Líder de Richa na Assembleia sobre o PT: “Nós sempre fomos próximos”

Deputado Luiz Claudio Romanelli (PMDB), líder do governo Beto Richa (PSDB) na Assembleia Legislativa do Paraná, ao ser questionado se a postura de defender o título de cidadania honorária ao ex-ministro José Dirceu, mais que os próprios petistas da Casa, significaria uma aproximação dele com o PT, o parlamentar foi enigmático e lacônico: “Nós sempre fomos próximos”.

Deputado Luiz Claudio Romanelli (PMDB), líder do governo Beto Richa (PSDB) na Assembleia Legislativa do Paraná, ao ser questionado se a postura de defender o título de cidadania honorária ao ex-ministro José Dirceu, mais que os próprios petistas da Casa, significaria uma aproximação dele com o PT, o parlamentar foi enigmático e lacônico: “Nós sempre fomos próximos”.

O projeto de lei que revoga o título de Cidadão Honorário do ex-ministro José Dirceu foi retirado de pauta da sessão de ontem (18) da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep). A decisão do presidente da Casa, deputado Ademar Traiano (PSDB), foi para que a mesa executiva possa analisar uma questão de ordem do deputado Luiz Claudio Romanelli (PMDB), líder do governo Beto Richa (PSDB).

O motivo é que para concessão (ou revogação) dessas honrarias são necessários 28 votos (maioria absoluta) em plenário. Mas a proposta do deputado Francischini Kid (SD) obteve apenas 23. Houve ainda cinco votos contrários e seis abstenções.

Apesar do deputado Romanelli ter levantado a questão de ordem já na primeira votação, acerca da legalidade do projeto, na terça-feira (17), Traiano declarou a aprovação da matéria. O recuo se deu somente depois que a questão foi apresentada por escrito pelo líder governista.

Ouvido pelo Blog do Esmael, Romanelli afirmou que não viu motivação política na conduta do presidente da Casa e refutou a comparação com as atitudes de Eduardo Cunha (PMDB-RJ), presidente da Câmara Federal, que repete as votações perdidas. “Estamos discutindo as questões legais da aprovação ou não do projeto. Agora vamos aguardar a manifestação da mesa”, afirmou.

Questionado se a postura de defender o título de cidadania honorária de José Dirceu significava uma aproximação dele com o PT, Romanelli foi enigmático: “Nós sempre fomos próximos”.

1 Comentário

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. Vamos determinar então título de cidadão honorário para todos os presidiários do estado…
    Mais absurdo do que perdermos tempo com esse lixo, é verificarmos o desequilíbrio político do nosso colunista à fórceps Romanelli. É líder do governo pinóquio, é do PMDB e próximo (?!?) do PT (?!?).
    E como líder do governo de pinóquio, o rei dos pedágios, ainda defende que todos furem as cancelas…
    Tá amarrado!!!