“Nota Paraná” nasce com os mesmo vícios e problemas do “Nota Paulista”. Calote à vista?

Corrupção consome de forma fantástica as arrecadações nos governo Richa e Alckmin, ambos do PSDB; secretário Mauro Ricardo Costa, interventor tucano nas finanças do Paraná, importou campanha de arrecadação de São Paulo; lá o governo paulista começou a dar calote nas premiações prometidas aos consumidores, que acreditaram na propaganda do rádio e da TV.

Corrupção consome de forma fantástica as arrecadações nos governo Richa e Alckmin, ambos do PSDB; secretário Mauro Ricardo Costa, interventor tucano nas finanças do Paraná, importou campanha de arrecadação de São Paulo; lá o governo paulista começou a dar calote nas premiações prometidas aos consumidores, que acreditaram na propaganda do rádio e da TV.

O recém-lançado programa “Nota Paraná”, idealizado pelo secretário estadual da Fazenda, Mauro Ricardo Costa, deve fracassar. Irmão bastardo do programa “Nota Paulista”, criado pelo mesmo Mauro Ricardo, porém quando este era secretário da fazenda do Estado de São Paulo. Tudo exatamente igual: 30% de reembolso, sorteio de prêmios, propaganda a dar com pau e um estado tão quebrado por conta dos desfalques causados pela corrupção quanto São Paulo.

Ao tempo que o “Nota Paraná” nasce cheio de promessas de dinheiro no bolso do consumidor e sorteio de carros, o “Nota São Paulo” já anunciou que não pagará a próxima cota de reembolso. Além disso, reduziu a taxa de devolução de 30%, para 20%. A medida causou revolta dentro do Tribunal de Contas do Estado paulista e desembargadores já se manifestaram chamando o governo de Geraldo Alckimin de “caloteiro” (alguém já viu esse filme antes?).

O motivo da quebra do “Nota Paulista” é simples. O caixa do governo de São Paulo está quebrado, só na Secretaria da Fazenda, aquela que Mauro ocupou no passado, o rombo ultrapassa a marca de R$ 1 bilhão. Estima-se que em corrupção, o governo de São Paulo tenha tido um prejuízo que supera a casa dos R$ 500 milhões. Sem dinheiro, passaram a não pagar o reembolso do programa “Nota Paulista” ao contribuinte e ponto final.

No Paraná a história é exatamente igual. O estado está quebrado e deve R$ 6 bilhões. Obrigou a população a pagar a conta da corrupção e das falhas do “choque de gestão do atual governo por meio de “tarifaços” e arrochos salariais aos servidores. Entre os casos de corrupção, o ícone tornou-se o da Receita Estadual, cuja quadrilha era chefiada pelo primo de Beto Richa, o lobista Luiz Abi Antoun, segundo Ministério Público, e que supera a marca dos R$ 500 milhões.

Em São Paulo, o ícone da corrupção é o Metrô.

A realidade dos dois estados é similar tanto nos desmandos existentes quanto no programa de reembolso de ICMS por emissão de Nota Fiscal, “marqueteiramente” batizado de forma e intenções iguais. Ou seja, o “Nota Paraná” é filho do mesmo pai, tem a mesma cara e o mesmo defeito de caráter: promete, mas pode não entregar.

16 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. Awesome write-up. I am a normal visitor of your blog and appreciate you taking the time to maintain the nice site. I will be a frequent visitor for a really long time.

  2. I simply want to mention I am just newbie to blogs and really savored you’re web blog. Probably I’m planning to bookmark your website . You absolutely come with great well written articles. Thanks a lot for sharing with us your blog site.

  3. Não se cadastrem no Nota Paraná. Eles estão cruzando informações com o imposto de renda e estão “inventando” um monte de taxas para quem se cadastra. Tem uma conhecida que vai ter que pagar de imposto, referente a uma doação, mas de 1600 reais. Eles estão futricando todas as contas das pessoas que se cadastram. Uma coisa invasiva, ditatorial e ilegal. Eles prometem que vão dar 30% mas, a pessoa perde muita mais nos tributos e taxas que eles inventam que a pessoa deve. Se ela for acionar um advogado vai gastar mais e acaba deixando por isso mesmo e ficando no prezu. Não se cadastrem no site!!!

  4. Infelizmente a Nota paraná, é uma forma de o Governo usar a população como seu fiscal. O Paraná não esta preparado para essa implantação, foi enfiado guela pelo secretário da fazenda. Empresas com faturamento de até 360.000,00, não geram crédito nenhum de ICMS, será um concorrência desleal com as grandes redes. Outa coisa, o cupom eletrônico vai gerar um numero gigante, e o sorteio será pela Loteria federal, ou seja, teremos poucos ganhadores. A médio prazo, os comerciantes vão ter que aumentar o preço dos seus produtos, e isso vai ficar insustentável para a população. Espero que todos acordem, antes que seja tarde demais.

  5. É mais uma cópia psdbista, esta, osta, pois depois de 48 meses de (di)gestão governal anterior nada se fez no Estado para ficar na história; a história que se fez todos já sabem pau, cacete e arrocho em cima de professor, servidor e aposentado e corrupção endêmica na receita estadual.

  6. Não concordo com esse desgoverno, por isso não vou colocar meu cpf em nota nenhuma!
    E espero que os 90% que desaprovam esse governo, também!

  7. Se 30% da receita, em tese, será devolvida, a arrecadação do ICMS tem que subir pelo menos uns 40% para valer a pena. Se há potencial para subir tudo isso, significa que a sonegação é monstruosa. Se é monstruosa, a Receita Estadual faz mal seu trabalho. Quanto a devolver, a possibilidade maior é NÃO, porque esse governador já deveria estar fora por tanta falcatrua no seu governo.

    • Concordo, a sonegação é monstruosa, chega a 500 bi por ano. Se não fosse isso, poderíamos pensar em abaixar os índices dos impostos, paulatinamente e teríamos em 8, 10anos, os mesmos índices anteriores ao governo de FHC, em torno de 25% do PIB em impostos. Hoje estamos em 38% do PIB em impostos. Eu trabalho com isso e os “bonzinhos” empresários, sonegam o que podem. E as tais associações de classe, Associações comerciais, empresariais, quietinhas, somente reclamam mas não exigem de seus filiados nenhuma paga. Aí o Estado, em tese, deveria cobrar mas se mancomunam com os fiscais corruptos, junto com o cabeça da vez (governador, secretário) para ganharem as propinas juntos. Aí, dos que pagam, sobram poucos. Mas os que sonegam, recebem de nós, consumidores e não repassam aos cofres públicos.

  8. Curitiba deixou de ser cidade modelo para se tornar cópia de tudo. “Nota Paraná” cópia de São Paulo e Panelaço cópia dos argentinos. Nosotros macaquitos* mesmos! rs

  9. com certeza mais uma maracutaia do beto richa, o cadastro do nota paraná pede até o título de eleitor com certeza a turma do beto richa vai usar esse cadastro para mandar malas diretas e telefonemas durante a campanha de 2016 e 2018.

  10. Importar secretário em cujas veias não corre sangue paranaense é o mesmo que dizer que neste nosso estado não tem profissional competente. Entretanto, a competência do secretário importado é duvidosa já que não deu certo nos outros estados em que prestou serviço. É só fazer uma pesquisa na Bahia, em Minas e em São Paulo. A menos que o que se pretendia lá nos outros estados é o mesmo que vem fazendo aqui.

  11. Richa, que em 2014 mentiu dizendo que as finanças do estado estavam saneadas, perdeu qualquer tipo de credibilidade. A questão é que se os fiscais da Receita (pegos pelo GAECO) trabalhassem direito não haveria motivo de criar (copiar dos paulistas) esta Nota Paraná. Governo incompetente, esta que é a verdade.

  12. Acabei de entregar na Gazeta do Povo, cópia da lei paulista, de 2007, que sugeriu o mesmo programa para o nosso Estado. O dep. Luiz Accorsi – a quem assessorava então, encaminhou Indicação aos secretários da Fazenda e do Planejamento de então, que nem deram bola. A proposição foi sugerida pelos vereadores paranavaienses Joaquim Aurélio Conceição e Clóvis Campos.

  13. Calma Esmael! cada filho tem que ter um nome diferente, embora o pai seja o mesmo, pegaram os Paulistas trouxas, agora vão pegar os Paranaenses, principalmente aqui no nosso estado aonde o povo se acha a ultima azeitona da empada, somado as tenções do Pia de Prédio. Me fodo junto, mais dou risada.

  14. Para um péssimo Governo sugiro sermos péssimos cidadãos e promover a sonegação de impostos, o próximo Governo dará 90% de desconto mesmo, pra que me preocupar, se estão nos roubando de qualquer jeito?!