22 de outubro de 2015
por Esmael Morais
45 Comentários

Beto Richa planeja “flexibilizar” contratação de professores e fechar 150 escolas no Paraná

richa_eja_educacaoO governador Beto Richa (PSDB) planeja fechar mais 150 escolas no ano letivo de 2016 e “flexibilizar” a contratação de professores a partir de 2017 na rede pública estadual.

Ao longo dos anos 2011, 2014 e 2015, o tucano superlotou salas de aula ao extinguir ou fazer junção de turmas em diversas escolas.

Richa lidera discussão com colegas governadores para criar um novo modelo de contratação de professores, a OS (Organização Social), para flexibilizar os contratos de trabalho e enfraquecer os sindicatos da categoria em todo o país. Leia mais

22 de outubro de 2015
por Esmael Morais
8 Comentários

Paraná Pesquisas: Requião tem 86% e Pessuti 5% na convenção do PMDB

requiao_prpesquisasO senador Roberto Requião deverá vencer com folga a convenção estadual do PMDB deste sábado, dia 24, contra o ex-governador Orlando Pessuti. ... 

Leia mais

22 de outubro de 2015
por Esmael Morais
13 Comentários

CPI convoca cibercomissionados do governo Beto Richa

Arruda_CPI_KobayashiO presidente da e-Paraná, Sérgio Kobayashi, está na lista de convocados para depor na CPI de Crimes Cibernéticos da Câmara Federal. O requerimento para o depoimento do coordenador da “Tenda Digital” foi protocolado nesta quinta-feira (22) pelo deputado federal João Arruda (PMDB-PR), membro da comissão.

Além de Kobayashi, o deputado João Arruda tem mais uma lista de cibercomissionados para convocar para o mês de novembro.

“A Tenda Digital funcionou como guerrilha virtual para atacar, de forma anônima, os adversários do governador Beto Richa (PSDB)”, diz Arruda na justificativa da convocação.

O grupo de cibercomissionados é um braço criminoso do Palácio Iguaçu nas redes sociais cujos integrantes são servidores pagos  pelo erário com cargos comissionados.

Leia a íntegra do requerimento de convocação de Sérgio Kobayashi: Leia mais

22 de outubro de 2015
por Esmael Morais
19 Comentários

O marqueteiro é o mesmo, mas o resultado… Renan Filho 68% de aprovação; Richa 73% de reprovação

renan_pesquisa_richaO governador do estado de Alagoas, Renan Filho (PMDB), é o mais bem avaliado do país com 68% de aprovação. Os números são da Paraná Pesquisas.

O diabo é que o marqueteiro de Renanzinho é Adriano Gehres, o mesmíssimo do governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), que tem 73% de reprovação — uma vergonha nacional.

Esse novo levantamento da Paraná Pesquisas, hoje a empresa mais nacional do Paraná, indica que o Palácio Iguaçu deva encomendar extrema-unção do tucano.

Gehres foi importado por Richa das entranhas do governador paulista Geraldo Alckmin (PSDB) pela bagatela de R$ 900 mil. Paraná, até agora, o marqueteiro apenas “chupou” propaganda do estado vizinho.

Voltemos à vaca fria da pesquisa. Assim como Richa, a presidenta Dilma Rousseff (PT) está mal avaliada em Alagoas. Ou seja, por aquelas bandas, Renan é “boia de salvação” para a petista. Leia mais

22 de outubro de 2015
por Esmael Morais
14 Comentários

Coluna do Reinaldo de Almeida César: Ajustes nas Polícias Civil e Militar

Reinaldo de Almeida César*

Recebo boas notícias vindas da área da segurança pública.

Em março último, desacompanhado de seu secretário de segurança à época, o governador Beto Richa esteve em visita na sede da Associação de Defesa dos Direitos dos Policiais Militares Ativos Inativos e Pensionistas – AMAI, importante entidade de representação de policiais militares.

A visita solitária parece ter sido muito profícua, a se considerar o desenrolar de vários acontecimentos, a partir de então.

Naquela tertúlia, a diretoria da AMAI, liderada pelo incansável Coronel Eliseo Furquim, entregou ao governador um pacote de reivindicações históricas dos praças e dos oficiais, fazendo-o acertadamente em nome do fórum de entidades que representam os policiais militares.

Agora, com o acompanhamento e a atuação proativa do secretário Wagner Mesquita, as coisas começam a sair do papel.

A comissão tripartite que engloba – além da SESP e da AMAI – também representantes da Secretaria de Administração, caminha a passos largos para corrigir distorções históricas e estabelecer normativos mais consentâneos com os dias atuais, a começar pela revisão do processo disciplinar e pela extinção da prisão militar, verdadeiro instrumento de subjugação e assédio moral.

Ponto para o governo, indiscutível.

***

Soube também que o governo dá sinais positivos para vitaminar a tramitação do novo estatuo da Polícia Civil.

Outra grande notícia. É preciso dar roupagem institucional adequada à Polícia Civil.

Espera-se, como é natural, que a “pedra de toque” do novo estatuto seja a efetiva equiparação remuneratória entre delegados e procuradores do Estado e, a partir daí, novo realinhamento de subsídios, com novos reenquadramentos em parcela única, que corrijam os já defasados padrões de remuneração para todos os policiais, civis e militares.

E mais, que a alocação de quem quer que seja na desejada “coluna 11” das tabelas de remuneração, contemple igualmente e de forma extensiva todos os que sejam equivalentes.

Quem tra Leia mais

22 de outubro de 2015
por Esmael Morais
3 Comentários

Coluna do Requião Filho: No mês da Criança, Beto passa a mão no Fundo para Infância e Adolescência

Download

Requião Filho*

As consequências de inúmeros pacotaços deste ano estão começando a aparecer. Em meio ao emaranhado de leis, o Executivo Estadual deixou o caminho livre para esvaziar o fundo para a Infância e Adolescência, o FIA, com montante proveniente de repasses mensais do Detran e doações particulares.

O fundo foi criado pelo Governo Federal para custear políticas de atendimento à criança e ao adolescente. Porém, com as novas normas do Governo Richa, ao final de cada ano, o montante do fundo será incorporado automaticamente ao saldo do Tesouro Geral do Estado e será administrado pelo secretário da Fazenda Mauro Ricardo Costa. Richa tira o dinheiro que deveria ser investido nas nossas crianças e enfia no C.U., caixa único.

A medida fere o artigo 227 da Constituição Federal e foi duramente criticada pelo Fórum dos Direitos da Criança e do Adolescente (FDCA), que certamente vai perder a função de controle social. Isto revela desconhecimento de direito administrativo e constitucional por parte da atual gestão do governo estadual.

Em matéria veiculada na Gazeta do Povo um Procurador expõe a sua opinião, que é mesma que a minha. Se não, vejamos:

“O procurador de Justiça Olympio de Sá Sotto Maior, do Ministério Público do Paraná (MP), criticou a transferência do recurso. Ele diz que é necessário conferir o que o estado está fazendo com a verba, mas afirma que ‘não há nenhuma possibilidade legal para o estado utilizar recursos existentes do fundo para qualquer outra área que não seja aquela voltada a programas e ações da criança e juventude’.”

“Todos os recursos que abastecem o Fundo para Infância e Adolescência (FIA), conforme explica o procurador, ‘têm previsão constitucional para serem usados para essa área’. O procurador lembra que não pode ser retirada a autonomia do CEDCA sobre o fundo. Sotto Maior diz que o MP-PR terá que conferir o que de fato o estado fez com o recurso para ‘adotar medidas’ quanto a isso.”

É o desespero de um governo que não tem dinheiro para pagar suas contas. Até o Ministério Público de Contas já relatou que o Governo Richa deu PEDALADAS FISCAIS e não merece ter suas contas aprovadas.

A verdade há de vir a tona e ainda veremos estes irresponsáveis pagar pelo que estão fazendo com o nosso Paraná.

Mas também, o que esperar de bom de um governo que massacra servidores públicos? O que esperar de bom de um governador que vende maravilhas durante a campanha e entrega escândalos atrás de escândalos.

Aproveito, ainda, este espaço para me solidarizar com os participantes da 3ª Conferência Estadual da Juventude que foram vítimas do constrangimento proporcionado pelo Governo do Est Leia mais

22 de outubro de 2015
por Esmael Morais
Comentários desativados em O que diz a velha mídia nesta quinta

O que diz a velha mídia nesta quinta

capaJornais do Paraná ... 

Leia mais