Além de fechar escolas, governos estaduais querem suspender aumentos para professores em 2016

Piso salarial nacional dos professores da rede pública de educação básica pode passar de R$ 1.917,78 para R$ 2.743,65 por mês, de acordo com projeto (PLS 114/2015), de autoria da senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), aprovado em outubro pela Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE); integralização do novo piso deverá ser feita de forma progressiva, no decorrer de três anos, segundo o texto, e deverá caber ao governo federal, durante cinco anos, a responsabilidade financeira pela complementação dos salários em vigor, para que atinjam o montante referente ao novo piso salarial.

Piso salarial nacional dos professores da rede pública de educação básica pode passar de R$ 1.917,78 para R$ 2.743,65 por mês, de acordo com projeto (PLS 114/2015), de autoria da senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), aprovado em outubro pela Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE); integralização do novo piso deverá ser feita de forma progressiva, no decorrer de três anos, segundo o texto, e deverá caber ao governo federal, durante cinco anos, a responsabilidade financeira pela complementação dos salários em vigor, para que atinjam o montante referente ao novo piso salarial.

Os Conselhos Nacionais dos Secretários de Estado da Administração, Fazenda e Planejamento (Consad, Confaz e Conseplan) se reuniram há 10 dias, em Brasília, para tramar uma agenda, segundo eles, “propositiva que restabeleça o equilíbrio financeiro dos estados”.

De concreto, os secretários elaboraram um documento endereçado ao Ministro da Educação, Aloízio Mercadante (PT), “solicitando a suspensão de qualquer reajuste ao piso nacional dos profissionais do Magistério, enquanto perdurar a crise econômica no País”.

O piso salarial nacional dos professores da rede pública de educação básica pode passar de R$ 1.917,78 para R$ 2.743,65 por mês, de acordo com projeto (PLS 114/2015), de autoria da senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), aprovado em outubro pela Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE).

Paralelamente, pelo WhatsApp, os secretários estaduais, em nome dos respectivos governos, discutem o fechamento escolas e o fim da carreira do magistério tal qual conhecemos no Paraná. Para os leitores do Blog do Esmael essa notícia é antiga, mas o risco é bastante atual e concreto.

O raciocínio dos secretários é simples e recorrente: “a situação apertou, arrocha o salário dos professores”. Não importa que esses profissionais estejam entre os mais mal remunerados do país. Não importa que boa parte da crise nacional seja fruto direto do sucateamento da educação pública. Corta na educação, que está tudo bem.

É o mesmo pensamento do governador Beto Richa (PSDB), que, a pretexto de reforçar o Caixa Único (CU), confiscou a previdência dos servidores (na maioria professores), negou o reajuste na data-base, está tentando fechar escolas e turmas escolares para economizar recursos, além dos cortes orçamentários da área da educação pública.

8 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. Nem o PT e muito menos o PSDB tem moral prá se acusarem mutuamente, são farinha do mesmo saco!

  2. Chega a ser risível a intenção dos apaniguados dos governadores.
    Discutir um assunto desses enquanto o país está de joelhos ante a corrupção que grassa, é de fato uma imbecilidade…
    Os governos tucanos, acostumados à andar com números na frente do nariz, não são capazes de agir em prol do povo, de modo a dirimir as desigualdades sociais. São a elite na sua essência.
    Já o PT se traveste de benfeitor das minorias e dos pobres.
    De início, lá pelos idos de 2003, iniciou a aplicação dos programas que o PSDB tinha idealizado, mas só pro FMI ver: bolsa família, auxílio desemprego maior, auxílio leite, distribuição de terras, etc.
    Depois, foi pondo as garras prá fora e, a começar da cabeça do partido (Genoíno, Dirceu, Palocci, e outros), foi ruindo. Hoje está desfigurado, como legenda e como modelo de governo para o povo, envenenado pela corrupção escancarada e o roubo do erário.
    Por outro lado, como bem sabemos, isto não é privilégio dos governos do PT. Basta ver o caso do Paraná, com escolas não construídas e pagas, consertos ee carros oficiais não realizados e pagos e trabalho dos funcionários públicos feito e mal pago…
    A corrupção é portanto, um mal que assola chico e francisco.
    A solução?

    CADEIA E PORRADA!!!

    Não necessariamente nesta ordem…

    Poderia o povo ir às ruas e exigir novas eleições em todos os níveis de poder, esculhambando de vez com essa bipolaridade medonha de PT e PSDB.
    Para que surja uma terceira via forte e efetiva para dar conta dos anseios da nação, faz-se necessário que o povo grite BASTA para esse bando.

    E quando Richa irá responder por seu crime contra os servidores no inesquecível 29 de abril???

  3. SatanáS está chegando….ou já chegou?

  4. Incrível trama diabólica

  5. Se em tempos normais, os trabalhadores não têm seus direitos respeitados, imagine em época de crise. Nenhum direito a menos. Que economizem no congresso, nas assembleias estaduais e prefeituras. Chega de pagar a conta.

  6. Com a palavra a Deputada Maria Victória.