Por Esmael Morais

Coluna do Bruno Meirinho: Pela Betânia, minha recém-nascida filha, pelo futuro de Curitiba

Publicado em 09/10/2015

Nós dedicamos nossa energia em construir um plano com visão social.

Não nos conformamos com a grave desigualdade existente na cidade de Curitiba e acreditamos que é urgente que sejam planejadas medidas que reduzam o fosso entre os ricos e os pobres.

Os planos diretores devem ter visão estratégica, estabelecendo diretrizes urbanas para o prazo de, pelo menos, 10 anos. Instrumento básico para a política urbana, o plano diretor é uma das leis mais importantes para a cidade, e sua visão de longo prazo merece a atenção de todos.

Mas o Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba – IPPUC menosprezou a importância do plano diretor. Desconsiderou as contribuições da sociedade e fechou-se na sua crença, atrasada, de que o plano diretor é apenas um trabalho técnico, privilégio de arquitetos iluminados.

Por tudo isso, o projeto de lei enviado pelo IPPUC aos vereadores precisou de muitas mudanças. Vários vereadores propuseram emendas que poderão tornar o plano diretor mais justo e democrático, entre elas, diversas emendas sugeridas pela Frente Mobiliza Curitiba. Ainda assim, há muito para ser feito, já que o plano diretor de Curitiba ainda é muito genérico.

O surgimento da Frente Mobiliza Curitiba foi uma feliz novidade, que permanecerá viva para reivindicar medidas que tornem realidade os valores que estão escritos no papel, ou seja, para a tarefa de construir o futuro de Curitiba. Esteja convidado para conhecer mais e participar dessa iniciativa, clique aqui.

Nota: A minha coluna inicia em uma semana muito especial: Na quarta-feira nasceu minha filha, Betânia, que vem trazer muita alegria à minha família. É, também, um grande incentivo para pensar no futuro da cidade.

*Bruno Meirinho é advogado, foi candidato a prefeito de Curitiba. É o coordenador local da Fundação Lauro Campos, instituição de formação política do PSOL. Ele escreve no Blog do Esmael às sextas-feiras sobre “Luta e Esperança”.