Paranaense preside fundo nacional com R$ 12 bi para investimentos; governo Richa não apresenta projeto

Paulo Rossi, da UGT, vai presidir nesta quarta-feira (25), em Brasília, fundo com R$ 12 bilhões para investimentos; até agora, governo Richa não apresentou projetos; segunda a doutrina do conselho de investimento, o FI-FGTS não socorre quem dorme de toca.

Paulo Rossi, da UGT, vai presidir nesta quarta-feira (25), em Brasília, fundo com R$ 12 bilhões para investimentos; até agora, governo Richa não apresentou projetos; segunda a doutrina do conselho de investimento, o FI-FGTS não socorre quem dorme de toca.

Diz o ditado que um raio não cai no mesmo local. Pode ser que sim, pode ser que não, mas o fato é que o Conselho do Fundo de Investimentos do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FI-FGTS), cujo saldo atual para investimentos é de R$ 12 bilhões, será presidido nesta quarta-feira (25), em Brasília, pelo sindicalista Paulo Rossi, presidente da União Geral dos Trabalhadores (UGT), seção Paraná.

O governo de Beto Richa (PSDB), até agora, não apresentou nenhum projeto para o FI-FGTS, mas outros estados, como Espírito Santo, por exemplo, pleiteará amanhã R$ 1 bi, sendo R$ 700 milhões para a Energisa, que atua no setor de energia, e mais R$ 409 milhões de reais para a CESAN (Companhia Espírito Santense de Saneamento).

O diabo é que os deputados quebram o pau na Assembleia Legislativa para “decidir” quem é o pai da subida do estado à posição de quarta maior economia do país, superando o Rio Grande do Sul. Mas, na vida real, Richa sequer tem projetos.

É vergonhoso dizer que o governador tucano não fez um investimento sequer com dinheiro do estado em infraestrutura, enquanto o sindicalista, numa só canetada, vai liberar R$ 1 bi de recursos dos trabalhadores. No entanto, o FI-FGTS não socorre quem dorme de toca.

Rossi, indicado pela UGT, é um dos 12 membros do conselho que atua de forma tripartite (6 indicados pelo governo federal, 3 pelas confederações patronais e 3 pelas principais centrais sindicais), na gestão da aplicação dos bilionários recursos oriundos do FGTS.

Amanhã será a primeira vez que um dirigente do estado do Paraná presidirá o FI-FGTS, que possui ativos de mais de 60 bilhões em investimentos em infraestrutura nas aéreas de rodovias, portos, aeroportos, hidrovias, saneamento e energia.

9 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. I simply want to mention I am just very new to blogging and certainly enjoyed your web site. Probably I’m likely to bookmark your blog . You absolutely come with incredible article content. Kudos for sharing with us your web site.

  2. Já, apresentar projetos para conseguir dinheiro ou
    verba, dá um trabalho…
    Então… deixa pra lá!
    Depois a gente põe a culpa na Dilma e no Rossi.

  3. Quando se trata de confisco, ou diminuição de repasse
    aos fundos previdenciários, beto rixa, e até Gustavo
    Fruet (acreditem!), são rapidíssimos.
    Basta uma alegação esfarrapada, e uma ALEP ou CMC
    amestrada e servil.

  4. MENINO ficha LIMPA,foi declarado e diplomado governador.Projetos pergunta pro tse,aquele que beto apresentou para se Reeleger mais uma vez como governador.

  5. Pelo que li o governo do estado do Espírito Santo está investimento na companhia de saneamento deles e enquanto isso a nossa Sanepar só aumenta a conta da água e não faz um investimento sequer. Vergonha!!!

  6. Esse cara não tem jeito mesmo.
    Fico preocupado como será o meu futuro no meu emprego de Barnabé (quase funcionário Público, porém CLT.
    A Copel está condenada e eu ainda tenho mais 13 anos de trabalho árduo pela frente não sei para onde correr. A Copel não passará.

  7. Parabéns ao parnanguara Paulo Rossi. Com humildade sempre se vence!

  8. Nosso governador só tem pressa quando o assunto está ligado à educação e aos professores.