola na rede e faixa no peito”. “Nos últimos 10 anos, o clube ganhou apenas u título, sendo o último deles em 2009”, lamentou João Alfredo.

A eleição no Atlético vai movimentar 9,5 mil torcedores.

Leia mais

7 de dezembro de 2015
por Esmael Morais
13 Comentários

Maduro reconhece derrota eleitoral e conclama venezuelanos para barrar contrarrevolução

maduro_eleicaoO presidente da Venezuela, Nicolas Maduro, reconheceu os resultados parlamentares nesta segunda-feira (7), anunciados pelo Conselho Nacional Eleitoral (CNE), em que a oposição obteve 99 cadeiras na Assembleia Nacional (AN).

“Nós, vendo estes resultados, nós vimos com a nossa moral, nossa ética, esses resultados adversos, a dizer a Venezuela que a democracia triunfou”, disse Maduro. Ele chamou o povo a fazer história e para enfrentar esta nova batalha.

Com 74,25% de participação e uma apuração de 96,03% dos votos, o chefe da CNE anunciou que a autodenominada Mesa da Unidade Democrática (MUD), ganhou 99 assentos, enquanto Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV) conquistou 46. No entanto, ainda falta apurar um total de 22 deputados (17 deputados nominais, 2 da lista e 3 índios). Leia mais

7 de dezembro de 2015
por Esmael Morais
18 Comentários

Gleisi Hoffmann aponta vice-presidente como articulador do golpe

temer_dilma_gleisiA senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), em sua coluna semanal no Blog do Esmael, apontou nesta segunda-feira (7) o vice-presidente da República, Michel Temer (PMDB), como integrante do movimento golpista que visa derrubar a presidente Dilma Rousseff (PT). Segundo a parlamentar, o peemedebista “está perdendo a razão para a possibilidade de assumir o governo”. Leia mais

7 de dezembro de 2015
por admin
32 Comentários

Coluna da Gleisi Hoffmann: A quem interessa o golpe?

Download

Gleisi Hoffmann*

Interessa a quem quer assumir o poder, de maneira mais rápida, sem ter que esperar até 2018, e mais fácil, sem precisar se submeter ao escrutínio das urnas.

São duas forças nessa situação, que contam com apoio de outros setores com interesses secundários: a oposição, capitaneada pelo PSDB, particularmente Aécio Neves, que não se conforma com a derrota; e parte importante do PMDB, que nunca ganhou uma eleição presidencial pela disputa no voto, capitaneado por Eduardo Cunha e, ao que parece, apoiado pelo vice-presidente Michel Temer, um constitucionalista, defensor da institucionalidade, da legalidade, que está perdendo a razão para a possibilidade de assumir o governo. A expectativa é que sua posição seja externada firmemente nesta semana em defesa da Constituição, como tem sido sua praxe histórica.

Rapidamente vão tentar me corrigir e dizer que interessa ao povo, que desaprova o governo da presidenta Dilma e que gostaria de vê-la fora da presidência.

O fato é que este argumento não é suficiente para um impeachment. Não há previsão constitucional para ele. A única previsão legal para a saída de um mandatário desaprovado pela população é a próxima eleição. É da democracia!

Impeachment não é um julgamento meramente político, porque se assim fosse, outros governantes também deveriam ser afastados, a começar pelo governador tucano do Paraná, Beto Richa, que além de alta desaprovação popular, tem denúncia de corrupção em seu governo, que teve mais de 80 servidores presos, inclusive seu primo. Além do mais, ele efetivamente atentou contra a Lei de Responsabilidade Fiscal, alterando a meta fiscal do Orçamento de 2014 depois de encerrado o ano, em abril de 2015. Isso sim foi uma pedalada, isso sim é crime. O que fará o PSDB?!

No caso de Dilma, não adianta falar em crime, seja de responsabilidade fiscal ou outro, porque não há, o que já foi evidenciado por amplo debate feito durante o final de semana por juristas renomados, como Celso Bandeira de Mello e Dalmo de Abreu Dallari, apenas para citar dois.

Entre os setores apoiadores do golpe, destaca-se o mercado financeiro, que logo se precipitou em avaliações entusiásticas com a possibilidade de Dilma sair e entrar o PMDB com sua “ponte para o futuro”. O mercado vive de expectativa e especulação, e ultimamente tem apostado na negativa. Tirar direitos trabalhistas, desvincular o salário mínimo da inflação, deixar avançar o desemprego, são pontos que lhe interessam. Aliás, o mercado sofre, nã Leia mais

7 de dezembro de 2015
por admin
13 Comentários

Coluna do Luiz Cláudio Romanelli: O espetáculo da democracia nas escolas

Download

“Democracia é oportunizar a todos o mesmo ponto de partida.
Quanto ao ponto de chegada, depende de cada um”.
Fernando Sabino

Luiz Cláudio Romanelli*

Na última quinta feira, dia 3 de dezembro, enquanto os holofotes estavam voltados para Brasília, onde se praticava a antidemocracia com a abertura do processo de impeachment contra a presidente Dilma, aqui no Paraná, vivemos o espetáculo da democracia.

Todas as comunidades escolares da Rede Estadual de Ensino do Paraná envolveram-se no processo de escolha dos diretores das mais de 2 mil escolas do estado. Pais, alunos, professores e funcionários votaram, de forma democrática, para escolher os gestores que serão responsáveis pelo bom andamento das nossas escolas nos próximos quatro anos.

Pela primeira vez, desde a implantação do processo de escolha para diretores de escolas, no governo de José Richa, o voto foi universal e não mais paritário. O voto do aluno com mais de 16 anos e dos pais de alunos menores de 16 anos, teve o mesmo peso que voto do professor e do funcionário da escola.

A ideia que apresentei na Assembleia Legislativa, ainda em 2014, foi aprovada pelos deputados e virou Lei. As novas regras aprofundam a democracia nas escolas e fortalecem e incentivam a participação direta de toda a comunidade, que agora, após participação efetiva na escolha, deve acompanhar de perto a gestão da escola.

Em setembro, em artigo publicado aqui, salientei que o voto igualitário contribui com o conceito mais amplo de escola e do seu papel na atual sociedade. Todos têm o direito ao mesmo voto. A maneira pela qual transcorreu todo o processo, sem que se registrasse nenhum incidente e com grande participação da comunidade, evidenciou que eu tinha razão quando afirmei que o voto universal e igualitário representaria uma mudança saudável e democrática, trazendo consigo outras mudanças que vão influenciar e promover melhorias no processo de ensino e aprendizagem.

Outra mudança importante foi a ampliação do mandato e a implantação de um mecanismo de avaliação de desempenho dos diretores eleitos. O mandato dos diretores foi ampliado de três para quatro anos, e o diretor será acompanhado pelo Conselho Escolar, que ficará responsável pelo monitoramento das metas propostas no Plano de Ação da Gestão, apresentado na inscrição da chapa na eleição. Após dois anos da Gestão, o Conselho Escolar, formado por alunos, pais, professores e funcionários, fará uma avaliação do cumprimento dessas metas, bem como da prestação de co Leia mais