Blog do Esmael

A política como ela é em tempo real.

Revogação de título concedido a José Dirceu vai ao plenário da Alep hoje

dirceuO Projeto de Lei de autoria do deputado Felipe Francischini (SD), que cassa o título de cidadão honorário do ex-ministro José Dirceu, irá a voto em plenário da Assembleia Legislativa  do Paraná (Alep) na sessão desta terça-feira (17).

A proposta já foi motivo de confusão na reunião da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do último dia 10, quando Francischini Kid chamou Dirceu de “ladrão” e “vagabundo”.

O deputado Péricles de Mello (PT) advertiu o jovem “justiceiro” de que ele “não deveria usar esse palavreado na Assembleia, até porque quem joga bomba em professor também pode ser considerado vagabundo”, numa referência ao massacre de 29 de abril, coordenado pelo Francischini pai, então secretário de Segurança Pública.

Na sessão da Alep do dia 11, foi o deputado Nereu Moura, líder do PMDB, que se manifestou contra a revogação do título. Segundo ele, não há previsão legal para a revogação. Além disso, pelo critério da condenação, outros títulos de honraria concedidos pela Assembleia também deveriam ser revogados.

“Eu tenho um levantamento das 635 pessoas que já receberam o título de Cidadão Honorário do Paraná. Entre os quais, que já tem condenação, eu posso destacar aqui: Jaime Lerner, Flávio Martinez, o ex-prefeito de Londrina Antônio Belinati, Antônio Carlos Magalhães, o [Mário Celso] Petraglia, presidente do Atlético Paranaense. Poderia citar também os generais da ditadura, Emílio Garrastazu Médici, Ernesto Geisel, Castelo Branco, Costa e Silva…”, disse Moura.

Ele concluiu dizendo que a proposta de Francischini é politiqueira e se aproveita do momento e das condenações de José Dirceu.

Na realidade, essa proposta é mais um reflexo do antipetismo que se instalou no país. As denúncias de corrupção deveriam recair sobre diversos partidos, mas o PT é sempre o mais citado pela imprensa, muitas vezes injustamente.

No início do governo do presidente Lula (PT), em 2002, muitos defenderam uma devassa sobre os governos de Fernando Henrique Cardoso do PSDB, para que se apurasse com profundidade e fossem punidos todos os escândalos de corrupção abafados entre 94 e 2002.

Na época, Lula achou melhor tocar em frente e fazer o seu mandato, num estilo mais conciliador que revanchista. Mas os conservadores não perdoam, e vêm fazendo de tudo para incriminar Lula e o PT desde então.

Ainda não chegaram em Lula. José Dirceu é uma espécie de troféu de consolação. Francischini, pai e filho, fazem de tudo para desgastar a já combalida imagem do Partido dos Trabalhadores.

O debate de sessão de hoje promete.

Comentários desativados.