UBES faz passeata com 7 mil estudantes pelo ‘Fora Cunha’, contra o golpe e ajuste fiscal

ubes

A União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES) fez nesta sexta-feira (13), em Brasília, uma passeata com 7 mil estudantes. A manifestação realizada em conjunto com a Frente Brasil Popular pediu a saída do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

A passeata foi parte do 41º Congresso da UBES, que está acontecendo no Distrito Federal. Também teve como bandeiras o repúdio às tentativas de golpe contra a presidenta Dilma Rousseff (PT) e críticas ao ajuste fiscal do que tem promovido cortes e a retirada de direitos.

“Essa é a juventude combativa, que está aqui para falar muito alto que esse Congresso não nos representa, para dizer que não queremos a redução da maioridade penal, não queremos o Estatuto da Família, não queremos o PL 5069 que penaliza as mulheres. Eles não passarão”, declarou a presidenta da UBES, Bárbara Melo, do alto do carro de som.

Na linha de frente do ato, caminhavam somente mulheres, representando a atual importância da afirmação de gênero no movimento estudantil, que tem presidentas em suas principais entidades.

Foi a líder da UNE (União Nacional dos Estudantes), Carina Vitral, que também conduziu grande parte do protesto e que deixou uma mensagem ao pequeno grupo pró-impeachment instalado nos gramados do Congresso Nacional: “Os jovens estão é aqui, do nosso lado, porque defendemos os seus direitos. A juventude não embarca em movimentos criados por meia dúzia de lideranças falsas”, criticou.

A passeata dos movimentos foi completamente pacífica, em oposição à postura dos grupos golpistas acampados no local, noticiados na imprensa no mesmo dia pela apreensão de armas com um dos seus integrantes.

A Frente Brasil Popular, que participou da manifestação junto aos estudantes, levou as reivindicações das principais entidades populares do país. O presidente da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), Adilson Araújo, lembrou da luta contra as terceirizações e a ameaça aos direitos trabalhistas falou.

Já a representante de juventude do MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra) ressaltou a defesa da reforma agrária e a criação de políticas para mulheres do campo. Janeslei Albuquerque, secretária de movimentos sociais da CUT (Central Única dos Trabalhadores), criticou a política econômica do país e a falta de um modelo que beneficie a classe trabalhadora.

Via Portal da UBES, editado. 

1 Comentário

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. I simply want to mention I am beginner to blogging and definitely enjoyed you’re web site. Most likely I’m likely to bookmark your site . You certainly have amazing articles and reviews. Thank you for sharing with us your website.