Jornal Gazeta do Povo leva quase 100 anos para descobrir que é um “blog”

Nos meios jornalísticos e publicitários há uma tabela prevendo a "morte" de jornais e revistas em todo planeta. O deadline ocorrerá primeiro nos Estados Unidos (2017), Canadá e Noruega (2020). No Brasil, o papel resistirá até 2027 (leia abaixo). O jornal Gazeta do Povo, ao migrar para plataforma digital, transformando-se num “blog”, de certa forma, marcha rumo a uma ordem natural, líquida, certa e inevitável que é a morte do impresso.

Nos meios jornalísticos e publicitários há uma tabela prevendo a “morte” de jornais e revistas em todo planeta. O deadline ocorrerá primeiro nos Estados Unidos (2017), Canadá e Noruega (2020). No Brasil, o papel resistirá até 2027 (leia abaixo). O jornal Gazeta do Povo, ao migrar para plataforma digital, transformando-se num “blog”, de certa forma, marcha rumo a uma ordem natural, líquida, certa e inevitável que é a morte do impresso.

Fundado em fevereiro de 1919, o tradicional jornal curitibano Gazeta do Povo dará um salto para a migração do papel para a plataforma digital.

Em comunicado enviado a assinantes, o jornal da família Cunha Pereira informa que a versão impressa deixará de circular aos domingos. No entanto, uma edição “fim de semana” chegará aos leitores mais cedo — nos sábados.

Para compensar a falta de papel aos leitores, o jornal oferece em contrapartida “acesso ilimitado a todas as plataformas digitais, com informações atualizadas em tempo real”. Ou seja, a Gazeta do Povo levou quase 100 anos para descobrir que é um “blog”.

O tamanho do jornal impresso Gazeta do Povo também vai diminuir, isto é, o formato do papel (provavelmente, será relançado no formato Berliner ou Germânico).

A edição deste domingo (22) do jornal Gazeta do Povo promete explicar direito aos leitores essa mudança de conceito, ou seja, sobre essa migração “lenta, gradual e segura” do papel para a plataforma digital total.

É de conhecimento de todos que as publicações impressas tendem a desaparecer em todo o mundo. A primeira grande a ser extinta na versão papel foi a revista norte-americana Newsweek, uma espécie de Veja dos Estados Unidos, que, no final de 2012, migrou totalmente para a plataforma digital após 80 anos.

Nos meios jornalísticos e publicitários, inclusive, há uma tabela prevendo a “morte” de jornais e revistas em todo planeta. O deadline (linha da morte ou prazo final) ocorrerá primeiro nos Estados Unidos (2017), Canadá e Noruega (2020). No Brasil, o papel resistirá até 2027 (clique aqui para ler mais sobre isso).

Voltemos à vaca fria, ou seja, à conversão do jornal Gazeta do Povo num “blog”.

Segundo informações obtidas pelo Blog do Esmael, o impresso da família Cunha Pereira há tempos entrou em colapso. Opera no vermelho porque perdeu como sócio a família Lemanski. Portanto, somente os Cunha Pereira fazem aporte financeiro da RPC TV (afiliada à Globo), que seria superavitária, para a Gazeta do Povo tal qual ela é hoje (versão impressa).

A migração total da plataforma offline (papel) para online (digital), com certeza, reduzirá custos com logística de distribuição e insumos (papel, tinta, etc.), além de aposentar as rotativas e eliminar mão de obra secular.

O problema é que não se faz jornalismo sem jornalistas. O histórico da Gazeta do Povo nesses últimos anos — e nos meses recentes — é de demissão de profissionais que seriam tarimbados para essa tarefa mudancista. O projeto que transforma o tradicional impresso em “blog”, quase 100 anos depois, é paradigmático e desafiante, ao mesmo tempo, porque pode bater na trave se não houver investimento em capital humano, isto é, em jornalistas.

Enfim, bem-vindo à blogosfera!

17 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. SUPER MEGA KIT COMPLETO WHATSAPP MARKETING DIVULGAÇÃO EM MASSA

    Alcance Seu Publico Alvo

    Alavanque Suas Vendas

    SITE: http://bit.ly/1QgntWx

  2. Jornaleco de cidade do interior…com transtorno de inferioridade.

  3. Valeu Girardi, Tonico e outros que tocaram a mesma faixa.
    A Gazeta do Povo é considerada uma das melhores publicações do ramo na América Latina, um orgulho paranaense, um importante poder reivindicatório, de críticas. Reconhecido veículo de informação, inquestionável formador de opinião, necessário propagador da ciência, da arte, do lazer, da cultura e suporte do comércio e da agro-indústria. Uns e outros ai em cima que a dizem forro de gaiola, de casinha de cachorro e que tais, bem, deixa prá lá. Esmael, não dê guarida para eles, pois dirão o mesmo quando a tecnologia decretar o fim dos blogs e as informações forem transmitidas telepaticamente. Do jeito que a coisa anda…

    • PARABÉNS..SR PARREIRAS..BELAS PALAVRAS E COM CONHECIMENTO DE CAUSA;;;ASSIM TEM QUE SER AS CRITICAS E OS ELOGIOS.;..COM O PÉ NO CHÃO E NAO SÓ DIFAMAR..QUEM TANTO APOIOU O ESTADO DO PARANÁ….EU LEMBRO BEM PALAVRAS DO DR FRANCISCO CUNHA PEREIRA..DITO Á UM EDITOR..NUNCA COLOQUE NAS PÁGINAS DA MINHA GAZETA DO PVO ..DIFAMAÇÕES CONTRA EMPRESAS DO PARANÁ..QUE GERAM MUITOS EMPREGOS AQUI;;;;;;;;;;;;;;;

    • “Grazie, Signore” Parreiras!

  4. Acho que dever-se-ia imprimir pelo menos uma dúzia
    de exemplares, para efeito de arquivo.
    O jornal impresso é mais do que documento, é prova.
    Uma coisa porém, é certa: a cada jornal que fecha
    ou deixa de ser impresso, perdemos massa cinzenta.
    Ficaremos apenas nos pasquins de consumo imediato,
    do tipo Esportes, Polícia, Política, e variedades
    ou diversos, sem profundidade, e sem análise.
    Apenas sínteses ou resenhas.
    – cérebros = – intelectualidade, que pena.

  5. CADA UM TEM O DIREITO DE EXPOR O SEU COMENTÁRIO..AQUI VAI O MEU E ESPERO QUE RESPEITEM OK..A GAZETA DO POVO PRESTOU MUITOS E GRANDES SERVIÇOS A FAVOR DE CURITIBA E DO PARANÁ..NAO DEVEMOS GUSPIR NO PRATO EM QUE COMEMOS Á ANOS, SE ESTA HAVENDO MUDANÇAS É NECESSÁRIO POIS NADA É ETERNO,E EU Á MUITOS ANOS JÁ DIZIA,,NO TEMPO DO DR DÁQUINO E DR FRANCISCO,,QUE O JORNAL ÉRA MUITO GRANDE PARA O LEITOR LER TINHA QUE DOBRA-LO..E QUE SERIA ÓTIMO SE ELE FOSSE ENCURTADO UMS 20 CENT,,E FICARIA IGUAL AO ZERO HORA DE PORTO ALEGRE..UM JORNAL PRÁTICO DE FOLHAR E LER….COMO JÁ É EM VÁRIOS PAISES DO MUNDO ..E TOMARA QUE NAO SUMA NAO POIS É UMA BELA TRADIÇÃO E TEM QUE SOBREVIVER……..

  6. E como ficam os canarinhos? Só pra forrar a gaiola dos tadinhos esse jorneleco serve.

  7. Kkk que Peninha acabou o papel para os cachorros dormir.já vai tarde este lixo

  8. Acho que a Gazeta de dá melhor quando fica só nos assuntos da Tribo, principalmente de Curitiba.

  9. Quem diria a Gazeta fechando as portas , me lembro em 1996 eu saia no sábado a noite para conseguir uma gazeta de domingo e era difícil ! Hoje eu prefiro o blog porque a noticia é na Hora..

  10. Criticas vazias e temporárias !!
    A Gazeta tem uma historia e deve ser respeitada.
    Nenhuma aventura dura 100 anos

  11. Podia aproveitar e mudar o nome para Gazeta do Coxinha.

  12. Bem que poderia fechar suas portas, jornaleco de quinta categoria do PIG.

  13. A VEJA poderia divulgar seu balanço deste ano, para ver se o assunto “impeachment” gerou lucros. Para ficar apertando a mesma tecla deve estar bom o negócio…

    “Pra variar um pouco (ou aumentar os lucros) vamos falar de lava jato de natal”.

  14. He-man x Esqueleto
    Jornal x Blog
    Curintia x São Paulo
    Católico x Islã

    Um não aceita o que o outro acha que é, e vice-versa.