PL “Adote uma Escola” vai para análise do Conselho Estadual de Educação

adote

Deputado Professor Lemos (PT) ironiza nome do projeto que privatiza escolas no Paraná, “Adote uma Escola”; segundo ele, só se adota alguém quando este alguém está abandonado. “No meu entendimento, o projeto tira a autonomia das escolas, com a ingerência e a propaganda das marcas das empresas”, criticou o parlamentar.

O Projeto de Lei N° 304/2015, de autoria do deputado estadual Marcio Nunes (PSC), que institui o programa “Adote uma Escola” começou a tramitar na última quarta-feira (24) na Comissão de Educação da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep).

Contrário ao projeto, o deputado Professor Lemos (PT) apresentou requerimento para que o projeto fosse enviado para análise do Conselho Estadual de Educação (CEE). O requerimento foi aprovado por unanimidade e o texto será protocolado naquele órgão nesta segunda-feira (30).

Lemos espera que o Conselho se posicione contrário ao projeto e vai propor que o mesmo seja rejeitado no mérito pela Comissão de Educação da Alep. Segundo o deputado, a educação pública é dever do Estado e deve ser financiada com os recursos dos impostos, e não com patrocínio da iniciativa privada.

“No meu entendimento, o projeto tira a autonomia das escolas, com a ingerência e a propaganda das marcas das empresas. Imagine as marcas estampadas nas paredes das escolas e nos uniformes das crianças. Educação não é mercadoria, não pode ser mercadoria.”

“Olha o nome do projeto: ‘Adote uma Escola’. Quando é que você adota alguém? Quando está abandonado. Não podemos permitir que a educação fique abandonada. Ela é o nosso futuro.” Acrescentou.

“A função de arrecadar os impostos é da Receita Estadual. Não podemos transformar as escolas em agências da Receita. O governo deve combater a corrupção da receita e destinar corretamente os recursos para educação, para que nenhuma escola fique abandonada.” Concluiu o deputado.

O projeto deverá ser analisado pelo Conselho Estadual de Educação nas próximas reuniões e retornar para tramitação na Alep somente no início de 2016.

15 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. Vamos promover a campanha “Adote o EsTADO,pois está totalmente abandonado …. É a quarta melhor economia….mas com certeza é assim pq seu POVO é trabalhador…

  2. Povo do Paraná – O governo da Pátria Educadora acaba de extinguir cursos médios na UFPR.

  3. Novamente o PSC. Belos cristãos. Se Jesus quisesse favorecer a iniciativa privada teria feito aliança com os ricos e poderosos e não com uma comunidade de pescadores.
    Os cristos do PSC são o Beto Richa e o Ratinho Jr. São adorados.

  4. ADOTAR UMA ESCOLA É TERCEIRIZAR ESCOLA, OU SEJA, VENDER ESCOLAS, E O POVO DO PARANÁ VAI ACEITAR MAIS ESTA DO INCOMPETENTE GOVERNADOR BETO RICHA? COMO ESCREVEU O JORGE BERNARDI, GOVERNO RICHA É MELHOR QUANDO NADA FAZ.

  5. PELO MENOS A EDUCAÇÃO BÁSICA!!

    O QUE MAIS O PSBD VAI FAZER?

    PRIVATIZAR, E JOGAR NAS COSTAS DO PRIVADO,

    PARA QUE PAGAMOS IMPOSTOS PARA O PUBLICO ENTÃO?
    SE NÃO QUEREM ASSUMIR O BÁSICO DO BÁSICO?

    • Só uma correção: vai jogar “o privado” nas nossas costas também. Vamos continuar pagando (muitos) impostos e sustentando a iniciativa privada (novamente).

  6. República de bandidos
    Ninguém melhor do que a ministra Cármen Lúcia, do Supremo Tribunal Federal, para expressar o sentimento de frustração que atinge em cheio os brasileiros: “Na história recente da nossa pátria, houve um momento em que a maioria de nós acreditou no mote segundo o qual a esperança tinha vencido o medo. Depois, nos deparamos com a Ação Penal 470 (o mensalão) e descobrimos que o cinismo tinha vencido aquela esperança. Agora constata­-se que o escárnio venceu o cinismo”. Nessa síntese está toda a trajetória dos embusteiros petistas resumiu a frustração dos brasileiros de bem, para traçar o limite de desfaçatez e advertir a canalha que se adonou da coisa pública sobre as consequências de seus crimes: “O crime não vencerá a Justiça” e os “navegantes dessas águas turvas de corrupção e das iniquidades” não passarão “a navalha da desfaçatez e da confusão entre imunidade, impunidade e corrupção”. É um chamamento para que os brasileiros honestos não aceitem mais passivamente as imposturas dos ferrabrases que criaram as condições para que se erigisse aqui uma desavergonhada república de bandidos.

    • Juanito, se você cita o editorial “opinião” do Estadão, transcrevendo ipsis litteris cada palavra, deveria, no mínimo, postar a fonte. Caso contrário, como de fato aconteceu, denota uma grande desonestidade intelectual de sua parte, configurando plágio. Mas esse comportamento é típico de quem gosta de apoiar o PIG: apropriar-se daquilo que não é seu. Então, quem é o ladrão?

    • Belo discurso do moralismo udenista! Com este papo de falsa moral, assassinaram Getúlio Vargas e derrubaram Jango. O inimigo da canalha não é a corrupção, mas o Estado que se preocupa com o social. E, por favor, só debiloides desinformados não sabem que o judiciário fede mais que uma pocilga. Se quer enganar quem? O pior poder da República é o judiciário, antidemocrático por excelência e antro do patrimonialismo e nepotismo. E para terminar, quando é que o teu ilibado judiciário vai começar a prender o lixo do PSDB? Nunca, né????

      • Disse tudo Professor Roberson. E com propriedade. Faço minhas as suas palavras.

        • Com certeza. Falaste com muita propriedade professor Roberson. Faço minhas as suas palavras…

      • ANTENA – Juninho citou a fonte, ministra Carmem Lúcia. Presta atenção.
        E ai embaixo o professor Roberson ignora que a maioria dos componentes do Judiciário foi nomeada por Lula e Dilma. Ignora também que existem processos contra tucanos sim. Correm em segredo de Justiça. E se até agora não se noticiou ou se tomou conhecimento de atitude judicial ou policial contra tucano, talvez porque os advogados deles sejam mais competentes do que os do PT, por exemplo, que o Tóffoli, nomeado pelo processo do QI – Quem Indicou. Nunca passou num concurso, o abobado. Não que eu me simpatize com tucano. Muito pelo contrário. Já avisei o meu ex-patrão – estou aposentado e ele não se elegeu na última – que se ele voltar a se candidatar a qualquer cargo pelo PSDB que ele não conte com o meu voto. Votei em Aécio e em Beto pelo critério do Menos Pior. Sou PV, mas se ele continuar amarrado a Requião Figueira, me escafedo.

        • Não Parreiras. Você não entendeu e não prestou atenção. O editorial do Estadão citou a ministra e disse de quem era a frase. Juanito (e não Juninho, como você disse) copiou todo o editorial do estadão e não citou a fonte.