‘Urbs faz terrorismo e atrasa pagamento dos trabalhadores’

urbsA Urbanização de Curitiba (Urbs), empresa que administra o transporte público municipal da Capital, atrasou, sem qualquer aviso prévio ou justificativa, o pagamento de seus funcionários.

O Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) firmado entre a Urbs e o SindiUrbano, prevê que o pagamento deve ser feito sempre no dia 25 de cada mês. Esse pagamento é feito sempre pela manhã, mas até agora os valores não foram creditados na conta dos 1,5 mil trabalhadores.

Segundo o presidente do SindiUrbano, Valdir Mestriner, não há nenhum motivo para o atraso, pois não existe corte em nenhuma receita da Urbs. “Tudo nos leva a crer que se trata de puro terrorismo contra os trabalhadores para intimidar nossas mobilizações e reivindicações”, completou Valdir.

A situação da Urbs anda complicada há bastante tempo. Existem denúncias e uma Ação Civil Pública de assédio moral e sexual por parte de diretores da empresa contra trabalhadores, além das recorrentes suspeitas de conluio com a máfia do transporte coletivo da Capital e Região Metroplitana.

Os 1.500 trabalhadores da Urbs deveriam ter recebido salários nesta manhã, totalizando aproximadamente R$ 3 milhões.

Haverá, na tarde de hoje, uma mesa de negociação convocada pela Superintendência Regional do Trabalho (STR) com representantes da empresa e do Sindicato. Na oportunidade, o SindiUrbano exigirá esclarecimentos. Se o pagamento não for feito ainda hoje, os trabalhadores vão se reunir amanhã (26) pela manhã para discutir a possibilidade da paralisação.

Comentários encerrados.