Por Esmael Morais

Após 7 meses do massacre de professores, Richa ainda não foi punido

Publicado em 29/11/2015

Além de Richa, outros quatro agentes públicos são representados em virtude do massacre ocorrido durante a jornada de professores e servidores públicos contra o confisco de R$ 8 bilhões da poupança previdenciária.

Além do governador, o Ministério Público pede a condenação do ex-secretário da Segurança, deputado Fernando Francischini (SD), Nerino Brito (subcomandante da PM), coronel Arildo Dias (chefe da operação) e tenente-coronel Hudson Teixeira (Bope).