Coluna do Jorge Bernardi: Tragédias de Mariana (MG) e Paraty (RJ), e os ônibus sucateados de Curitiba

bernardi

Em sua coluna semanal, o vereador Jorge Bernardi (REDE) fala de duas tragédias recentes para lembrar que é possível prever e evitar acidentes. O rompimento da barragem de lama em Mariana (MG) e o acidente de ônibus em Paraty (RJ) servem como avisos para que a cidade de Curitiba não brinque com a sorte e reveja imediatamente a frota de ônibus coletivos da cidade. Como todos sabem, muitos desses veículos estão com o prazo de validade vencido. Leia, ouça, comente e compartilhe. 

Download

Jorge Bernardi*

O que há de comum entre a tragédia de Mariana, MG, que fez mais de 30 vítimas fatais e se constitui no maior desastre ecológico no Brasil de todos os tempos, e os mais de 200 ônibus sucateados, com prazo de validade vencidos, que circulam nas ruas de Curitiba?

A tragédia de Mariana, com o rompimento de duas barragens que acumulavam resíduos altamente tóxicos de minérios demonstram o descaso e a falência dos órgãos de fiscalização e de controle, diante de uma situação previsível. Passada a comoção inicial, vê-se o desrespeito com as normas e a segurança, causando a destruição da biodiversidade do vale do rio Doce.

A empresa Samarco, pertencente a duas das maiores mineradoras do mundo, Vale e BHP, pouco ou nenhum respeito demonstraram com os seres humanos e com a natureza. O lucro para a empresa está acima da vida, do meio ambiente. E o que é pior onde estavam os órgãos de fiscalização que asseguraram a segurança das represas poucos meses antes da tragédia?

O que está acontecendo em Curitiba é que mais de 10 % da frota de ônibus roda com vida útil vencida colocando em risco, diariamente, a vida de milhares de pessoas. Se nada for feito, até o final de 2016, cerca de 500 ônibus sucateados estarão circulando pelas ruas da cidade.

Como a situação chegou a este ponto? Em 2013, o sindicato das empresas de ônibus, Setransp, conseguiu liminar da justiça cancelando a obrigatoriedade de renovação da frota. A infeliz decisão judicial compara-se a autorização para que remédios, com prazo de validade vencidos, continuem sendo vendidos e consumidos pela população. Isto é o que está ocorrendo, e o pior, um juiz anônimo, que ninguém conhece ou ouviu falar, concedeu a liminar que está colocando em risco a vida dos curitibanos.

Em 7 de setembro deste ano, um acidente com 15 mortos e mais de 60 feridos ocorreu em Paraty, RJ, envolvendo um ônibus urbano daquele município que rodava com a vida útil vencida. Prevalece a ganância dos que querem ganhar cada vez mais sem oferecer em contrapartida segurança, conforto e qualidade de serviço aos usuários.

Tanto Mariana quanto Paraty, são exemplos de tragédias anunciadas, que poderiam ser evitadas se o poder público cumprisse com o seu dever. Quanto aos ônibus, com validade vencida de Curitiba, só nos resta invocar a proteção Divina. Das autoridades, nada podemos esperar.

*Jorge Bernardi, vereador de Curitiba (Rede), é advogado e jornalista. Mestre e doutorando em gestão urbana, ele escreve aos sábados no Blog do Esmael.

6 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. I simply want to tell you that I’m new to blogs and seriously savored your web blog. More than likely I’m planning to bookmark your blog . You absolutely come with excellent posts. Kudos for revealing your web-site.

  2. Na semana passada escutei no rádio do carro, que havia
    caído a roda de um ônibus.
    Dizer depois que um acidente por falta de manutenção
    em um ônibus é uma fatalidade ou tragédia, é mentir
    para fugir das responsabilidades.
    Na verdade é crime, pois se feitas as manutenções
    na forma e períodos corretos, os ônibus podem rodar
    até ficarem obsoletos, mas não causarão acidentes.
    É a URBS sendo tão relapsa na fiscalização dos
    ônibus, quanto o MME e a ANA o foram na fiscalização
    das barragens da Samarco.

  3. Não foi acidente? Os responsáveis por esta tragédia têm que ser responsabilizados. Não apenas queremos que as perdas sejam ressarcidas. Os envolvidos na trajédia, os responsáveis pela fiscalização, aqueles que dentro da empresa “garantiam” que se podia seguir trabalhando normalmente, devem ser punidos.A culpa é da empresa e dos governos.

  4. Ônibus não são produtos perecíveis que precisam de data de vencimento, estes veículos com manutenção adequada não tem problema nenhum, pois existem carros da década de 20/30 rodando por aí, aviões da década de 70 estão na ativa, os Boeing 727 voam ainda transportando cargas.

  5. As duas funções jornslísticas mais relevantes para o futuro:

    – Ler orçamentos
    – Discutir funções dos e dentro de órgãos públicos.(note que as preposições foram escolhidas)