Após 7 meses do massacre de professores, Richa ainda não foi punido

richa_massacreO governador Beto Richa (PSDB) segue impune sete meses após autorizar o massacre de professores, no dia 29 de abril, que resultou em 213 pessoas feridas devido à violência da polícia.

Para lembrar da covardia do “Carniceiro do Centro Cívico”, das bombas e dos tiros, os educadores estão se manifestando neste domingo (29) nas redes sociais. Eles utilizam hashtag #29deabrilnãoesqueceremos.

O tucano virou réu de uma ação de improbidade administrativa proposta pelo Ministério Público do Paraná (MP), que pede o ressarcimento de R$ 5,9 milhões gastos na operação militar.

Além de Richa, outros quatro agentes públicos são representados em virtude do massacre ocorrido durante a jornada de professores e servidores públicos contra o confisco de R$ 8 bilhões da poupança previdenciária.

Além do governador, o Ministério Público pede a condenação do ex-secretário da Segurança, deputado Fernando Francischini (SD), Nerino Brito (subcomandante da PM), coronel Arildo Dias (chefe da operação) e tenente-coronel Hudson Teixeira (Bope).

Comentários encerrados.