Por Esmael Morais

Além de fechar escolas, governos estaduais querem suspender aumentos para professores em 2016

Publicado em 30/11/2015

O raciocínio dos secretários é simples e recorrente: “a situação apertou, arrocha o salário dos professores”. Não importa que esses profissionais estejam entre os mais mal remunerados do país. Não importa que boa parte da crise nacional seja fruto direto do sucateamento da educação pública. Corta na educação, que está tudo bem.

É o mesmo pensamento do governador Beto Richa (PSDB), que, a pretexto de reforçar o Caixa Único (CU), confiscou a previdência dos servidores (na maioria professores), negou o reajuste na data-base, está tentando fechar escolas e turmas escolares para economizar recursos, além dos cortes orçamentários da área da educação pública.