Sob protestos, Beto Richa institui “dízimo” para funcionários comissionados no Paraná

Publicado em 1 setembro, 2015

abi_richa_dizimoO governador Beto Richa formalizou ontem (31), durante reunião com secretários e dirigentes de estatais, a cobrança de “dízimo” de 2% do salário dos servidores comissionados.

De acordo com Garganta Profunda de Londrina, que tudo ouviu, a cobrança do “pedágio” – ou a popular gafanhotagem – seria um desdobramento do “Efeito Abi”, que teria secado a fonte.

“Com o entra e sai da PEL 2 (Penitenciária Estadual de Londrina), Luis Abi criou um problema insanável. Como resolver os pepinos, dívidas e outras pendengas com ‘agilidade’?”.

O próprio Julian Assange das Araucárias nos responde ao questionamento:

“Problema foi resolvido com um ‘tarifaço’ sobre os salários dos comissionados do governo. A partir de setembro, doação obrigatória, compulsória debitada em folha de dois por cento do salário bruto e filiação automática ao PSDB”, relata o X-9 mais famoso das Américas.

O Blog do Esmael ouviu um acadêmico do primeiro ano de Direito, que emitiu a seguinte opinião: “Esse caso vai terminar no Ministério Público do Trabalho”.

De acordo com Garganta Profunda de Londrina, o tucanato determinou metas por secretaria e por empresa pública na execução da gafanhotagem.

“Barnabés comissionados estão constrangidos e muito revoltados com a determinação do PSDB”, relatou o informante com acesso fácil ao 3º andar do Palácio Iguaçu, na antessala do governador Beto Richa.

O Blog do Esmael revelou na metade de agosto que o “aperto fiscal” nas finanças de Richa teria chegado ao limite, que um interlocutor estava procurando empresários em nome do tucano para arrecadar fundos para o pagamento de despesas com advogados nas investigações da Lava Jato, Publicano e Voldemort.

Comments are closed.