A lama da “privataria tucana” em Minas ainda não assentou

lama

Marina Silva (REDE), ainda não visitou a área atingida. Nas poucas declarações que ela deu, até agora, foi contida e só lamentou o “desastre” (crime) e falou em mais precaução; por outro lado, ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB), é responsável indireto pelo surgimento da Samarco, pois, em 1997, foi ele quem privatizou a Vale do Rio Doce a preço de bananas.

Passadas duas semanas da tragédia humana e ambiental causados por uma avalanche de lama no município de Mariana, em Minas Gerais, depois do rompimento de uma barragem, as reais dimensões desse crime e suas implicações políticas continuam incertas.

Como a bomba estourou sob os governos estadual (Pimentel) e federal (Dilma), ambos do PT, é quase inevitável que eles sejam identificados como corresponsáveis, além e claro da própria empresa, a Samarco.

Mas é preciso voltar um pouco na história para lançar luz sobre essa lama toda. Em 1997 a Cia. Vale do Rio Doce, antes uma mineradora estatal, foi privatizada pelo governo de Fernando Henrique Cardoso (PSDB). Várias denúncias e escândalos envolveram o processo de privatização não apenas da Vale, mas de inúmeros bens públicos no período, ficou conhecido como “privataria tucana”.

A Vale é dona da Samarco em sociedade com a mineradora australiana BHP Billiton. FHC não se contentou em vender a Vale a preço banana com financiamento do BNDES. Em 1996, com a Lei Kandir, ele isentou de ICMS as exportações de minérios.

Mas o crime da lama da Samarco também serviu para confirmar a tese da proibição do financiamento privado de campanhas. Pois onze dos 19 deputados federais  indicados pela Câmara para fazer parte de uma comissão externa para investigar a tragédia receberam doações de campanha da Vale.

Isso por si não é prova de que eles vão aliviar as responsabilidades da empresa. Mesmo por que o Ministério Público está atento e a questão vai para a Justiça, independente do que digam os deputados. Mas o conflito de interesses é gritante.

Lembramos também que a ambientalista de primeira hora, duas vezes candidata a presidente da república, Marina Silva (REDE), ainda não visitou a área atingida. Nas poucas declarações que deu até agora, ela foi contida e só lamentou o “desastre” e falou em mais precaução.

A questão do crime ambiental em Mariana é tão nebuloso quanto a cobertura pela mídia, haja vista o direito de resposta que a TV Globo (Jornal Nacional) fora obrigada conceder ao governador mineiro Fernado Pimentel —  uma semana depois de sancionada a Lei Requião. O apresentador William Bonner pediu desculpas no Jornal Nacional. Assista ao vídeo:

Mas, a cada dia que passa, fica mais evidente que o problema da mineração de ferro e da atuação dessas empresas é principalmente uma questão de lucro a qualquer custo. Aliás, somente a mineradora Samarco teve lucro líquido de R$ 2,8 bilhões em 2014.

O acordo inicial de R$ 1 bi para atenuar os estragos já é um começo. Mas ainda há muito coisa escondida sob essa lama toda.

Com informações do Portal Fórum  e Vi o Mundo.

17 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. I simply want to tell you that I am just all new to blogging and site-building and truly savored you’re web blog. Very likely I’m likely to bookmark your site . You actually have superb articles. Many thanks for sharing with us your webpage.

  2. Cara.. tenho que rir de uma postagem como esta…
    Culpar FHC pelo acontecido é no mínimo “ignorância”… Como sei que o autor não é tão ignorante assim, resta-me entender a ação esquerdista de um artigo sem nexo. Mineradoras existem no mundo todo, privatizadas ou estatizadas… Cabe ao “governo” em suas esferas específicas, fiscalizar… Então “Sr. Esmael”, vc pode até agregar PTistas incautos e ignorantes pra sua causa mas, é só uma minoria… Assim como o esquerdismo e “Foro” está caindo na AL, aqui no Brasil cairá também. Fico pasmo com tanta baboseira escrita por pessoas que deveriam ser sérias.

  3. Há que se ainda que Dilma ocupou o MME, já nos 1ºs
    3 anos do governo Lula.

  4. Mais perguntas:
    Após a venda da Vale, foi feito um EIA/RIMA?
    Foram avaliados o grau de risco e potencial de danos?
    Barragens devem ter sismógrafos, porque não foram
    colocados então?
    Dado o potencial de danos, porque não havia alarme
    sonoro para evacuação do local, em caso de
    rompimento da barragem?
    E porque não havia um plano de fuga que deveria
    ser treinado e simulado com a população?
    Engenheiros, agrimensores, e geólogos, poderiam
    simular o percurso da lama, em caso de rompimento
    de cada uma das barragens, isso ajudaria no plano
    de fuga, e também orientaria na construção de
    barreiras de contenção: porque essas contenções
    não foram construídas?
    Isso evitaria que essa lama “caminhasse” mais que
    20 quilômetros, reduzindo drasticamente os danos
    ao meio ambiente.
    Com a palavra a ANA, a Dilma, o Lula, e… o FHC.

  5. Faltam só 42 dias pro PT completar 14 anos de governo
    no País.
    É certo que a venda da Vale do Rio Doce, pelos
    míseros dólares arrecadados, não compensará os danos
    e prejuízos causados por essa lama imunda.
    Tudo bem, negócio mal feito, negócio fechado.
    Mas, em janeiro de 2003, Lula assumiu.
    Deveria ter denunciado o contrato, mas não o fez.
    Criou agência reguladora pra tudo, mas as encheu
    de “cumpanhêro & Cumpadi”, e aquilo que deveria
    ser uma agência reguladora e fiscalizadora, virou
    cabide de emprego, e pior, essas agências se
    amancebaram com as empresas que deveriam fiscalizar,
    e todos acabaram mamando esse colostro mal cheiroso
    nas tetas da vaca federal.
    A nível estadual, essas agências reguladoras são a
    mesma porcaria.
    Pergunto: aonde estava a ANA – Agência Nacional de
    Águas, durante esses 14 anos?
    FHC vendeu a mineradora, mas a fiscalização e
    regulamentação dos processos, projetos,
    procedimentos, e atividades continuam a cargo do
    governo federal, o que torna o PT, Lula, e Dilma
    não só atores, mas réus, em coparticipação e
    responsabilidade solidária com as mineradoras.
    Dilma, só por essa catástrofe, deveria ter
    renunciado, já no dia seguinte ao acontecimento,
    e Lula, deveria ter vergonha, e parar de deitar
    falação.

  6. FHC, aquele que abre a geladeira, vê a luz da mesma e começa a falar sozinho pensando estar sendo entrevistado pela GLOBO dos Marinhos (acionistas da SAMARCO).

    Marina, aquela que banca a sertanista roubando as riquezas do (sertão) do País para os gringos das ONGs. Ela não representa uma “mulher do sertão” apesar da “carinha ou maquiagem” de mulher sofrida.

    VERDADEIROS “PAIS” DOS TRAIDORES DO BRASIL.

  7. O príncipe da privataria e a bagróloga…

    Que dupla! (De derrotados)

  8. Decreto de Dilma atribui rompimento de barragens a desastre natural para proteger mineradoras
    A presidente Dilma Rousseff assinou um decreto que inclui a ruptura de barragens na lista de “desastres naturais”, logo pós a tragédia causada por falhas na estrutura de uma barragem de rejeito em Mariana, Minas Gerais.
    A medida tem por objetivo proteger as mineradoras que doaram milhões para as campanhas do PT e PMDB.

    • Muda seu nome para Alvaro Boato!

      Essa sua mentira aí já foi desmentida queridão!

      • KKKKK….como vc é ingenuo. Desmentido por quem?..Por aqueles que foram financiados em campanha política pela Samarco?

        Esse decreto da Dilma transferi a responsabilidade dos danos ocorrido (crime e não desastre natural)ao bolso dos trabalhadores e moradores da região e não para a Samarco. Além do mais, Dilma em seu decreto, poderia ter se utilizado de outro texto evitando a definição de desastre natural, mas não o fez. E mais, esse decreto cria juridicamente a possibilidade da Samarco se esquivar da condenação de crime ambiental. O próprio Senado poderia ter emitido um incisivo ao decreto lei de 1990 que trata do FGTS a favor dos trabalhadores mas, também não o fez.

    • Cara com vc é burro, o decreto foi para beneficiar as pessoas que foram atingidas pela desastre, a poderem sacar o FGTS, leia as coisas primeiro e entenda, para depois não sair por ai falando merda.

      • Cara como vc é burro. Esse decreto transferi toda a responsabilidade do ônus a ser pago direto aos bolsos dos trabalhadores e moradores da região, qdo deveria ser estritamente da Samarco, além do mais, juridicamente, cria a possibilidade da premissa de a Samarco se utilizar desse decreto para se safar do crime cometido, já que no decreto de Dilma desconsidera o ocorrido como crime e sim “desastre natural”…cara como vc é ingenuo

  9. E qual esfera do governo tem a prerrogativa e obrigação de fiscalizar esse tipo de obra ???? Será o governo de Marte….ou do planeta Mandioca??

  10. FGAGAC O SATANÁS DO MILÊNIO.