Camila Lanes: ‘Dia 29 é sinônimo de um plano de abandono de Beto Richa’

Camila Lanes, presidente da União Paranaense dos Estudantes Secundaristas (UPES), em artigo especial para o Blog do Esmael, analisa o significado do dia de hoje, 29 de setembro de 2015, cinco 5 meses do massacre que marcou uma geração de professores, aposentados, estudantes e simpatizantes da luta por uma educação de qualidade. “O dia 29 de abril representa o descaso com o Estado, não somente com a educação; cada tiro disparado e bomba arremessada não atingiram somente quem estava presente naquela praça, mas atingiu e atinge diariamente o povo paranaense que hoje sofre com um projeto que visa o “estado mínimo” e o mínimo de investimento, o máximo de juros e cobranças de impostos”, escreve a líder estudantil; leia, opine e compartilhe.

Camila Lanes, presidente da União Paranaense dos Estudantes Secundaristas (UPES), em artigo especial para o Blog do Esmael, analisa o significado do dia de hoje, 29 de setembro de 2015, cinco 5 meses do massacre que marcou uma geração de professores, aposentados, estudantes e simpatizantes da luta por uma educação de qualidade.
“O dia 29 de abril representa o descaso com o Estado, não somente com a educação; cada tiro disparado e bomba arremessada não atingiram somente quem estava presente naquela praça, mas atingiu e atinge diariamente o povo paranaense que hoje sofre com um projeto que visa o “estado mínimo” e o mínimo de investimento, o máximo de juros e cobranças de impostos”, escreve a líder estudantil; leia, opine e compartilhe.

Camila Lanes*

Hoje, dia 29 de setembro de 2015, completa 5 meses do massacre que marcou uma geração de professores, aposentados, estudantes e simpatizantes da luta por uma educação de qualidade.

Há 5 meses o movimento estudantil, junto com a APP – Sindicato, estava em frente a Assembleia Legislativa protestando contra as medidas retrogradas e impopulares aplicadas pelo governador Beto Richa.

Estávamos enfrentando uma greve que já tinha acumulado mais de um mês. Acampamos com nossos educadores e enfrentamos ameaças e até mesmo as condições climáticas que dificultaram a nossa estadia em frente ao Palácio Iguaçu, o palácio do tirano Richa.

Mas o dia 29 de abril não representa somente o sangue derramado na Praça Nossa Senhora de Salete. Essa data mostrou ao mundo qual a real face de um governo que vem há mais de 2 mandatos ceifando o futuro da juventude, ceifando suas oportunidades.

O dia 29 de abril representou cada indígena morto pelos ”donos da terra” no interior do Estado; representou cada estudante das áreas rurais que tiveram suas escolas fechadas; representa cada estudante que não tem merenda, pois o governo cortou até mesmo da alimentação (1MILHÃO e 300MIL); representa cada professor que é agredido diariamente pelo Estado pela falta de valorização e estrutura; representa cada estudante que não se vê representado por esse sistema educacional falido e falho; representa cada aposentado que hoje que vê sua aposentadoria ameaçada; representa cada agente penitenciário que hoje enfrenta condições sub-humanas de emprego; representa cada diretor que hoje luta contra a possibilidade de não ter mais gestão democrática; representa cada grêmio que é censurado dentro da escola; representa cada estudante que sofreu e sofre com a homofobia, machismo, racismo dentro e fora da escola; representa cada estudante universitário que viu sua universidade estadual fechar por falta de pagamento; representa cada eleitor que acreditou nas palavras rasas de Carlos Alberto Richa no ano de 2014 e hoje se arrepende em ter apertado o 45 no dia da eleição.

O dia 29 de abril, representa o descaso com o Estado, não somente com a educação; cada tiro disparado e bomba arremessada não atingiram somente quem estava presente naquela praça, mas atingiu e atinge diariamente o povo paranaense que hoje sofre com um projeto que visa o “estado mínimo” e o mínimo de investimento, o máximo de juros e cobranças de impostos!

Sabe por que o dia 29 representa tudo isso? Porque tudo isso é fruto de um plano de abandono.

Por isso Carlos Alberto Richa, NÓS NÃO IREMOS ESQUECER!

*Camila Lanes, 19 anos, é presidenta da União Paranaense dos Estudantes Secundaristas (UPES).

Comentários encerrados.