Blog do Esmael

A política como ela é em tempo real.

Seis meses após massacre do Centro Cívico, Beto Richa diz que “sofreu demais” com a greve dos professores

Governador Beto Richa, o Carniceiro do Centro Cívico, nesta quarta-feira (28), em Faxinal do Céu, disse a uma plateia de 600 comissionados que “sofreu muito” com a greve dos professores; tucano nada falou sobre o massacre que feriu 213 educadores em 29 de abril, mas atribuiu o movimento paredista ao adversário Roberto Requião; pedido de desculpas pela violência há seis meses partiu da primeira-dama Fernanda Richa; abaixo, assista ao vídeo e relembre o Palácio Iguaçu comemorando o massacre dos professores.

Governador Beto Richa, o Carniceiro do Centro Cívico, nesta quarta-feira (28), em Faxinal do Céu, disse a uma plateia de 600 comissionados que “sofreu muito” com a greve dos professores; tucano nada falou sobre o massacre que feriu 213 educadores em 29 de abril, mas atribuiu o movimento paredista ao adversário Roberto Requião; pedido de desculpas pela violência há seis meses partiu da primeira-dama Fernanda Richa; abaixo, assista ao vídeo e relembre o Palácio Iguaçu comemorando o massacre dos professores.

O governador Beto Richa (PSDB) esteve ontem (28) em Faxinal do Céu, município de Pinhão, onde participou do seminário “A Escola que Temos e a Escola que Queremos: Rumo à Base Nacional Comum Curricular”.

O tucano falou a uma plateia formada por chefes e assistentes de núcleos regionais de educação, que lhe aplaudiram efusivamente quando declarou que sofreu demais com a greve dos professores. O movimento paredista culminou com o massacre do Centro Cívico em 29 de abril.

“Lamentei muito aquele episódio da greve, sofri demais com aquilo”, declarou Richa, ao atribuir ao senador Roberto Requião (PMDB) o “estímulo” das manifestações de educadores.

Antes, porém, a secretária da Família e primeira-dama, Fernanda Richa, pediu desculpas para os comissionados da Secretaria de Estado da Educação (SEED) presentes no evento pelo massacre ocorrido há seis meses.

“Só tenho uma coisa para pedir a vocês: desculpa pelo que aconteceu… Não era a vontade do governador, não era vontade do chefe da segurança, não era a vontade do secretário…”, discursou Fernanda.

Entretanto, o governador Beto Richa não falou sobre o fechamento de 150 escolas da rede pública e a primeira-dama também não disse que sua pasta cortará recursos para o combate à pobreza no Paraná. Ambos também não tocaram na falta de dinheiro para merenda escolar das crianças em 2016.

A seguir, assista ao vídeo e relembre os comissionados comemorando o massacre da sacada do Palácio Iguaçu:

Comentários desativados.