Por Esmael Morais

Pedágio caro e mortes no cotidiano da BR-369 no Norte do Estado

Publicado em 06/08/2015

pedagioA situação da BR-369 entre as regiões Norte e Norte Pioneiro do Paraná, até o Sul do estado de São Paulo é complicada. O pedágio, é um absurdo. Somando-se as duas praças entre Londrina e Ourinhos (SP) passa de R$ 30,00. E a insegurança é brutal, percebida pelos frequentes acidentes com muitas mortes.

A rodovia administrada pela concessionária Econorte tem poucos trechos duplicados, que ficam próximos a Londrina. Também há trechos muito longos sem faixas adicionais para que os carros mais lentos possam dar passagem aos veículos mais rápidos.

Os veículos de passeio, mais ágeis que os de carga, ficam travados atrasando a viagem. Por isso, alguns acabam arriscando ultrapassagens sem a segurança devida causando muitos acidentes graves.

Na manhã desta quarta-feira (5), um acidente na BR-369, em Bandeirantes, deixou dois jovens mortos. Um junho, o secretário municipal de Administração de Andirá, Orlando Suda, morreu em um acidente na rodovia, entre Santa Mariana e Bandeirantes.

Os moradores da região não suportam mais a situação, mas também não engolem o discurso do governador Beto Richa (PSDB) que quer prorrogar as atuais concessões para baixar as tarifas de pedágio e proporcionar mais obras.

Pelo montante que fatura, a Econorte tem obrigação de adequar a rodovia para que todos trafeguem com segurança.