Deputados da “bancada do camburão” querem instituir a mordaça nos professores do Paraná

mordaca

Um projeto de lei assinado por 13 deputados estaduais, da conhecida “bancada do camburão”, quer instituir a mordaça nas escolas proibindo os professores do Paraná de falarem sobre política, religião ou sexualidade nas salas de aula.

Sob a bandeira de uma pretensa neutralidade, o Projeto de Lei 748/2015, proíbe os educadores de emitirem opiniões, agredindo de forma absurda o princípio da liberdade intelectual conferido aos professores no exercício de sua profissão.

Os professores que descumprirem o que determina o PL, estarão sujeitos a punições previstas no estatuto dos servidores.

Projetos semelhantes vem surgindo em diversos estados, sempre por influência de setores mais conservadores da direita e das bancadas evangélicas nos parlamentos.

É uma reação covarde ao livre debate de ideias e a aceitação da diversidade. Há também a expressa proibição ao que as bancadas evangélicas rotulam de “ideologia de gênero”.

Deve-se levar em conta também que os deputados da “bancada do camburão” vêm sofrendo forte rejeição por onde passam após o “papelão” que eles protagonizaram no massacre dos professores e servidores em 29 de abril, no confisco da previdência e na negativa do reajuste da data-base dos servidores.

Muito dessa rejeição que os deputados sofrem é atribuída a atuação dos professores que não se calaram frente ao desmonte do estado e da educação pública promovido pelo governador Beto Richa (PSDB) e seus deputados amestrados.

A esse projeto, soma-se a nova lei de eleição dos diretores de escola, que destruiu a democracia na gestão escolar. Com os professores amordaçadas, não haverá mais resistência, raciocina(!) a bancada governista.

O PL da “mordaça dos professores” deve ser analisado na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Alep na semana que vem. Assinam o projeto, 13 deputados do PSC do Secretário de Desenvolvimento Urbano Ratinho Jr, além de um deputado do PRB, DEM, PMDB, PTB, PSDB e PP.

Veja a lista de todos que assinam o projeto: Deputado Gilson de Souza (PSC), Hussein Bakri (PSC), Pastor Edson Praczyk (PRB), Missionário Ricardo Arruda (PSC), Claudio Palozi (PSC), Paranhos (PSC), Artagão Junior (PMDB), Cantora Mara Lima (PSDB), Elio Rusch (DEM), Cobra Repórter (PSC), Tião Medeiros (PTB), Wilmar Reichembach (PSC) e  Schiavinato(PP).

Leia a integra do Projeto de Lei, o anexo com os “Deveres do Professor” e a justicativa dada pelos parlamentares para instituírem a mordaça nos professores do Paraná: 

http://www.esmaelmorais.com.br/wp-content/uploads/2015/10/Proj_748_Dep_Gilson_de_Souza_e_Outros.pdf

Comentários encerrados.