Corrupção na Copel pagou mensalão de R$ 20 milhões para deputados no Paraná, diz doleiro do PSDB

alep_youssefMais de 20 deputados estaduais receberam R$ 20 milhões em mensalão pagos com dinheiro desviado do caso Copel/Olvepar, no final de 2002, no apagar das luzes do governo Jaime Lerner. A Assembleia Legislativa do Paraná tem 54 cadeiras.

A denúncia acima é do doleiro do PSDB, Alberto Youssef, delator na investigação do escândalo envolvendo o governo do Paraná. Ele prestou depoimento ontem ao Ministério Público Federal (MPF).

Segundo o relato do doleiro tucano, o dinheiro era repassado ao então deputado Durval Amaral, atual conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE), que fazia o repasse do mensalão à bancada governista.

Youssef já havia feito a delação em 2003, mas o processo tinha sumido do Tribunal de Justiça do Paraná (TJPR) e, depois de alguns dias, reapareceu misteriosamente da mesma que forma que tinha desaparecido.

Além do doleiro, o advogado Antonio Carlos Brasil Fioravante Pieruccin, também depôs no MPF e confirmou a história. Ambos são réus na Lava Jato.

Ingo Hubert, ex-presidente da Copel e secretário da Fazenda, bem como o ex-conselheiro do TCE Heinz Herwig igualmente teriam recebido dinheiro desviado da estatal de energia, de acordo com a delação.

Durante esta semana, a estatal de energia já fora notícia negativa em virtude do leilão de duas usinas — Parigot de Souza e Mourão I — símbolos da engenharia paranaense. A empresa poderá perder parte de seu patrimônio, no próximo dia 6 de novembro, devido “cochilo” do governador Beto Richa (PSDB).

Comentários encerrados.