TCE promove mais uma farra. Agora são as ‘superférias’ para os conselheiros

superferias

“Apesar da crise”, o Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE) pagou gordas indenizações a três conselheiros por férias não gozadas. Eles receberam juntos R$ 820.734,77. O numerário é equivalente a 1.040 salários mínimos de 2015.

O Blog do Esmael teve acesso às autorizações para o pagamento das férias aos conselheiros Artagão de Mattos Leão, no valor de R$ 408.594,74; Nestor Baptista, no valor de R$ 255.260,92; e Fernando Augusto de Mello Guimarães, no valor de R$ 156.879,11.

Os conselheiros recebem R$ 26,5 mil por mês, tem auxílio disso e daquilo, agora promovem mais essa farra com ‘superférias’.

Como todos se recordam, no começo deste ano, o TCE aprovou o auxílio-moradia de R$ 4,7 mil para todos os conselheiros — mesmo para aqueles que tenham casa própria e residam em Curitiba.

O TCE é o mesmo que queria cancelar auxílio-transporte de R$ 300 (trezentos reais) aos educadores afastados da função por motivo de doença.

As informações sobre as ‘superférias’ dos conselheiros são de outubro do ano passado, mas só vieram à tona esta semana. Ambos os casos tiveram parecer favorável da diretoria jurídica do órgão de contas.

Comentários encerrados.