Por Esmael Morais

Revogação de título concedido a José Dirceu vai ao plenário da Alep hoje

Publicado em 17/11/2015

“Eu tenho um levantamento das 635 pessoas que já receberam o título de Cidadão Honorário do Paraná. Entre os quais, que já tem condenação, eu posso destacar aqui: Jaime Lerner, Flávio Martinez, o ex-prefeito de Londrina Antônio Belinati, Antônio Carlos Magalhães, o [Mário Celso] Petraglia, presidente do Atlético Paranaense. Poderia citar também os generais da ditadura, Emílio Garrastazu Médici, Ernesto Geisel, Castelo Branco, Costa e Silva…”, disse Moura.

Ele concluiu dizendo que a proposta de Francischini é politiqueira e se aproveita do momento e das condenações de José Dirceu.

Na realidade, essa proposta é mais um reflexo do antipetismo que se instalou no país. As denúncias de corrupção deveriam recair sobre diversos partidos, mas o PT é sempre o mais citado pela imprensa, muitas vezes injustamente.

No início do governo do presidente Lula (PT), em 2002, muitos defenderam uma devassa sobre os governos de Fernando Henrique Cardoso do PSDB, para que se apurasse com profundidade e fossem punidos todos os escândalos de corrupção abafados entre 94 e 2002.

Na época, Lula achou melhor tocar em frente e fazer o seu mandato, num estilo mais conciliador que revanchista. Mas os conservadores não perdoam, e vêm fazendo de tudo para incriminar Lula e o PT desde então.

Ainda não chegaram em Lula. José Dirceu é uma espécie de troféu de consolação. Francischini, pai e filho, fazem de tudo para desgastar a já combalida imagem do Partido dos Trabalhadores.

O debate de sessão de hoje promete.