Requião denuncia chantagem da agência Standard & Poor’s no rebaixamento do Brasil

Requião vê engodo do capital vadio no rebaixamento de nota do Brasil nesta quarta (9); depois de lançamento da Frente Brasil Popular, em Minas Gerais, no último fim de semana, especuladores lutam para manter Joaquim Levy no Ministério Fazenda; senador paranaense estranha que, ao mesmo tempo que velha mídia e PSDB comemoram a “queda”, agência de classificação chinesa Dagong tenha elevado nota dado nota A+ para o Brasil; resumo da ópera: demite o Levy, Dilma.

Requião vê engodo do capital vadio no rebaixamento de nota do Brasil nesta quarta (9); depois de lançamento da Frente Brasil Popular, em Minas Gerais, no último fim de semana, especuladores lutam para manter Joaquim Levy no Ministério Fazenda; senador paranaense estranha que, ao mesmo tempo que velha mídia e PSDB comemoram a “queda”, agência de classificação chinesa Dagong tenha elevado nota dado nota A+ para o Brasil; resumo da ópera: demite o Levy, Dilma.

O senador Roberto Requião (PMDB-PR) é voz lúcida — e o contraponto — nesse deserto de ideias em tempo de conservadorismo e ausência de projeto para o país. Exemplo disso foi a denúncia que ele fez nesta quarta-feira (9), solitariamente, de que o Brasil está sendo vítima de chantagem ao ter nota rebaixada pela agência de risco Standard & Poor’s.

“Apesar da aparente chantagem da Standard, a chinesa Dagong dá nota A+ para o Brasil”, tuitou o parlamentar, um dos únicos a sair em defesa do país em meio dessa campanha lesa-pátria.

A velha mídia, o mercado [financeiro] e o PSDB comemoram o tal “rebaixamento” da Nação brasileira, pela Standard & Poor’s, como se fosse um gol [contra a seleção canarinho] no final da Copa do Mundo, pois, é bom recordar, eles torceram contra o país até no futebol.

O expediente [rebaixamento] foi lançado pela agência de risco visando manter no cargo o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, que vem desgraçando a economia nacional desde que assumiu e, claro, mantendo os juros nas alturas para o deleite dos bancos.

No último fim de semana, em Minas Gerais, movimentos sociais e partidos de esquerda lançaram a Frente Brasil Popular cujo programa principal consiste na mudança da política econômica e na contenção da avanço do conservadorismo.

A seguir, leia o tuitada ácida de Requião:

Ainda pelo Twitter, Requião afirmou que não compraria um carro usado do ministro Joaquim Levy. “Não por acreditar que receberia em mau estado, mas por acreditar que ele não tem veículo para entregar”, emendou.

Resumindo a ópera: Dilma, demite esse conspirador Levy.

Comentários encerrados.